A tarde do reencontro

Untitled-1

POR GERSON NOGUEIRA

O tão esperado reencontro da torcida remista com seu time vai finalmente acontecer neste domingo à tarde. Depois de idas e vindas, adiamento, dúvidas e risco de transferência de local, a liberação do estádio Jornalista Edgar Proença na quinta-feira (31) permite ao Fenômeno Azul ir a campo para incentivar o Remo naquele que – pela tabela – é o jogo de abertura do Campeonato Paraense.

Apesar da maciça presença da torcida e do efeito positivo da estreia vitoriosa, contra o São Raimundo, a previsão realista é de que o Leão terá muitas dificuldades neste segundo confronto com uma equipe santarena no campeonato. Campeão da Segundinha, o Tapajós tem um time arrumado e faz boa campanha.

O técnico João Neto admite ter dúvidas no meio-campo, que deve resolver com a entrada de Diogo Sodré ao lado de Robson, Wallacer e Samuel. A questão é que o Remo precisará propor jogo, saindo de seu campo e explorando os lados para envolver o visitante.

O treinador barrou Dedeco, reconhecendo que não funcionou como meia-atacante diante do São Raimundo. Deve ter notado também que o meio-campo de maneira geral não existiu naquela partida, deixando o ataque completamente sem alternativas e desconectado do resto do time.

Outro ponto ainda indefinido é a linha ofensiva, mas há fortes possibilidades de que David Batista seja escalado, tendo Henrique como provável parceiro de ataque.

Sobre o meia-armador Etcheverría, a experiência feita no treino de quinta-feira com aproveitamento na lateral-esquerda soou como confirmação de que Netão não vê o jogador como opção para o ataque ou mesmo para o setor mais avançado da meia-cancha.

Situação esquisita porque Etcheverría não foi contratado por ter experiência como lateral-esquerdo. Foi apresentado com status de grande contratação do Remo para o começo da temporada, por ter qualidades de líder no setor de criação, com recursos para apoiar o ataque e fazer finalizações.

A barração de Etcheverría não será problema enquanto o time estiver vencendo. Mas, no primeiro tropeço, as perguntas sobre sua ausência irão brotar naturalmente.

————————————————————————————-

Direto do blog

“Que saudade do futebol raiz, da época em que se matava jogada, se tocava para o lateral e em que o camisa 10 era realmente o craque do time. Quando os treinadores eram caras com comprovado conhecimento e não tinham um verdadeiro exército para auxiliar. Hoje, até sutiã eles forçam o jogador a usar para monitorar batimentos cardíacos. Antigamente, o treinador dizia que, se tava cansado, pedia pra sair”.

Leandro Silva, comentando a coluna de sexta-feira

————————————————————————————-

Lista de Pep gera polêmica e contra-ataque

A frase de Pep Guardiola, elegendo Juventus, Barcelona e Bayern como os melhores times da última década, não foi bem assimilada na Espanha. Ficou a impressão de que Pep legisla em causa própria, pois era o comandante do Barça no começo da década (até 2012) e dirigiu o Bayern de Munique de 2013 a 2016.

Segundo Pep, a explicação para a escolha do trio é simples: “São os melhores porque vencem sua liga a cada temporada, ou conquistam uma copa. A cada temporada estão ali”. Ocorre que, ao omitir o Real Madrid, acabou causando um rebuliço.

Os jornais esportivos Marca As imediatamente publicaram matérias descrevendo cada um dos feitos da equipe merengue nos últimos dez anos. Na última década, o Real venceu duas edições do Campeonato Espanhol, duas Supercopas da Espanha, quatro mundiais de clubes e se tornou a primeira equipe na história a vencer três edições da Liga dos Campeões de forma consecutiva e quatro em cinco anos.

O argentino Santiago Solari, técnico do Real, questionou as escolhas de Pep e desferiu a melhor de todas as frases: “É um esquecimento deliberado, mas não vamos brigar por uma década quando se é o clube do século. (O Real) É o melhor da história e é o da última década também, porque nunca subestima ninguém, em nenhuma situação”.

———————————————————————————

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro comanda a atração, a partir das 21h, na RBATV. Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião participam na mesa de debates. No programa, tudo sobre a rodada do Parazão, com sorteios e prêmios para o telespectador.

(Coluna publicada no Bola deste domingo, 03)

2 comentários em “A tarde do reencontro

  1. O cara (Guardiola) fala uma besteira e os demais, em vez de ignorar, a amplificam. Até as pedras sabem que o Real é o clube mais vencedor do século passado e, até agora, do século atual. Reconheço isso mesmo tendo simpatia pelo rival Atlético de Madrid.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s