Globo aborda corrupção no futebol como se nada tivesse a ver com o assunto

captura-de-tela-2018-05-11-as-09-39-40-600x353

Por Joaquim de Carvalho, no DCM

Em programa da SporTV, ontem, o jornalista Martin Fernandez, do Globoesporte.comfalava sobre a reportagem que fez com a divulgação de grampos do empresário J. Havilla na investigação realizada pelo FBI sobre a corrupção no futebol. Kléber Leite, ex-presidente do Flamengo e dono de uma empresa de marketing esportivo, a Klefer, foi um dos citados.

Ele aparece em diálogos em que, supostamente, fala a J. Hawilla, dono de afiliadas da Globo, que pagava propina para Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. Quem fala os nomes dos dirigentes é J. Hawilla, provavelmente orientado pelos investigadores americanos.

Kléber, ao que parece, não gostou e mandou uma extensa nota ao programa, lida no ar.
Nela, diz: “E, como informação para o repórter Martin Fernandez, que no programa afirmou que, pelo fato deste tema ser tornado público os clubes passaram a receber muito mais dinheiro pela Copa do Brasil, informo e afirmo que isto se deve, única e exclusivamente, ao fato de a Rede Globo ter passado a pagar pelos direitos de transmissão da Copa do Brasil um valor compatível com a realidade de mercado.”

Para ler a nota na íntegra, acesse o blog do Kleber.

Alguns departamentos de jornalismo são muito corajosos ao tratar do tema de corrupção no futebol. A emissora está mergulhada até o pescoço nesta lama. Por isso é que Kléber diz: A Globo é que está pagando mais, agora valores de mercado. Não pagava antes por quê?

J. Hawilla e Kléber foram funcionários da Globo, Hawilla na TV e Kléber na rádio. Ficaram ricos depois que deixaram a empresa, com os negócios envolvendo o futebol. Só que nunca deixaram de se relacionar com ela.

Na Globo, o contato deles era com Marcelo Campos Pinto, diretor da empresa, afastado ao mesmo tempo em que um empresário de futebol na Argentina contou ao FBI que a Globo, por intermédio de Marcelo, pagava propina no exterior, para ter direito de transmissão de competições internacionais.

Hawilla chegou a usar tornozeleira eletrônica nos Estados Unidos, pagou multa milionária e já está de volta ao Brasil. Mas, até agora, não houve informação de que teria implicado a Globo. E talvez não tenha mesmo. Ele é Globo, como proprietário da TV TEM, a afiliada da empresa em algumas das maiores e mais ricas cidades do interior do Estado de São Paulo. Não vai falar.

Para o triunfo da verdade, a Globo deveria continuar cutucando Kléber Leite. Quem sabe assim ele não fale mais? (Do DCM)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s