Desembargadora libertou pessoalmente filho preso por tráfico de drogas

1 de agosto de 2017 at 1:07 3 comentários

Informações divulgadas ontem mostram que a desembargadora Tânia Borges foi pessoalmente, em 21 de julho, ao presídio em que estava detido seu filho, Breno Borges, pela posse de quase 130 quilos de maconha e munição para fuzil, e conseguiu que fosse libertado e saísse com ela de lá. Depois, foi encaminhado para tratamento em uma clínica no interior de São Paulo.

Com essa atitude, a juíza infringiu diversas regras que valem na Justiça. Ela usou para libertar o filho um habeas corpus de um colega seu no Tribunal de Justiça, mas que valia para a prisão preventiva pela posse da droga. Porém, havia outro mandado de prisão contra Breno, pela denúncia de ter participado da tentativa de fuga de um traficante. Mesmo assim acabou sendo libertado.

A atitude da desembargadora também passou por cima de outro procedimento da Justiça. A libertação de qualquer preso tem de ser feita por meio do juiz de execução penal local. Ele é informado da decisão de outros juízes e manda soltar. No caso, tudo foi feito a sua revelia.

A atuação da desembargadora e de seus colegas no Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul está sendo investigada pelo Conselho Nacional de Justiça, CNJ. O desembargador que mandou soltar Breno alegou em reportagem do Fantástico que não falou com a colega antes de tomar a medida, que já havia dado a mesma decisão em casos similares. A reportagem, porém, informa que as decisões anteriores eram para pessoas detidas com posse de menos de 100 gramas de maconha, não quase 130 quilos, como era o caso do filho da desembargadora. (Da Revista Forum) 

Entry filed under: Uncategorized.

Rock na madrugada – T. Rex, Hot Love PGR acusa deputado que tatuou nome de Temer de ficar com salário de ‘fantasmas’

3 Comentários Add your own

  • 1. Antonio Oliveira  |  1 de agosto de 2017 às 8:24

    Com a internet, abusos de poder como foi este, que não são raros no Brasil, não ficam mais escondidos no corporativismo criminoso e outros abusos. Falta, agora, a punição erradicadora, a qual, no entanto, infelizmente, parece que está posicionada para além da evolução tecnológica.

    Curtir

  • 2. Leonardo  |  1 de agosto de 2017 às 9:18

    Tai porque o cara virou bandido. Culpa da mãe. E não vai acontecer nada, porque no Brasil os juízes são intocáveis.

    Curtir

  • 3. Frederico Teron  |  1 de agosto de 2017 às 19:20

    Por que o povo não ocupa as ruas para protesto? Esse sim é um motivo justo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


CONTAGEM DE ACESSOS

  • 7,278,604 visitantes

Tópicos recentes

gersonnogueira@gmail.com

Junte-se a 12.713 outros seguidores

ARQUIVOS DO BLOG

FOLHINHA

agosto 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

NO TWITTER

GENTE DA CASA

POSTS QUE EU CURTO


%d blogueiros gostam disto: