Vitória de Pirro na república do vale-tudo

 

CjoZaGKWkAAK5v1

POR GERSON NOGUEIRA

O grande festim diabólico do golpe foi preparado com requintes de dissimulação e falsa crença na Justiça. Hoje, quarta-feira, 31 de agosto, o enterro da jovem democracia brasileira se consumou. Por ampla maioria, os responsáveis (e seus cúmplices) por este ato de lesa-pátria destituíram uma presidenta da República legitimamente eleita.

Apearam do poder uma mulher íntegra e corajosa, que jamais compactuou com corrupção ou desvios de conduta e que permitiu – como nenhum outro mandatário – a apuração de toda e qualquer irregularidade. Não compactuou, não se rendeu, não negociou com o bando chefiado por Eduardo Cunha. Acabou traiçoeiramente deposta por um consórcio representativo da plutocracia mais cruel e perniciosa do Ocidente.

Dilma Rousseff sai de cena, juntamente com os 54 milhões de votos que lhe foram desonestamente surrupiados, condenada por uma confraria de hipócritas, parte deles às voltas com falcatruas diversas. Sai sob a marca do destemor e da altivez, e merece o respeito de todos.

Aconselhada a renunciar para preservar direitos políticos, recusou-se terminantemente. Compareceu ao Senado para encarar de frente seus algozes. Coragem e dignidade a honrar até o fim o cargo máximo da República. Tenho orgulho de haver votado nela para presidente por duas vezes. Dilma não fazia o governo dos meus sonhos, tinha restrições aos rumos adotados, mas lutei à minha maneira em defesa de seu mandato e da soberania do voto popular. Democracia, afinal de contas, é isso. E democrata sempre serei.

Aos inocentes úteis que festejam essa vitória de Pirro, deixo apenas um olhar de compaixão. Só os tolos não percebem o que virá pela frente. O histórico dos conspiradores envolvidos não deixa dúvidas quanto a um futuro sombrio – não apenas pelos próximos dois anos. A maior chaga parida da trama golpista é o precedente nefasto para novas insurreições palacianas, à base de conchavos e tramoias de bastidores.

A partir de agora, fica instaurada a república do vale-tudo, na qual interesses contrariados poderão ser a motivação para que novas quarteladas sejam executadas sem qualquer prurido. Não mais com armas, como em 1964, mas pela força-tarefa que une os conglomerados da velha mídia, acumpliciados por uma Justiça subserviente aos interesses das oligarquias e dos carteis da direita sabidamente mais tacanha do hemisfério.

Aprendeu-se, ao término da ópera bufa no Senado, com declarações bizarras de voto e fanfarronices de toda ordem, que os golpes praticados em Honduras e no Paraguai constituem brincadeira infantil perto da maquinação letal dos falcões reacionários brasileiros.

Durante todo o inclemente cerco ao mandato de Dilma me posicionei diariamente, sem medo ou hesitação. Sinto-me em paz por ter cumprido o dever de cidadão esclarecido e socialmente responsável, em respeito às minhas origens e às de meu amado pai. Jamais fui omisso, como muitos que avalizaram o golpe com o seu silêncio conivente.

Confesso que alguns dos mais dolorosos embates de ideias foram travados com amigos a quem sempre respeitei, mas fiz (e faria outra vez) o que sabia ser o certo. Meu consolo é que as trapaças não duram tanto. Meu alento é que meus filhos sabem de que lado da História o pai deles está, e sempre estará, pois a luta não cessa.

Enfim, como diria mestre João Saldanha, vida que segue.

13 comentários em “Vitória de Pirro na república do vale-tudo

  1. Belas palavras Gerson. Hoje o voto de 54 milhões de Brasileiros foi jogado no lixo para atender a desejos do grupo formado por Eduardo Cunha. O STF já tinha escolhido seu lado e fez entregar Dilma ao gladiadores. Ela foi guerreira até o último momento, não renunciou pq não cometeu crime algum e veio se defender, mostrando a coragem de uma mulher digna, justa e que honra seu princípios. Parabéns presidenta Dilma, votei em ti 2 vezes e quando vier novamente como candidata meu voto será novamente seu.

    Curtir

  2. “Meu alento é que meus filhos sabem de que lado da História o pai deles está, e sempre estará, pois a luta não cessa.”

    Faço minhas as suas palavras, meu caro.

    Curtir

  3. Ao menos o PT voltará às origens que o consagraram: ser um partido de forte e ferrenha oposição, porém já tendo o tamanho de um partido grande. Talvez isso ajude o partido a se reciclar. Sai o “Tchau, querida” e entra o “Tamo Junto”.

    Curtir

  4. No impeachment do Collor, pulei de alegria, festejei bastante fui pra rua comemorar. Hoje, ceifaram todas as minhas esperanças por um país mais justos, quebraram todos os alicerces da tão esperada democracia que tanto lutei, infelizmente, somos mesmo um povo sem memória, agora, como diria Pirro “Nada é constante tudo se modifica, portanto para o homem ser feliz, basta ele não acreditar em nada, porque nada de fato é”.

    Curtir

  5. Digo: “Nada é constante tudo se modifica, o que agora é daqui a pouco pode não ser mais, portanto para o homem ser feliz, basta ele não acreditar em nada, porque nada de fato é”.

    Curtir

  6. Jaime. A fato da condenação de Dilma, não significa o fim do caso, posto que. 1. Todos os poderes derivam do povo e em seu nome será exercido, garante a CF/88, portanto, querendo, o povo pode anular este simulacro de julgamento. 2. Se o órgão máximo da justiça o STF e o CNJ, criado por Lula, para disciplinar a justiça, se mantiverem inertes, sendo o Brasil signatário de tratados internacionais, se pode invocá-los e conhecendo a moral ilibada, a coragem e o destemor da condenada Dilma, estas possibilidades serão exercidas, com os mesmos fundamentos na justiça brasileira – Honrar suas togas ou se declararem entes menores. Faço minhas as palavras de Lula “A esperança vencerá o medo”.

    Curtir

  7. Os 61 ratos bípedes que voltaram pelo impedimento da presidente o fizeram pensando em seus interesses pessoais, nas benesses que irão auferir desse governo de empulhação em termos de cargos, propinas,tráfico de influência e do produto da privataria. Mas ratos dessa espécie são traidores por natureza e logo logo vão apunhalar uns aos outros pelas costas. São figuras desprezíveis, asquerosas e canalhas. O canalha-mor, hoje enfaixado, é dissimulado, mas não escondeu em suas primeiras declarações após a consumação da usurpação do cargo de presidente da república, que seu alvo preferencial de maldades é o trabalhador. Porém, é essa classe que deverá dar o tiro que derrubará esse governo ilegítimo, formado e apoiado por salteadores do bem público e do bem maior da democracia, o voto.

    Curtir

  8. Amigo Gilberto, se estiver errado por favor corrija, quem pode tirar os ministros do STF se não estou enganado é o próprio Senado, e esse é o problema, todos estão comprometidos as delações que vieram a público recentemente, que pelo menos três ministros do STF receberam benefes, dos donos das empreiteiras denunciavas na lava jato, não me deixa acreditar mais na imparcialidade da nossa justiça. Vide o maior crápula que existe lá chamado Gilmar Mendes, a maior vergonha que nossa maior corte possa ter. Olha, desculpe-me todos, vou usar o que uma americana disse quando perguntada sobre nossa justiça. ” Eu só acredito na justiça americana.”

    Curtir

  9. O pronunciamento de Temer, o temerário, explicando a intenção de “modernizar” as regras trabalhistas foram jocosamente lidas, como quem diz “caiu nessa, otário?”… Coxinhas agora sabem porque são assim tão coxinhas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s