Cuba lidera campanha internacional contra o golpe

size_810_16_9_bandeira-cuba

POR JAMIL CHADE, no Estadão

Sem se intimidar pela reação do chanceler José Serra de criticar abertamente as declarações dos governos bolivarianos em relação aos acontecimentos políticos no Brasil, a diplomacia de Cuba faz campanha nos órgãos internacionais contra o governo interino de Michel Temer. O jornal O Estado de S., Paulo obteve com exclusividade um e-mail enviado pela missão de Cuba perante às Nações Unidas para mais de uma dezena de organismos internacionais, alertando para o “golpe” no Brasil.

Na mensagem datada de 15 de maio, o governo cubano descreve o conteúdo da declaração como sendo “sobre o golpe do Estado parlamentário e judicial no Brasil”. Em anexo, os diplomatas que abriam o documento podiam ler a declaração assinada em Havana no dia 12 de maio e já publicada que acusava Temer de ter “usurpado o poder”, apoiado pela “grande imprensa reacionária e o imperialismo”.

“Dilma, Lula, o PT e o povo do Brasil contam e contarão sempre com toda a solidariedade de Cuba”, indicou a nota, que ainda denuncia as “manobras” da “oligarquia” e a “contraofensiva reacionária”.

O e-mail com a declaração foi direcionado para altos dirigentes da Organização Internacional do Trabalho, Organização Mundial do Comércio, para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, para a secretaria da ONU, Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Organização Mundial da Saúde, União Internacional de Telecomunicações, UNAids, para o Programa da ONU para o Desenvolvimento e para o Programa da ONU para o Meio Ambiente, além de várias outras.

Também receberam a nota a Secretaria da Convenção sobre Mudanças Climáticas, a Organização da Conferência Islâmica, membros do alto escalão do governo suíço e dezenas de outros diplomatas.

O governo cubano tem como hábito fazer circular algumas das declarações assinadas em Havana por entidades. Mas pelo menos quatro dos funcionários do alto escalão da ONU que receberam o e-mail admitiram à reportagem que nunca tinham recebido uma mensagem do governo cubano.

No sábado, 14, a imprensa internacional com sede nas Nações Unidas já havia recebido a mesma declaração. As comunicações dos diplomatas cubanos com os jornalistas, porém, são frequentes. O Itamaraty enviou na sexta-feira a todos os Ministérios de Relações Exteriores de países com os quais mantém relações uma nota para informar que Dilma foi afastada em um processo que segue a lei e a Constituição.

A preocupação do governo Temer é desconstruir a versão de que houve um “golpe de Estado” no Brasil, divulgada por Dilma, por seus aliados e pelos petistas.

O Estado de S. Paulo apurou que o próprio secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon, tratou do assunto quando esteve, na quinta-feira, 12, em uma visita oficial a Portugal. Por meio de seu porta-voz, ele indicou que “confiava” que os processos democráticos no Brasil seriam respeitados.

No Parlamento Europeu, o deputado Francisco Assis indicou que a mudança de governo no Brasil não foi alvo de um questionamento “nem mesmo pela extrema-esquerda”. “Todos sabem que o Brasil não é a Venezuela.”

Respostas

Na sexta-feira, Serra havia emitido duas notas à imprensa repudiando as declarações dos países vizinhos que atacaram o processo de impeachment. Em nota, a assessoria de imprensa do gabinete criticou a União das Nações Sul-americanas (Unasul) e governos da Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua. O posicionamento inaugura a nova política externa do governo Michel Temer.

No mesmo dia, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou, durante a reunião do Conselho de Ministros, que solicitou o retorno a Caracas do embaixador venezuelano no Brasil, Alberto Castellar, em razão do afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Um dos alvos das críticas feitas pelo Itamaraty é o secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper, que, segundo comunicado, qualificou de maneira equivocada o funcionamento das instituições brasileiras. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo apurou, foi o presidente em exercício Michel Temer que aprovou a decisão de Serra de manifestar repúdio às críticas.

‘New York Times’ elogia Dilma e prevê dias piores após impeachment

size_810_16_9_dilma-rousseff-discursa-apos-ser-afastada-do-cargo-em-12-05

Após o Senado determinar o afastamento da presidente Dilma Rousseff por até 180 dias, o jornal The New York Times publicou nesta sexta-feira um editorial sobre a crise política, dizendo que as coisas podem ficar ainda piores no Brasil. O texto se inicia dando destaque à fala da presidente na qual ela diz que pode ter cometido erros, mas não crimes. Mesmo pontuando que essa declaração é passível de debate, o NYT afirma que Dilma tem razão em questionar os motivos por ter sido afastada.

Apesar de criticar as habilidades políticas e de liderança da petista, o jornal deixa claro que não há contra ela evidências de enriquecimento pessoal ilícito, “enquanto muitos dos que orquestram sua saída são acusados em um grande esquema de corrupção e outros escândalos”. Ainda nesse sentido, o artigo cita que Michel Temer, presidente em exercício, poderia se tornar inelegível por 8 anos, já que o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, condenou o peemedebista por violar limites financeiros de campanha.

Democracia frágil

O editorial aponta que o Brasil vive sua pior recessão desde 1930 e que os rumos que a administração do país tem tomado podem prejudicar ainda mais uma democracia tão jovem. Além disso, é dada ênfase para o fato de que as “pedaladas fiscais”, das quais Dilma é acusada, foram cometidas por outros chefes do Executivo brasileiro, sem que esses enfrentassem processos de impedimento.

Quanto ao futuro do impeachment, o jornal americano afirma. “Se o Senado condenar Rousseff por má conduta financeira, o que é provável dado que 55 dos 81 senadores votaram para levá-la a julgamento, os políticos podem achar mais fácil voltar à política usual, de pagar para participar. Isso seria indefensável”. Para finalizar, o texto indica que os senadores que desejam tirar Dilma definitivamente do poder devem se lembrar de que ela foi “eleita duas vezes e de que o PT ainda tem um apoio considerável, especialmente entre os milhões que saíram da pobreza nos últimos 20 anos”. (Da Exame)

Operário tem desfalques para enfrentar o Papão

Em crise pela sequência de derrotas e rebaixado para a segunda divisão paranaense, o Operário-PR terá duas baixas para o jogo contra o Paissandu, amanhã. O lateral direito Danilo Baía, suspenso, cede a vaga para Alessandro e o atacante Juba, lesionado, deve ser substituído por Rafinha. O técnico Gerson Gusmão deve escalar o seguinte time para o duelo com os bicolores: Juninho; Alessandro, Douglas Mendes, Juan Sosa e Peixoto; Chicão, Lucas, Serginho Paulista e Washington; Rafinha e Lucas Batatinha.

Papão terá a volta de 5 titulares contra Operário

abc0ad7b-81d4-4ba4-bd7f-0889607dc247

O Paissandu terá de volta contra o Operário-PR, nesta terça-feira (19h15), pela Copa do Brasil, jogadores titulares que não puderam atuar contra o Ceará na abertura da Série B. Ricardo Capanema, Augusto Recife, Celsinho, Leandro Cearense e Fabinho Alves já estão à disposição do técnico Dado Cavalcanti.

Na manhã desta segunda-feira, o técnico ministrou treinamento no CT da Graciosa, que pertence ao Coritiba. Em seguida, a delegação viajou para Ponta Grossa. Provável escalação do Papão: Emerson; Ronieri, Gualberto, Lombardi e João Lucas; Capanema, Augusto Recife, Celsinho e Rafael Costa; Leandro Cearense e Rafael Luz. (Foto: MÁRIO QUADROS) 

Nervos de aço

8976bfab-3625-4ca1-b2a8-00d47e16a7fb

POR GERSON NOGUEIRA

Sem fazer uma grande exibição, o Papão arrancou empate com sabor de vitória na Arena Castelão e garantiu uma estreia de bom tamanho no Brasileiro da Série B. As muitas modificações comprometeram a evolução e a organização da equipe diante de um adversário tradicionalmente difícil de ser batido em seus domínios. Foi necessário, no fim das contas, mostrar nervos de aço para evitar uma derrota que parecia certa.

Depois de um primeiro tempo equilibrado, a defesa alviceleste sofreu um apagão drástico no começo da etapa final e permitiu dois gols em três minutos. A desvantagem atiçou o Ceará, que teve chances de ampliar o placar. Aos poucos, o Papão foi se recompondo e ganhando força para a reação viria nos minutos derradeiros.

Pode-se afirmar, sem erro, que a arrancada final para o empate evidenciou a qualidade técnica do grupo de jogadores à disposição do técnico Dado Cavalcanti, com destaque na partida para o estreante Rafael Costa e o volante Lucas, autor dos gols bicolores.

Contribuiu para um desfecho positivo a firme determinação do time em buscar o gol. Manteve-se persistente mesmo quando o marcador era desfavorável. Série B é uma competição que exige arrojo, disciplina e confiança no próprio taco.

A partir dos 20 minutos, quando ficou visível a queda de rendimento físico do Ceará, agravada pela saída do bom Serginho, substituído por Tomás Bastos, o Papão cresceu em dinâmica – já com Jonathan em campo e posicionado quase que como um terceiro atacante – e passou a encurralar o adversário em seu próprio campo.

Mais interessado em se defender e explorar o contra-ataque, o Ceará cometeu o erro crasso de ceder espaço ao visitante. Foi por aí que Dado conseguiu fazer o Papão crescer no jogo, indo ao ataque sem desguarnecer o sistema defensivo e superando até mesmo as eventuais dificuldades de entrosamento pela presença de novos jogadores.

Rafael Costa, jogando na faixa normalmente ocupada por Celsinho, mostrou autoridade e conhecimento da função. Aproximou-se também de Alexandro, buscando colocá-lo em condições de finalização, e se movimentou muito para criar alternativas ofensivas. Para uma estreia, jogou mais que a encomenda, deixando claro que chegou para ser titular.

Alexandro, apesar do esforço, desfrutou de poucas oportunidades, mas não comprometeu. João Lucas foi bem quando executou cruzamentos, porém teve fraca participação no setor defensivo.

Por outro lado, Lucas foi um nome de importância decisiva no confronto. Marcou o gol de empate em cabeceio cruzado de cima para baixo, sem chances para o goleiro. No lance do empate, aos 44 minutos, mostrou desembaraço de atacante de área. Atento ao intenso bate-rebate, aproveitou o rebote para mandar a bola para as redes. É outro que carimbou a caderneta da titularidade, seja no meio ou na lateral esquerda.

Pela produção dos times em estreia de campeonato, o resultado foi inteiramente justo, mas as falhas da defesa paraense que permitiram os gols do Ceará precisam ser cuidadosamente analisadas e corrigidas. Um campeonato normalmente difícil não pode ser comprometido por descuidos primários como se viu naqueles três minutos iniciais do segundo tempo.

————————————————–

Lucas e Costa, os melhores

Lucas e Rafael Costa foram os melhores no Papão. O primeiro pelos gols e a participação intensa tanto na cobertura da defesa quanto nas ações ofensivas. O segundo pela articulação e capacidade de finalização.

No Papão, o lado negativo ficou com a zaga (Lombardi, principalmente) bateu cabeça e quase pôs tudo a perder com o incrível apagão de três minutos.

No Ceará, destaque para Serginho e Assisinho

————————————————–

De olho na Série C, Leão goleia bragantinos

Quem foi ao Mangueirão na manhã de domingo ficou bem impressionado com a movimentação de Brinner, Fernandinho e Michel Schmoller, que já passou pelo Remo há dois anos. Héricles (ex-Gama) entrou depois e marcou gol, mostrando desenvoltura.

São reforços que podem emplacar e ajudar na campanha da Série C. Mas é preciso considerar que o adversário, um combinado bragantino, não criou maiores obstáculos à goleada azulina.

Marcelo Veiga havia pedido três amistosos para movimentar o time antes da estreia no Brasileiro. Teve que se contentar com o de ontem. É pouco para montar e testar um time bastante modificado em relação ao que disputou o Parazão e a Copa Verde.

—————————————————

As primeiras impressões

A Série A começou com a esperada supremacia dos mandantes (Palmeiras, Coritiba, Flamengo, Santa Cruz) e algumas verdades já ficaram bem expostas na primeira rodada.

O Botafogo vai mesmo brigar para não cair. Equilibrou o jogo com o São Paulo no Rio, mas não teve força para decidir quando houve chance, mais ou menos como nas finais do Carioca. E voltou a padecer com falha de goleiro. Desta vez, Elton Leite acabou entregando a rapadura.

Já o Santa Cruz voltou à elite atropelando o Vitória, empurrado por sua vibrante torcida e amparado no entrosamento de um time montado no ano passado. Grafite é a referência no ataque, ajudado por Keno.

Na Segunda Divisão, o Vasco abriu a campanha em alto estilo. Sapecou 4 a 0 no Sampaio dentro de São Luís. Claro está que o campeonato terá apenas três vagas de acesso.

(Coluna publicada no Bola desta segunda-feira, 16)

Jorge Furtado: ‘Corrupção era desculpa esfarrapada para o golpe’

images-cms-image-000497286

POR JORGE FURTADO

Estou em Portugal, filmando. As pessoas com quem conversei por aqui sobre o Brasil nem entendem a dúvida que alguns por aí tem sobre o golpe no Brasil. Para eles trata-se evidentemente de um golpe parlamentar, como os que sofreram Honduras e Paraguai.
O ministério de Temer é tão ruim quanto se esperava, criminosos investigados pela polícia em busca de forum privilegiado, derrotados nas urnas, medíocres sem voto, picaretas variados.
O fim do Ministério da Cultura é um retrato da mediocridade nacional. Com a falência dos partidos, a cultura, as questões raciais e de gênero, são a nova política, não é a toa que foram exatamente as áreas atacadas pelo golpista Temer.
A corrupção, agora ficou claro aos mais tolos, era mesmo só uma desculpa esfarrapada para o golpe, com Homero Jucá, Padilha e outros picaretas no governo.
Por falar em picaretas, já descobriram quem é o Michel que recebeu 5 milhões de propina?