Decisivo, Cassiano recoloca o Papão no G4

img-20180601-wa0020

POR GERSON NOGUEIRA

Depois de quatro jogos sem vencer, o PSC passou pelo Boa Esporte nesta sexta-feira à noite e voltou à zona de classificação da Série B. A atuação não foi perfeita, mas o time fez o suficiente para triunfar voltando a mostrar sua maior virtude na competição: a objetividade no aproveitamento das oportunidades.

Em dois lances agudos de área bem explorados, aos 4 e 37 minutos do primeiro tempo, o Papão decidiu a parada. Cassiano apareceu entre os zagueiros para desviar de cabeça no cruzamento de Thomaz logo no começo da partida. Depois, em nova participação de Thomaz pelo lado esquerdo, dominou dentro da área e girou para o disparo fatal.

Líder isolado da artilharia da Série B, com 6 gols, Cassiano atravessa fase excepcional, com forte presença de área e baixíssimo índice de erros nas finalizações. Os gols que marcou contra o Boa Esporte surgiram de jogadas de aproximação e iniciativa de homens do meio-campo.

No período de quatro rodadas sem vitória (três pontos ganhos em 12 disputados), o maior problema do Papão foi a falta de conexão entre meio-campo e ataque, situação que isolava o artilheiro entre os zagueiros.

A vitória representou um salto precioso de cinco casas na tábua de classificação, fazendo o PSC saltar do sétimo para o terceiro lugar. Não foi ainda uma noite de exibição impecável, com problemas que poderiam ter comprometido o resultado contra um adversário mais categorizado.

A zaga mostrou indecisões no combate pelos lados e exagerou nas saídas estabanadas. Renato Augusto não acertava os passes e Alan despontou como a exceção na meia-cancha, fazendo desarmes e apresentando-se para a ligação com o ataque.

Ajustes que precisam ser feitos para que o time siga na parte de cima da tabela, atento às peculiaridades de uma competição longa e que premia a regularidade.

Um comentário em “Decisivo, Cassiano recoloca o Papão no G4

  1. Mais uma grande atuação de Allan Calbergue. Bom no toque de bola, bom nos dribles e bom na bola longa.
    Dado teve o mérito de estudar o adversário, este postou cinco jogadores pra marcar a saída do Papão, mas abria espaços nos lados do campo, falha que permitiu Carlinhos tocar no Thomaz e este cruzar pro Cassiano.
    Essa solução teria sido mais eficaz se Dado não tivesse incumbido seu beques pra fazer lançamentos, provocando mais um festival de trapalhadas que criar um antídoto letal à receita do time mineiro.
    Pra piorar, o sempre impecável relvado da Curuzu, ontem, estava mangueirizado e sabe-se lá o porquê disso. Alto, cheio de tufos e sentindo os efeitos da chuva que anunciou a bela lua que viria sorrir depois junto com a galera.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s