Sem muito esforço, Papão avança

bol_sex_090318_11.ps

POR GERSON NOGUEIRA

Em ritmo de coletivo apronto para o Re-Pa, disfarçando e superando alguns erros de posicionamento e excessiva lentidão, o PSC conquistou uma importante vitória sobre o Santos-AP, ontem à noite, em Macapá. Mesmo sem realizar uma grande atuação e com a cabeça focada no Re-Pa de domingo, o time paraense se impôs pela qualidade técnica de seus jogadores, explorando as fragilidades do mandante.

Mike abriu o placar logo de cara, depois de jogada de Cassiano pela direita, mas a equipe vacilou e cedeu o empate aos 3 minutos. Uma nova arrancada de Cassiano, tocando para a área, resultou no terceiro gol. Fábio Matos apareceu no momento certo, quando Moisés tentava dominar a bola junto à área, e disparou para o gol, aos 18’.

Erros seguidos na saída de bola comprometeram a atuação no restante do primeiro tempo. O placar favorecia, mas o time se acomodou e deixou o tempo passar, deixando de explorar os muitos espaços deixados pelo apenas esforçado time amapaense.

No segundo tempo, com o Santos dominado e vivendo apenas de tentativas esporádicas, o PSC levava o jogo como lhe convinha, sem pressa. O problema é que futebol tem seus caprichos e, aos 20 minutos, o atacante Jefferson Jari – que havia marcado o primeiro gol – aproveitou uma bola despretensiosa cruzada para a área e a desatenção dos zagueiros para empatar outra vez.

Só então, depois que o Santos alcançou a igualdade, o PSC finalmente acordou. Com Walter em campo (no lugar de Mike), a equipe voltou a trocar passes, inverter bolas e a buscar as jogadas de pressão sobre a linha de zagueiros. Com a posse da bola, os bicolores voltaram a controlar inteiramente a partida.

O gol de Walter, aos 28’, nasceu naturalmente, em jogada iniciada pelo próprio atacante e que teve participação de Maicon Silva e Cassiano. Dois outros bons momentos poderiam ter resultado em gol, em chutes de Carandina e Moisés.

Os jogadores saíram reclamando das condições do gramado, mas é fato que os deslizes defensivos poderiam ter complicado as coisas. No geral, ficou evidenciada a cautela da maioria dos jogadores, evitando lances mais duros tendo em vista o clássico de domingo.

Apesar do rendimento abaixo do esperado e das falhas da zaga titular, o resultado foi altamente satisfatório para o Papão e deixa o grupo ainda mais confiante para o Re-Pa. Foi a quinta vitória consecutiva de Dado Cavalcanti, atestando a evolução da equipe.

——————————————————————————————-

Walter surpreende e comanda reação final

Quando as cobranças já começavam a surgir no horizonte, Walter fez sua melhor atuação com a camisa do Papão. É verdade que o Santos não é um adversário que permita avaliações mais calorosas, mas a qualidade técnica do atacante permitiu ao time respirar e se recompor em momento desfavorável na partida.

Apesar da robustez física, Walter apresentou-se sempre para as jogadas, buscou participação e comandou a reação do PSC. Acabou premiado com o gol que tanto batalhou para fazer. A atuação expressiva de Walter nos minutos finais ajudou a atenuar as preocupações de Dado Cavalcanti com a lesão sofrida pelo volante William.

—————————————————————————————–

Incontinência verbal atrapalha Daniel Alves

Sem jogar em alto nível há bom tempo, Daniel Alves voltou a pontificar em decorrência de uma atitude extracampo. Está levando uma saraivada de críticas pela mensagem confusa nas redes sociais a respeito da súbita morte do zagueiro Davide Astori, no domingo passado.

Daniel quis parecer politicamente correto, dizendo que “milhares de crianças morrem e não tem a mesma repercussão” e levando logo uma carraspana de Mario Balotelli, que detonou a afirmação do brasileiro quando todos manifestavam condolências pelo trágico episódio.

Em tom de deboche, Daniel – que teve atuação discreta anteontem na eliminação do PSG diante do Real Madri – até ensaiou uma desculpa, mas saiu da pista de novo ao reclamar que muitas vezes é preciso ser hipócrita para ser aceito pelas pessoas.

(Coluna publicada no Bola desta sexta-feira, 09) 

2 comentários em “Sem muito esforço, Papão avança

  1. Verdade, Acácio. Nítida insegurança nos toquinhos em triangulações no campo defensivo. Torçamos para que os treinos melhorem isso aí, que parece ser uma novidade que o Dado tá implantando. Dá medo mesmo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s