Ministra mistura declarações lúcidas com ideias insanas

Damares Alves, futura ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, tinha me deixado uma impressão razoável numa de suas primeiras entrevistas. “Casamento gay é um direito civil adquirido”, disse sobre o assunto que tem tirado o sono dos homossexuais. Mostrou empatia ao se manifestar sobre a violência que sofrem transexuais e prostitutas. Colocou-se a favor dos indígenas e afirmou que “nenhum homem vai ganhar mais que uma mulher”. Outra prioridade será a proteção de crianças e adolescentes. Vítima de abuso sexual aos seis anos, Damares tem uma luta pessoal no combate à pedofilia.

alves

Mas, como na parábola em que a natureza do escorpião não impede que ele mate o sapo, a pastora não demorou a mostrar que, apesar de parecer bem-intencionada, muitas das suas ideias são arraigadas em uma essência religiosa. Ela entremeia declarações lúcidas com outras que beiram a insanidade. A grande dúvida desde já é o quanto o estado laico será afrontado por propostas conservadoras atreladas aos seus preconceitos.

O Estatuto do Nascituro, defendido por Damares, se for aprovado, prevê uma bolsa para a mulher que foi estuprada e decidiu não interromper a gravidez. Ela diz que não altera o que está previsto no Código Penal. Duvido. Não vai demorar para que alguém defenda que o apoio financeiro do Estado é suficiente para que abortos sejam proibidos mesmo nesses casos.

Não tem jeito. É a natureza do escorpião.

(Da Folha de S. Paulo) 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s