Leão arranca empate na Arena Pantanal

1 de agosto de 2017 at 2:03 9 comentários

Entry filed under: Uncategorized.

Telas & pincéis A arte do olhar

9 Comentários Add your own

  • 1. Antonio Valentim  |  1 de agosto de 2017 às 7:49

    É cada susto!

    Curtir

  • 2. Antonio Maria Zacarias Albuquerque Ferreira  |  1 de agosto de 2017 às 8:56

    Faltou atitude do Leo Goiano,o Luis Eduardo, não dá mais

    Curtir

  • 3. lopesjunior  |  1 de agosto de 2017 às 13:04

    Algumas observações pontuais. João Paulo corre por todo lado, desorientado, é muito fraco. Ilaílson fez falta ontem e suspeito que a ausência dele influenciou o rendimento do meio como um todo. É sintomático que Léo Rosa melhorou com a presença de França no meio, tanto que depois que ele saiu, caiu muito de rendimento, cedendo mais um flanco por onde o Cuiabá pôde jogar no fim do jogo. Jackinha fez outra partida apática, e com Dudu fazendo mal a cobertura, não ganhou uma pela esquerda e por lá vieram as jogadas mais perigosas do Cuiabá. Dudu esteve numa jornada infeliz, não foi o mesmo das partidas anteriores. Eduardo Ramos e Luis Eduardo estiveram muito distante da área e, assim, é até natural serem improdutivos. Pra quem viu o jogo, ficou a sensação de que ontem era o caso de Edgar entrar de cara, para aproveitar contra-ataques com a velocidade de Pimentinha e criação de Eduardo Ramos ou Flamel. Sem dúvida que há mais qualidade de passe no meio com França e Dudu, somando com Ilaílson e Eduardo Ramos. Felizmente, Flamel tem substituído ou somado a Eduardo Ramos à altura, mas o problema da cabeça-de-área é crônico e sempre que um dos reforços se ausentar haverá queda acentuada de rendimento na pegada e na qualidade do passe no meio. Em alguns momentos até lembrou quando Josué Teixeira era o técnico. Embora Luis Eduardo seja um jogador que busca participar do jogo, inclusive recompondo para defender e abafar a saída de bola, precisa estar mais para o ataque que para a defesa, afinal, centro-avante vive de gols. No mais, a zaga é caracteristicamente lenta e pouco efetiva no combate ao jogo aéreo desde o começo da série C, o que aumenta a importância da cobertura dos cabeças-de-área e laterais. Embora até se virem bem no mano-a-mano, o Remo leva muitos sustos em bolas aéreas e em algumas jogadas rápidas pelas características próprias da dupla de zaga.

    Curtir

  • 4. lopesjunior  |  1 de agosto de 2017 às 13:45

    O Remo tem jogado bem melhor as partidas, comparado aos times de Josué e de Canindé. Léo Goiano percebeu todos esses detalhes do elenco, mas ainda é preciso jogar com mais tempo no ataque, ter a posse de bola longe da linha de zagueiros e com os cabeças-de-área apoiando os jogadores de frente. Pelo que o time vem mostrando com três volantes é imperioso que eles também joguem mais buscando o ataque.

    Curtir

  • 5. Antonio Oliveira  |  1 de agosto de 2017 às 14:04

    Lopes, me permita usar seu comentário como roteiro de minha breve análise.

    Sob o meu ponto de vista, todos os volantes não foram lá muito bem. Mas, de fato, o João Paulo esteve alguns pontos abaixo dos demais.

    Não vi o jogo passado, mas pelo que assisti nos anteriores, considero que ontem o Remo jogou como tem jogado desde o início desta temporada: bolas quebradas da defesa para o ataque, tendo os atacantes que se virar para conseguir arredondar as melancias e conseguir alguma coisa mais produtiva. Com verdade, esporadicamente o Eduardo Ramos consegue fazer uma assistência e vem algum lance mais incisivo e/ou perigoso.

    Ontem, a rigor fez duas boas assistências mais eficientes. As duas para o Pimentinha. Uma no primeiro tempo, quando o atacante não foi muito feliz no arremate e o goleiro conseguiu afastar o perigo. A outra foi no início do segundo tempo, quando o atacante sofreu penálti não marcado pelo Juiz.

    Houve uma outra que resultou num perigoso arremate do Pimentinha, mas esta não conta, pois a construção da jogada foi toda do atacante que após receber um passe comum, burocrático mesmo, investiu para cima de dois adversários, driblando-os e quase fazendo um lindo gol.

    Quanto aos laterais, é preciso reconhecer que estão numa fase infeliz, e isso independentemente de quem seja o companheiro encarregado de os auxiliar na defesa e no ataque. Os equívocos que têm cometido são de caráter eminentemente individual. Erros de passe de palmo em cima, erro no domínio de bola etc. Ontem tudo poderia ter ido por águas abaixo por um equívoco bobo destes. É imperioso que o técnico ou poupe já na próxima partida. Há de ter uma alternativa minimamente melhor do que eles.

    Quanto ao Edgar concordo que está sendo subaproveitado. Ontem entrou com mais ou menos cinco minutos pra jogar e recebeu uma única bola cujo domínio não conseguiu fazer. E nem tinha como receber bolas, eis que o restante do time além de desestruturado já, também não tinha mais condições físicas para articular nada.

    Quanto ao centro avante, não me parece ser um super craque, mas também que está subaproveitados bola não lhe chega com a qualidade e a constância necessária. Daí ele se afastar da área para tentar participar do jogo. Mas, sempre que uma bola vai pro ataque, mesmo quebrada, ele esestáá pra receber, ou disputar, ou para abrir espaço para algum companheiro.

    Mas, há um ponto onde todos, todos mesmo, merecem nota 10: o empenho, a entrega, a disposição para a disputa.

    Curtir

  • 6. Nelio(O Paysandu jamais caiu para a vergonhosa quarta divisão)  |  1 de agosto de 2017 às 16:06

    Incrivelmente Incrível!!! O Cuia jogou um partidaço no jogo de Belém, empatou mas merecia vencer por goleada, dando a entender que seria um candidato forte a uma das 4 vagas. Mas depois que levou para lá alguns atletas do Paysandu (WILLIAM SIMÔES etc. ) que estavam enganando por aqui como reforços e ajudando e levar o Paysandu para a C mais rápido, o Cuia não prestou mais e não vence um jogo. È so empate apertado. Não consegue vencer mais nem o Remocreia combalido. Agora me respondam vcs que racionam bem se esses deveriam ser considerados como reforço para o Paysandu na difícil série B ???? Aliais que depois da goleada de 5×1 , vexatória, histórica, inacreditável na decisão da Copa Verde aplicada pelo Cuia em cima do Remocreia, formou-se um tabu e o Cuia não vence esse time desde os 5×1.

    Curtir

  • 7. Antonio Oliveira  |  1 de agosto de 2017 às 16:57

    Ah, faltou fazer referência à zaga. Quanto a esta sigo a trilha de sua opinião. Me parece que há a necessidade de uma elevação de rendimento urgente, isso valendo para todas as opções disponíveis.

    Um derradeiro registro para aludir ao Gabriel Lima. Este também parece que está sendo vítima d’alguma ideia fixa do Léo Goiano. Ele não pode ser alijado do time como concretamente vem sendo. Ele precisa ser escalado mais vezes. Não como opção ao Edgar, como defendeu o Titular do Blog no seu comentário no jogo de ontem. Mas, ele precisa ser mais acionado pelo treinador. Senão como titular sempre, mas não pode perder espaço assim como tem perdido. Um jogador que tem técnica, preparo físico e impetuosidade como ele, não pode ser esquecido no banco. Aliás, se tivesse sido escolhido ontem no lugar do Edgar teria padecido do mesmo problema que este padeceu. 5 minutos, não é suficiente. Máxime quando os companheiros já se encontram completamente esfalfados, sem contidões de articular mais nada com eficácia.

    É preciso que o Remo use mais o que ele tem de melhor.

    Curtir

  • 8. lopesjunior  |  1 de agosto de 2017 às 18:08

    Verdade, caro Oliveira, Gabriel Lima era uma opção ontem, poderia ter sido ele em vez de Edgar e fosse quem fosse, ele ou Edgar, deveria ter tido mais tempo em campo. Quando França lesionou-se e entrou Flamel, pensei que o time ia subir mais vezes ao ataque, mas isso não se viu porque a direita fragilizou-se demais e o Cuiabá aproveitou a brecha. Deveria ter entrado ali Edgar pra segura mais o lateral direito na defesa porque este levou muito desassossego a Jackinha e Dudu, reposicionando João Paulo à direita e mantendo Dudu mais à esquerda. Depois seria o caso de trocar Luis Eduardo por Gabriel Lima. Ganharia muito em ofensividade e prenderia mais o Cuiabá no campo de defesa, ou entraríamos num jogo franco, com chances de parte a parte. Mas, não foi desastroso o empate.

    Curtir

  • 9. Antonio Oliveira  |  1 de agosto de 2017 às 19:19

    Lopes, de fato, o resultado não foi desastroso. Aliás, levando em conta as duas últimas jogadas do Cuiabá, é dizer que o empate foi até auspicioso. Além de merecido pela entrega dos jogadores.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,399,013 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.965 outros seguidores

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: