Criação de Lula, Fome Zero vira programa global das Nações Unidas

images_cms-image-000607058

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançou a campanha “Um mundo #fomezero para 2030 é possível”, em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, no próximo dia 16 de outubro. Ao todo, 45% da mortalidade infantil está relacionada à desnutrição. A iniciativa inspira-se no ‘Fome Zero’, lançado em 2003 no primeiro governo Lula como prioridade nacional e que tirou o Brasil do Mapa da Fome; país virou referência mundial no combate a esta mazela social. Com o governo Temer, a fome voltou a assolar o país e o Brasil deve voltar ao Mapa da Fome, se as políticas dos golpistas não forem revertidas em curto prazo.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), a pobreza no Brasil foi reduzida de 24,7% em 2002, quando Lula chegou à presidência, para 8,5% em 2012, com Dilma Rousseff no Planalto. No mesmo período a extrema pobreza caiu de 9,8% para 3,6%. Esse resultado fez com que o Brasil cumprisse a meta de reduzir pela metade o número de pessoas que passam fome estabelecida nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Leia a reportagem da Agência Brasil:

Em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, no próximo dia 16 de outubro, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) lançou a campanha “Um mundo #fomezero para 2030 é possível”. O objetivo é sensibilizar a sociedade para a importância de ações do combate à fome e ao desperdício de alimentos e para a necessidade de desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável.

Após um período de declínio, a fome no mundo está em ascensão novamente. Hoje, mais de 820 milhões de pessoas sofrem de desnutrição crônica, de acordo com o último relatório da FAO sobre segurança alimentar e nutrição. “Conflitos, eventos climáticos extremos ligados à mudança climática, desaceleração econômica e aumento rápido dos níveis de sobrepeso e obesidade estão revertendo o progresso alcançado na luta contra a fome e a desnutrição”, diz a organização.

De acordo com a FAO, enquanto milhões passam fome outros 672 milhões sofrem de obesidade e 1,3 bilhão estão acima do peso. A cada ano, 3,4 milhões de pessoas morrem por causa do sobrepeso e obesidade. Por outro lado, 45% da mortalidade infantil está relacionada à desnutrição.

Economia rural

De acordo com a FAO, para erradicar a fome é preciso uma transformação da economia rural, já que 70% dos pobres do mundo vivem em áreas rurais, dependentes da agricultura, pesca ou silvicultura. “Os governos devem criar oportunidades para maiores investimentos do setor privado na agricultura, ao mesmo tempo em que impulsionam os programas de proteção social para os vulneráveis e ligam os produtores de alimentos às áreas urbanas”, defende a organização.

Além disso, os pequenos agricultores precisam adotar novos métodos agrícolas sustentáveis, para aumentar a produtividade e a renda. Segundo a FAO, garantir a resiliência das comunidades rurais requer uma abordagem consciente do meio ambiente, que aproveite o poder da inovação tecnológica e crie oportunidades de emprego estáveis. Até 2050, a agricultura precisará produzir 50% mais alimentos para alimentar a população.

Mas a organização alerta que o emprego e o crescimento econômico não são suficientes, especialmente para aqueles que enfrentam conflitos e sofrimento. “O Fome Zero vai além da resolução de conflitos e do crescimento econômico, adotando a abordagem de longo prazo para construir sociedades pacíficas e inclusivas”, alerta.

Os eventos do Dia Mundial da Alimentação são organizados em mais de 150 países para promover conscientização e ação global sobre a necessidade de garantir a segurança alimentar e dietas nutritivas para todos. O tema da campanha deste ano também demonstra o compromisso dos países com a agenda de desenvolvimento sustentável. Um dos objetivos é, até 2030, acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável.

Concurso de cartazes

A FAO convida ainda crianças e adolescentes a participarem do concurso para a criação de um cartaz sobre a campanha mundial Fome Zero. Os participantes devem ter entre 5 a 19 anos. Os desenhos podem ser fotografados ou escaneados e enviados pela página do concurso link 1 .

As inscrições vão até 9 de novembro. Três vencedores em cada faixa etária ganharão uma bolsa de presentes surpresa, um certificado de reconhecimento e terão seus trabalhos expostos na sede da FAO em Roma, na Itália.

Cabra bom, tidizê…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s