O gesto inédito de dois clubes contra a ditadura da Globo no futebol

img_0937-600x400

POR PAULO NOGUEIRA, no DCM

Pode não ser muito. Pode ser pouco. Mas também pode ser um acontecimento extraordinário: saberemos com o correr dos dias.

É possível que este domingo tenha sido o marco zero do fim do domínio imperial, tirânico da Globo sobre o futebol brasileiro.

Atlético Paranaense e Coritiba decidiram enfrentar a Globo — e a federação local.

Os times recusaram o dinheiro que a Globo pagaria pela transmissão do jogo entre os dois, o clássico Atletiba.

Era uma “esmola”, segundo o diretor de um dos clubes.

Descartada a “esmola”, Atlético e Coritiba acertaram com o YouTube a transmissão do jogo.

A Justiça proibiu — o que nada surpreende dada a força da Globo.

Os times tiveram uma atitude com potencial revolucionário para o futebol: decidiram não jogar. Os jogadores entraram em campo, ouviram o hino, foram para suas posições — mas não tocaram na bola.

A torcida, segundo jornalistas presentes ao estádio, aliás cheio, aplaudiu e vaiou. Aplaudiu os jogadores, que se deram as mãos em círculo ao sair de campo. Vaiou a Globo.

Repito: pode não dar em nada. Mas pode ser um sinal de que a paciência dos clubes com a Globo tenha chegado ao fim.

Como em todos os negócios dos quais participa, a Globo lucra barbaramente com o futebol e os parceiros têm que se contentar com as sobras. Ou a “esmola”.

Basta ver a situação da Globo — seus donos estão entre os homens mais ricos do país — e compará-la com a penúria do futebol brasileiro.

No Twitter, a hashtag #atletiba fervia na noite deste domingo. A esmagadora maioria dos internautas elogiava entusiasmadamente a atitude dos times. “No Brasil nem a bola pode rolar se a Globo não deixar”, tuitou um dos internautas.

Os próximos capítulo do caso Atletiba prometem ser emocionantes.

Registro aqui minha torcida para que o desfecho, entre todas as possibilidades que alinhei no começo deste artigo, seja o fim da ditadura da Globo no futebol.

Basta.

13 comentários em “O gesto inédito de dois clubes contra a ditadura da Globo no futebol

  1. QUEM SABE..,
    O ESPORTE BRETÃO DERRUBA A TORRE FASCISTA?! No menores frascos estão os melhores perfumes.
    Seria a felicidade pra mim, que luto há 40 anos por isso!

    Curtir

  2. “Os times tiveram uma atitude com potencial revolucionário para o futebol: decidiram não jogar. Os jogadores entraram em campo, ouviram o hino, foram para suas posições — mas não tocaram na bola”. Foi isso mesmo?

    Segundo eu havia entendido, os Clubes queriam jogar, mas o árbitro, por ordem da federação (e esta por ordem da Globo), resolveu que não autorizaria o início do jogo enquanto os profissionais não credenciados não deixassem o campo de jogo – eles iriam cuidar da transmissão da partida pelo Faceboook (?). Daí como os clubes não retiraram os profissionais o juíz definitivamente cancelou o jogo.

    Vou pesquisar!

    Curtir

  3. Antônio,

    O juiz só iniciaria o jogo sem a transmissão online. Segundo o quarto árbitro, as ordens vieram da federação, pois, segundo a federação, o campeonato é da globo. Mas, obviamente, está enganado. Os clubes não retiraram os profissionais e a bola. Ao rolou.

    Curtir

  4. Pois é, amigo Celira, esta informação que você passa agora, bate com a que eu tinha que era mais ou menos esta: os clubes insistiram em manter os profissionais para fazer a transmissão pela internet e o juiz, sob as ordens da federação (e esta sob as ordens da Globo), “cancelou” o jogo.

    Para tanto, a federação usou como desculpa o fato dos profissionais que iriam trabalhar na transmissão pela internet não estavam credenciados.

    Ora, isso é muito diferente daquilo que consta na postagem, de que os clubes mandaram seus jogadores irem ao gramado, cumprir todas as solenidades prévias, e, depois, juntos, se negarem a jogar a partida. Aliás, se fosse assim, os clubes perderiam totalmente a razão perante o torcedor e demais patrocinadores, os quais, muito provavelmente cobrarão indenização, a qual, neste caso, se os fatos ocorreram como pensamos que ocorreram, pelo menos em princípio, recairá na federação.

    Este é um aspecto importante, eis que é preciso acautelar os interesses do torcedor, já que, depois, mediante alguma compensação, os clubes eventualmente entram em acordo com a federação e a emissora, e quem sai no prejuízo, é a massa que frequenta os estádios e que não participa das “negociações”.

    Curtir

  5. O post de Paulo Nogueira nada tem de invencionice. Houve recusa do que a Globo queria pagar, seguida do convite para que mídias alternativas transmitissem o jogo, o que foi bloqueado pela federação do Paraná, obviamente em conluio com a Globo, que se disse hoje em nota oficial a maior incentivadora do futebol brasileiro, mas é na verdade a maior exploradora deste e lucra horrores com isso.
    Portanto, a atitude dos clubes paranaenses verdadeiramente quebrou a lógica de submissão a Globo sendo exemplar. caso haja outros com a coragem suficiente pra tentar um outro modelo que fuja ao odioso monopólio global.

    Curtir

  6. Amorim, de acordo com tudo o que você disse, salvo por um aspecto. Deveras, Eu não disse que o ‘post do Paulo Nogueira tem invencionice’.

    Primeiro fiquei em dúvida. Depois cogitei que a parte que eu transcrevi não bate com a informação que eu tinha. E depois reforcei esta cogitação com aquilo que o Celira comentou.

    Mas, o certo é que o fato de uma informação não bater com a outra, ser diferente, muito diferente, não necessariamente quer dizer invencionice.

    Por exemplo, se o que ocorreu exatamente for o que o Paulo Nogueira postou, isso não quer dizer que eu teria inventado o que escrevi, como, de fato, não inventei. Eu apenas teria tido uma compreensão equivocada. O mesmo vale para ele.

    Curtir

  7. Exatamente, se fosse assim. Acontece que esse affair não começou no domingo. Quando a dupla AtlexTiba resolveu abrir pro google é porque já brigava há mais tempo, ontem foi o clímax do protesto.
    De resto, a Globo continua detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Paranaense, mas os dois maiores daquele estado deram exemplo de rebeldia contra esse odioso monopólio não aceitando a cota de 850 mil, aliás, o mesmo que o governo do estado do Pará paga pra dupla RexPa.
    Obviamente, não por coincidência, o probo Eurico Miranda propôs e foi aprovado o fim da grama sintética da Arena da Baixada, ainda que esta possua o selo de qualidade da FIFA. Como se vê, pura represália na medida em que gramados esculhambados são permitidos, mas a sintética, não.

    Curtir

  8. Amorim, continuo concordando com cada linha do que você escreve agora.

    Mas, é preciso separar as coisas:

    (a) uma foi o que o post disse que aconteceu lá na hora da culminância do protesto que não se coaduna com o que realmente aconteceu;

    (b) outra é o odioso monopólio da rede globo e a postura rebelde que de há muito vem sendo adotada pela dupla AtlexTiba e que chegou ao climax ontem;

    Valendo chamar atenção que no presente caso a violência da globo se mostra em todo o seu absurdo. Afinal, não tendo como se impor diretamente aos clubes que não aceitaram os ínfimos valores por ela oferecido, se impôs através da federação impedindo que o jogo que não tinha os direitos de transmissão fosse realizado. E o fez covardemente não só porque não deu qualquer chance ao público torcedor, como também porque tentando se esconder atrás da federação.

    Enfim, e a inexatidão daquilo que constou na postagem, na parte que transcrevi (vale frisar), se reforça quando se vê que se os Clubes tivessem feito o que disse que fizeram a postagem eles estariam fazendo exatamente o que a globo queria que era que o jogo não fosse transmitido pela internet, ainda que para isso, se fosse preciso, o jogo não se realizasse, como de fato não se realizou.

    E isso é importante porque, pelo menos em princípio, libera os clubes de responsabilidade perante os torcedores e os patrocinadores, já que não jogaram por motivo de força maior, por motivo que eles não tinham como superar: a federação obrigou a arbitragem a cancelar o jogo.

    Curtir

  9. O texto abaixo, colhido, agorinha, na Cynara, a Socialista Morena, é uma passagem de um artigo escrito na Carta Capital, por André Pasti. Nele está exposto exatamente o que aconteceu ontem na Arena:

    “o clássico de domingo 19 entre atlético-PR e coritiba (o ‘atletiba’) entrará para a história como um capítulo na luta contra o monopólio da globo no futebol brasileiro.

    “os clubes negaram o péssimo acordo financeiro proposto pela emissora para transmitir a partida e decidiram exibir o jogo em seus canais no youtube e facebook.

    “com a torcida nas arquibancadas e os jogadores prontos para o jogo, o inacreditável aconteceu: a federação paranaense de futebol, a pedido da rede globo, impediu a transmissão da partida online.
    só haveria jogo sem transmissão, em recado da globo aos clubes ‘rebeldes’. como os clubes não recuaram, a federação impediu a partida de acontecer.

    “que o ‘atletiba’ seja o início de uma resistência em defesa do futebol e da comunicação como direitos de todos. precisamos ampliar essa resistência e o combate ao monopólio midiático, dentro e fora do futebol”

    Curtir

  10. Se a torcida endossar, a Globo arrega. O mais provável que aconteça é eles darem um “cala-te boca” almentando o valor da cota. Que foi o plenteado pelos dirigentes gerando a “Rebeldia”.

    Depois disso, tudo volta ao normal. Infelizmente…

    Perdoem a minha descrença, amigos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s