Para exorcizar fantasmas

DYKyVLtXkAA2sQG

POR GERSON NOGUEIRA

O PSC tem uma ótima oportunidade hoje à noite de exorcizar seus fantasmas recentes, sacramentando a classificação às oitavas de final da Copa Verde. Ainda às voltas com o trauma da segunda derrota frente ao maior rival, encarar o combalido Santos amapaense representa o melhor dos cenários para o time de Dado Cavalcanti.

A vitória no primeiro jogo por 3 a 2, semana passada, dá ao Papão a comodidade de estabelecer o ritmo que lhe for mais conveniente na administração da partida. Pode impor pressão no começo ou deixar as coisas transcorrerem normalmente, sem forçar muito e nem se exasperar. Afinal, até uma derrota por um gol (desde que seja por 1 a 0 ou 2 a 1) de diferença serve para os bicolores.

O fato é que a Copa Verde, tão execrada pela má vontade e sovinice da CBF em torná-la mais atraente e lucrativa, é o caminho ideal para afastar o Papão do baixo astral provocado pela desdita no Re-Pa. Vencer o Santos e seguir em marcha resoluta rumo ao bicampeonato do torneio é o que cabe ao time bicolor neste momento.

Por mais que o técnico Dado Cavalcanti e os jogadores usem aquelas palavras cuidadosamente medidas para evitar oba-oba, o fato é que a equipe não deverá ter maiores problemas no jogo de hoje, na Curzu. O Santos atual não é nem sombra do time aguerrido e impetuoso do ano passado, quando despachou o Remo e deu trabalho ao próprio Papão.

Jefferson Jari, principal atacante santista, é rápido e sabe finalizar, mas joga quase sempre isolado, pois o meio-campo amapaense tem muitas limitações. Na defesa, o Peixe genérico padece de problemas ainda maiores. No jogo realizado no Zerão, os zagueiros batiam cabeça, permitindo um gol logo de cara ao PSC por pura desatenção.

Depois, quando o placar estava empatado, conseguiram a proeza de deixar Walter desempatar o marcador. Em situação normal, o Papão tem tudo para disparar uma goleada, restabelecendo o clima positivo que Dado havia conseguido criar após a sua chegada.

O retorno de Diego Ivo à zaga deve ser suficiente para que o time volte a ter confiança em suas próprias forças. Dado terá ainda a volta de Matheus Miller à ala esquerda e de William ao setor de marcação. Com time completo, o Papão tem tudo para voltar a jogar como na fase pré-clássico.

——————————————————————————————–

Ausência de Luan na Seleção é desafio ao bom senso

Ninguém até agora entendeu como Talisca e Taison podem barrar Luan na Seleção de Tite. De todas as liberdades poéticas cometidas pelo técnico na última convocação, a ausência do meia-atacante do Grêmio é seguramente a mais inexplicável. A não ser que o lugar de Luan já seja nome garantido e Tite esteja só testando outras alternativas, ignorar o futebol do gremista equivale quase a um crime de lesa-pátria. Luan foi disparadamente o melhor jogador da última temporada no Brasil.

Jogou pelo Grêmio campeão do continente muito mais que Taison, Talisca e Fred juntos. Algo soa mal quando o treinador de Seleção Brasileira atropela critérios e mergulha em escolhas estritamente pessoais. Zagallo, Lazaroni e Parreira fizeram isso à larga, trazendo sérios prejuízos à equipe.

Tite continua a desfrutar do imenso prestígio adquirido pela campanha impecável nas Eliminatórias. Só não pode esquecer que a boa vontade do torcedor tem dia e hora para terminar: o começo do jogo entre Brasil e Suíça, no dia 17 de junho, na Rostov Arena.

——————————————————————————————-

Givanildo tem a chance de prestigiar os garotos

Contra o rebaixado Cametá, na última rodada da fase classificatória, sábado, o técnico Givanildo Oliveira poderá conceder oportunidade a pelo menos quatro jovens promessas azulinas. Gustavo, substituto de Levy no Re-Pa, está praticamente confirmado. Kevem, zagueiro de área, pode ser aproveitado. Miguel, meia de recursos, é outro que tem possibilidades de ser aproveitado na partida. Por fim, há o caso do centroavante Marcelo, substituto natural de Isac, suspenso.

Sem colocar em risco o esquema que vem dando certo, Giva pode dar aos novatos a chance de mostrar serviço e aparecer para o torcedor.

(Coluna publicada no Bola desta quinta-feira, 15)

10 comentários em “Para exorcizar fantasmas

  1. O Tite está certo, Gerson. Deve ter formado sua convicção, que Luan não é jogador de seleção, durante as olimpíadas de 2016, diante do pífio desempenho do gremista.
    Além disso, se Luan fosse um jogador ao menos próximo do nível de um Gabriel Jesus já teria sido contratado por um clube europeu de ponta. Até o garoto Vinicius Jr, aos 16 anos e antes de ficar exposto na vitrine da Copinha São Paulo, mereceu do Real Madrid o desembolso de 45 milhões de euros.
    Já o Gremista, que desfilou sua apatia e inoperância contra o próprio Real, em dezembro último, não encontra quem dê um centavo por sua contratação, isso já com idade suficiente para ter sido observado nos quatro cantos do mundo.
    Louve-se, é verdade, sua excelente performance na última edição da Libertadores. No entanto, é perigoso estender essa eficiência a outras competições, principalmente o Brasileirão, mais precisamente a partir daquele jogo fatídico para os gaúchos, quando o Grêmio perdeu em sua Arena para o Corinthians, muito em razão da imperícia de Luan, que jogou de forma displicente um pênalti nas mãos de Cássio com o jogo ainda em 0x0. Depois desse jogo, o Curingão disparou e o Grêmio encolheu caraterizando-se pela instabilidade, imagem e semelhança de seu maior ídolo.
    Definitivamente, essa seleção do Tite não cabe no egocentrismo performático de Luan. Trata-se de um time que busca honesta e obsessivamente a perfeição do jogo coletivo, mesmo com o Neymar Jr. Jogar em função de Luan, como faz o Grêmio, seria um tremendo retrocesso. Como trocar um notebook moderno por uma máquina de escrever.

    Curtir

  2. Concordo inteiramente com o Jorge Amorim. Talisca, Taison e Fred jogam na Europa, disputam constante a Champions, onde principalmente no aspecto tático o futebol é bem mais evoluído que o praticado no Brasil, a diferença é tamanha que algumas vezes parece até outro esporte. Por essa razão, é plenamente justificável a ausência de Luan, que tanto nas olimpíadas, quanto mais recentemente no Mundial de clubes não conseguiu se destacar. Nessa convocação do Tite só não concordo com duas coisas, a ausência de Malcon (ex-corinthias) que está jogando muito bem na França e ao meu ver é muito mais jogador que o Taison e a convocação do inseguro Rodrigo Caio que não consegue convencer jogando o campeonato paulista.

    Curtir

  3. Gerson, não é uma questão de que jogador X é melhor que Y, e sim o encaixe dele na equipe.

    Por mais que você possa argumentar que, isoladamente, Luan tem melhor qualidade técnica, ele não se encaixou tão bem jogando pelo lado, coisa que Taison faz melhor. No Grêmio, ele se adaptou melhor tendo liberdade no meio de campo.

    É sempre bom analisar o que a equipe de fato precisa.

    Curtir

  4. Amigo, estamos analisando as opções de suplência, não o que a seleção titular precisa. Quem pode afirmar que Talisca, Taison e outros encaixariam melhor que Luan, visto que nenhum foi utilizado no time titular? Luan tecnicamente é muito superior a todos eles e, por esse ponto de vista, pode ser muito mais útil. Ou você imagina o Talisca entrando na equipe na hora de um aperreio?

    Curtir

  5. Basta ver como Luan foi no Grêmio sendo atacante de lado, que não rendeu, como falei. Aí nesse ponto, visto que não se encaixou, não faria sentido convoca-lo. Por isso acho que nem é absurdo em não convocá-lo.

    Se quiser convoca-lo, para aproveitar o melhor de Luan, teria que mudar a estrutura da equipe, estrutura essa que foi trabalhada ai por 2 anos na era Tite, e não se pode jogar um trabalho assim fora.

    Curtir

  6. Insisto: a possível entrada do Luan não ameaça a “estrutura da equipe” porque nem testado suficientemente para isso ele foi, amigo.

    Curtir

  7. De mais a mais, Anselmo, ainda espero as comprovações fáticas de que Fred, Talisca e Taison se encaixam na tal “estrutura da equipe”, conceito tão ardorosamente defendido por você. Meu critério é de qualidade: Luan é mais jovem (portanto mais confiável fisicamente) e tecnicamente superior ao trio citado.

    Curtir

  8. Gerson, já no Grêmio ele não se adaptou na posição que o Tite precisa na seleção. E aí não adianta nada ter um jogador de qualidade que não renderia seu bom futebol por que não está jogando na sua zona onde é melhor aproveitado. Senão cairia no erro de Dunga que fazia os jogadores jogarem em funções muito diferente no de seus clubes.

    Sobre os outros jogadores citados, Fred se encaixa como centroavante na frente e o Talisca acredito na ponta esquerda.

    Vamos observar como será no amistoso contra a Alemanha

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s