Elite tem a mais nova geração de técnicos desde 2008

ftp20161211015

POR WILSON HEBERT, do Globo Esporte

Se existe uma ideia no futebol brasileiro de buscar o caminho da renovação, ela pode estar se refletindo na faixa etária dos treinadores. Considerando os 12 principais clubes do Brasil (Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Atlético-MG, Cruzeiro, Grêmio e Internacional), a média de idade dos técnicos que iniciam uma temporada nessas equipes é a menor dos últimos 10 anos. Desse grupo, apenas Abel Braga, do Fluminense, possui mais de 60 anos (64). Jair Ventura (foto acima), do Botafogo, é o mais jovem de todos com apenas 37.

Esse dado também é reflexo de apostas em nomes que recém iniciaram suas trajetórias nessa profissão. Além do próprio Jair, Zé Ricardo, do Flamengo, começou sua carreira no ano passado. Nesta temporada ainda temos a estreia de Rogério Ceni no comando do São Paulo e a de Fábio Carille, pela primeira vez efetivado como treinador do Corinthians – desde 2009 ele vinha desempenhando a função de auxiliar-técnico do clube do Parque São Jorge.

Há, também, os casos de Roger Machado e Eduardo Baptista, que começaram suas carreiras em 2014. No caso do técnico atleticano, as experiências anteriores foram Juventude, Novo Hamburgo e Grêmio. Baptista já comandou Sport, Fluminense e Ponte Preta antes de assumir o maior desafio da sua carreira: comandar o Palmeiras, atual campeão brasileiro. Confira na tabela ao lado a idade de cada treinador dos 12 principais clubes brasileiros.

Apesar de ser, desde 2008, a menor média de idade dos treinadores que iniciam uma temporada nesses clubes, a baixa faixa etária dos ocupantes desses cargos não é algo tão novo. No ano passado também houve esse fenômeno, principalmente motivado por Cruzeiro, Grêmio e Internacional, que começaram janeiro, respectivamente, sendo comandados por Deivid, Roger Machado e Argel Fucks, que naquele momento tinham 36, 40 e 41 anos.

Essa tendência se repete em outros clubes brasileiros fora desse grupo. Dos que disputarão a Série A do Campeonato Brasileiro em 2017, Ponte Preta, Sport e Vitória seguem o caminho da renovação dos treinadores. Felipe Moreira, comandante da Macaca, tem apenas 36 anos. Daniel Paulista, que treina o Leão da Ilha, é o novato da turma, com 34. Argel Fucks, técnico do Rubro-Negro baiano, tem 42.

De 2011 até 2015, como pode ser visto no gráfico abaixo, a média de idade dos técnicos que conduziram a pré-temporada dos 12 principais clubes brasileiros ficou acima dos 50 anos, com destaque para o ano de 2015 (temporada posterior à Copa do Mundo realizada no Brasil), em que essa média bateu os 56,2 anos.

Confira abaixo os profissionais e suas respectivas idades no momento que comandavam esses clubes durante os trabalhos de pré-temporada e começo de temporada nos últimos 10 anos:

Janeiro de 2017 (média de idade = 48,8 anos)

Flamengo – Zé Ricardo (45 anos)
Fluminense – Abel Braga (64 anos)
Botafogo – Jair Ventura (37 anos)
Vasco – Cristóvão Borges (57 anos)

Corinthians – Fábio Carille (43 anos)
Palmeiras – Eduardo Baptista (46 anos)
São Paulo – Rogério Ceni (44 anos)
SantosDorival Júnior (54 anos)

Atlético-MG – Roger Machado (41 anos)
CruzeiroMano Menezes (54 anos)
Internacional – Zago (47 anos)
Grêmio – Renato Gaúcho (54 anos)

Janeiro de 2016 (média de idade = 49,8 anos)

Flamengo – Muricy Ramalho (estava com 60 anos)
Fluminense – Eduardo Baptista (estava com 45 anos)
Botafogo – Ricardo Gomes (estava com 51 anos)
Vasco – Jorginho (estava com 51 anos)

Corinthians – Tite (estava com 54 anos)
Palmeiras – Marcelo Oliveira (estava com 60 anos)
São Paulo – Edgardo Bauza (estava com 57 anos)
Santos – Dorival Júnior (estava com 53 anos)

Atlético-MG – Diego Aguirre (estava com 50 anos)
Cruzeiro – Deivid (estava com 36 anos)  
Internacional – Argel Fucks (estava com 41 anos)  
Grêmio – Roger Machado (estava com 40 anos)

Janeiro de 2015 (média de idade = 56,2 anos)

Flamengo – Vanderlei Luxemburgo (estava com 62 anos)
Fluminense – Cristóvão Borges (estava com 55 anos)
Botafogo – René Simões (estava com 62 anos)
Vasco – Doriva (estava com 42 anos)

Corinthians – Tite (estava com 53 anos)
Palmeiras – Oswaldo de Oliveira (estava com 64 anos)
São Paulo – Muricy Ramalho (estava com 59 anos)
Santos – Enderson Moreira (estava com 43 anos)

Atlético-MG – Levir Culpi (estava com 61 anos)
Cruzeiro – Marcelo Oliveira (estava com 59 anos)
Internacional – Diego Aguirre (estava com 49 anos)   
Grêmio – Luiz Felipe Scolari (estava com 66 anos)

Janeiro de 2014 (média de idade = 53,5 anos)

Flamengo – Jayme de Almeida (estava com 61 anos)
Fluminense – Renato Gaúcho (estava com 51 anos)
Botafogo – Eduardo Húngaro (estava com 50 anos)
Vasco – Adilson Batista (estava com 46 anos)

Corinthians
– Mano Menezes (estava com 51 anos)

Palmeiras – Gilson Kleina (estava com 45 anos)
São Paulo – Muricy Ramalho (estava com 58 anos)
Santos – Oswaldo de Oliveira (estava com 63 anos)

Atlético-MG – Paulo Autuori (estava com 57 anos)
Cruzeiro – Marcelo Oliveira (estava com 58 anos)
Internacional – Abel Braga (estava com 61 anos)   
Grêmio – Enderson Moreira (estava com 42 anos)

Janeiro de 2013 (média de idade = 53,6 anos)

Flamengo – Dorival Júnior (estava com 50 anos)
Fluminense – Abel Braga (estava com 60 anos)
Botafogo – Oswaldo de Oliveira (estava com 62 anos)  
Vasco – Gaúcho (estava com 59 anos)

Corinthians – Tite (estava com 51 anos)
Palmeiras – Gilson Kleina (estava com 44 anos)
São Paulo – Ney Franco (estava com 46 anos)
Santos – Muricy Ramalho (estava com 57 anos)

Atlético-MG – Cuca (estava com 49 anos)
Cruzeiro – Marcelo Oliveira (estava com 57 anos)
Internacional – Dunga (estava com 49 anos)
Grêmio – Vanderlei Luxemburgo (estava com 60 anos)

Janeiro de 2012 (média de idade = 54 anos)

Flamengo – Vanderlei Luxemburgo (estava com 59 anos)
Fluminense – Abel Braga (estava com 59 anos)
Botafogo – Oswaldo de Oliveira (estava com 61 anos)
Vasco – Cristóvão Borges (estava com 52 anos)

Corinthians – Tite (estava com 50 anos)
Palmeiras – Luiz Felipe Scolari (estava com 63 anos)
São Paulo – Emerson Leão (estava com 62 anos)
Santos – Muricy Ramalho (estava com 56 anos)

Atlético-MG – Cuca (estava com 48 anos)
Cruzeiro – Vagner Mancini (estava com 44 anos)
Internacional – Dorival Júnior (estava com 49 anos)  
Grêmio – Caio Júnior (estava com 46 anos)

Janeiro de 2011 (média de idade = 51,3 anos)

Flamengo – Vanderlei Luxemburgo (estava com 58 anos)
Fluminense – Muricy Ramalho (estava com 55 anos)
Botafogo – Caio Júnior (estava com 45 anos)
Vasco – Paulo César Gusmão (estava com 48 anos)

Corinthians – Tite (estava com 49 anos)
Palmeiras – Luiz Felipe Scolari (estava com 62 anos)
São Paulo – Paulo Cesar Carpegiani (estava com 61 anos)
Santos – Adilson Batista (estava com 42 anos)

Atlético-MG – Dorival Júnior (estava com 48 anos)
Cruzeiro – Cuca (estava com 47 anos)
Internacional – Celso Roth (estava com 53 anos)  
Grêmio – Renato Gaúcho (estava com 48 anos) 

Janeiro de 2010 (média de idade = 49,4 anos)

Flamengo – Andrade (estava com 52 anos)
Fluminense – Cuca (estava com 46 anos)
Botafogo – Joel Santana (estava com 61 anos)  
Vasco – Vagner Mancini (estava com 42 anos)

Corinthians – Mano Menezes (estava com 47 anos)
Palmeiras – Muricy Ramalho (estava com 54 anos)
São Paulo – Ricardo Gomes (estava com 45 anos)
Santos – Dorival Júnior (estava com 47 anos)  

Atlético-MG – Vanderlei Luxemburgo (estava com 57 anos)
Cruzeiro – Adilson Batista (estava com 41 anos)
Internacional – Jorge Fossati (estava com 57 anos)  
Grêmio – Silas (estava com 44 anos) 

Janeiro de 2009 (média de idade = 48,9 anos)

Flamengo – Cuca (estava com 45 anos)
Fluminense – René Simões (estava com 56 anos)
Botafogo – Ney Franco (estava com 42 anos)
Vasco – Dorival Júnior (estava com 46 anos)

Corinthians – Mano Menezes (estava com 46 anos)  
Palmeiras – Vanderlei Luxemburgo (estava com 56 anos)
São Paulo – Muricy Ramalho (estava com 53 anos)
Santos – Márcio Fernandes (estava com 46 anos)

Atlético-MG – Emerson Leão (estava com 59 anos)
Cruzeiro – Adilson Batista (estava com 40 anos)
Internacional – Tite (estava com 47 anos)  
Grêmio – Celso Roth (estava com 51 anos) 

Janeiro de 2008 (média de idade = 49,3 anos)

Flamengo – Joel Santana (estava com 59 anos)
Fluminense – Renato Gaúcho (estava com 45 anos)
Botafogo – Cuca (estava com 44 anos)
Vasco – Romário (estava com 41 anos)

Corinthians – Mano Menezes (estava com 45 anos)
Palmeiras – Vanderlei Luxemburgo (estava com 55 anos)
São Paulo – Muricy Ramalho (estava com 52 anos)
Santos – Emerson Leão (estava com 58 anos)

Atlético-MG – Geninho (estava com 59 anos)
Cruzeiro – Adilson Batista (estava com 39 anos)
Internacional – Abel Braga (estava com 55 anos)  
Grêmio – Vagner Mancini (estava com 40 anos)

2 comentários em “Elite tem a mais nova geração de técnicos desde 2008

  1. Fora os ‘coroas’ Joel Santana, hoje divertindo-se no Boavista; Celso Roth e Luxemburgo sem clube, percebe-se que um time de promessas não deu certo, frustrando expectativas.
    Pode-se colocar nesse time Adilson Batista, P.C. Gusmão, Andrade, Falcão, Nei Franco todos, salvo engano, sem trabalho em um clube de primeira linha, abrindo espaço pra revelações como Eduardo Batista, Jair Ventura e Zé Ricardo.
    Com efeito, é o futebol brasileiro optando por ir estudar na Europa em vez de ir à praia. Pelo menos para isso o placar de 7×1 serviu.

    Curtir

  2. Acho que 5 meses é uma diferença quase insignificante entre a média de idade da temporada atual com aquela verificada na temporada que inaugura a série histórica em 2008.

    Sob esta ordem de reflexão é de indagar: será mesmo o critério etário o melhor indicativo de que se está diante de uma tendência de renovação do futebol brasileiro?

    Me parece que não. E o treinador da Seleção, tido e havido, merecidamente, pela esmagadora maioria dos torcedores brasileiros ( dentre estes os jornalistas ditos especializados) como um treinador de ideias e prática modernas, tem idade que supera é bem a média apurada na postagem.

    Demais disso, inobstante a média baixa, dentre os treinadores arrolados há mais de um cujo trabalho não se inclina muito pela renovação, como por exemplo o Renato Gaúcho, o Mano Menezes, o Abel Braga, cujo trabalho ainda se desenvolve naqueles padrões clássicos do personalismo, da motivação do paternalismo etc. Sem contar que entre os verdadeiramente recém chegados na roda-viva do mister, alguns resultaram contratados ou guindados ao cargo mais pelas circunstâncias deficitárias das finanças dos clubes, do que por uma autêntica opção por uma determinada característica de trabalho, o técnico do Corinthians é um bom exemplo desta realidade. O do Flamengo também me parece estar na mesma situação. O mesmo pode ser dito do técnico do Inter. Aliás, o próprio técnico do Botafogo que realmente é uma autêntica peça de renovação teve sua chegada a este cenário como uma consequência de problemas emergenciais.

    Enfim, até acho que o futebol está se renovando mesmo, mas não essencialmente por conta da idade dos treinadores dos grandes clubes. Mas, sim, porque parece estar se disseminando a ideia segundo a qual o ofício de treinador é algo que impõe, em caráter permanente, estudo, preparo, qualificação etc. E isso não é algo que esteja ao alcance somente dos treinadores mais jovens.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s