Campeão com méritos

39178fcc-ff9d-4d77-96d0-f2a612ff97a3

POR GERSON NOGUEIRA

A decisão da terceira edição da Copa Verde finalmente fez pender a balança para as cores do Pará. Depois de bater na trave duas vezes, em 2014 e 2015, o futebol papachibé chegou ao título através do Papão, ontem à noite, em Brasília. Os bicolores não realizaram um grande jogo, mas asseguraram o resultado que convinha, a partir da vantagem (2 a 0) imposta no primeiro confronto em Belém.

O confronto foi mais difícil do que se previa. Muito mais pelas hesitações do Papão em buscar o gol – e um surpreendente pânico que se abateu no segundo tempo – do que propriamente por méritos do Gama.

Tudo o que se falava sobre a campanha meritória dos bicolores na competição, ultrapassando adversários com relativa facilidade, não se confirmou na partida realizada no estádio Bezerrão.

E as coisas começaram bem favoráveis ao time paraense. Mais encorpado taticamente e com o lado emocional em ordem, o Papão pisou em campo na condição de franco favorito à conquista da Copa Verde. Bastava fazer um jogo de espera, explorando os espaços concedidos pelo Gama.

Nem foi preciso esperar tanto por isso. Logo aos dois minutos, Raí deu ao Papão a excepcional vantagem de 3 a 0 no placar agregado e deixou o limitadíssimo Gama com a hercúlea obrigação de fazer quatro gols para reverter a situação.

A partir daí, o Papão se sentiu à vontade para ditar o ritmo da partida, jogando em cima dos muitos erros do Gama, que optou por um 3-5-2 mal ensaiado e não conseguia agredir a zaga paraense. A equipe de Dado Cavalcanti só saía quando a situação não representava risco e controlava bem as tentativas do adversário.

A correta expulsão do jogador Raoni aos 25 minutos tornou o jogo ainda mais tranquilo. Sem qualquer pressa, o Papão se dedicava a tocar a bola para os lados e a concentrar as ações no meio de campo, visivelmente desinteressado quanto à dilatação do marcador.

Com isso, o primeiro tempo foi ficando enfadonho e arrastado. Quase deu sono, até mesmo nos bicolores mais entusiasmados diante da iminência de mais uma conquista importante.

Ocorre que final de competição não pode ser medida pela exuberância técnica ou pelo equilíbrio entre os times. Vale mesmo a emoção colocada a serviço de um objetivo; vale a entrega de cada jogador em busca do resultado almejado. O Papão jogava com esse sentimento, mas faltava um quê de volúpia pelo gol, a fim de ampliar o placar e liquidar definitivamente com as possibilidades do time candango.

Como se quisesse dar à final um gostinho mais emocionante, o Papão se esmerou em erros no segundo tempo, aceitando a pressão desordenada do Gama e correndo riscos desnecessários. Ao tentar escapadas em contra-ataque, faltava sempre caprichar no último passe e Leandro Cearense deixou passar pelo menos duas belas chances de anotar o segundo gol.

A entrada de Rodrigo Andrade no lugar de Raí e atuações fracas de Celsinho, Cearense e Rafael Luz também comprometeram as articulações do time. Isso levou Dado a sacrificar o setor de criação depois da expulsão de Capanema, substituindo Luz por Paulinho. Diga-se, sem qualquer melhoria de rendimento.

Quando o jogo parecia mais morno, o Gama partiu para tentar uma reação. É verdade que já vinha pressionando muito, mas sem objetividade. Mas, depois da exclusão de Capanema, o time cresceu e, aos 28 minutos, Rafael Grampola empatou. Curiosamente, um minuto antes, Cearense perdeu o gol mais feito da noite, chutando para fora.

Três minutos depois, o árbitro enxergou pênalti em jogada limpa de Ronieri. Grampola foi lá e desempatou, botando fogo na decisão. O Gama precisava de mais dois gols para ser campeão e se lançou à frente com fúria e desespero.

Por cansaço e má pontaria dos atacantes brasilienses, o placar ficou mesmo em 2 a 1. A zaga bicolor ainda bateu cabeça nos instantes finais, mas não havia mais tempo para nenhuma surpresa.

Com méritos (pela campanha), o Papão levantou a taça e encheu de alegria metade da população paraense pela taça e também pela vaga conquistada na Copa Sul-Americana de 2017. Mas, tirando o lado da euforia, a atuação do time deixou a desejar e motiva preocupações para a disputa da Série B.

————————————————–

Dado garante dois títulos em três dias

Dado Cavalcanti, tão torpedeado há um ano, depois de perder a decisão do Estadual e ser eliminado da Copa Verde para o rival, tem seus méritos plenamente reconhecidos agora com o título do torneio interestadual somente três dias depois de levantar o caneco do Parazão.

Aos 34 anos, o técnico afasta as cobranças por títulos, ostentando um cartel respeitável nesta primeira temporada à frente do Papão. Em 79 jogos, foram 40 vitórias, 19 empates e 20 derrotas. Sob seu comando, o time marcou 125 vezes.

————————————————-

Briga de gangues atrapalha festa bicolor

Showzinho dantesco de gangues uniformizadas brigando ao final da partida no campo do Bezerrão só não foi mais grave porque a polícia agiu rápido. Houve risco de repetição das cenas bárbaras da decisão do campeonato alagoano, domingo, em Maceió.

Terrível mesmo foi o comentário do narrador dizendo que a briga só não virou tragédia porque as “torcidas são aliadas”. Ora, ora, desde quando desordeiros de arquibancada têm aliados?

(Coluna publicada no Bola desta quarta-feira, 11)

O impedimento venceu, mas o golpe foi derrotado

http-fotospublicas.s3.amazonaws.com-wp-content-uploads-2016-05-RR_contraimpeach_fogopracadabandeira_20160510_010714-e1462911695969

POR WANDERLEY GUILHERME DOS SANTOS

Não há reversibilidade possível no processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff. O atual Supremo Tribunal Federal não tem coesão para tanto ousar, declarando inconstitucional a decisão iniciada pela Câmara dos Deputados e completada pelo Senado Federal. Os fundamentos da acusação à presidente são precários, a sentença é notoriamente desproporcional, mas a convergência de conspirações entre agentes econômicos, maiorias parlamentares conservadoras, ressentimentos de ricos e remediados, com a liga propiciada pelo oligopólio dos meios de comunicação, historicamente antidemocráticos, alcançou eficácia inédita na contra-história golpista brasileira.

Em vão a tonelada de argumentos e evidências da insustentabilidade de processos em que maioria decide que 2 e 2 são 5 porque ela assim quer. O impedimento se deu porque a maioria assim o quis. Qualquer objeção jurídica ou lógica à decisão é pura perda de tempo.

Por isso o golpe fracassou. As sucessivas ilegalidades da força-tarefa da Lava-Jato, com prisões injustificadas, humilhações de investigados, difamações, tortura psicológica de presos, vazamentos operados com oportunismo, incansável repetição de incriminação e degradação de investigados ou mesmo réus em curso de julgamento, linguagem virulenta de procuradores, policiais federais e Procurador-Geral da República, cultivando hostilidade e ódio na opinião pública e, finalmente, o apelo dos homiziados de Curitiba aos movimentos sociais conservadores e mídia golpista para continuado apoio, esquecendo as instâncias judiciárias e de outros poderes a que estão subordinados, substituiu a indumentária de cavaleiros pelo restabelecimento da moralidade pelo descarado uso da força bruta, e só ela, contida nas leis. Não há salvação: Michel Temer é um usurpador e seu governo não deve ser obedecido.

Não deve e não o será. O golpe fracassou socialmente e o usurpador só governará mediante violência física, repressão sem disfarce. Ou a sublevação social pela democracia é submetida pela força (e aí o golpe, finalmente, será vitorioso), ou a coerção servirá de combustível à sublevação. Então, de duas uma: ou Michel Temer renuncia e o STF convoca novas eleições ou as forças armadas intervirão.

Fla sonha em receber dinheiro da venda do Brocador

hernane-flamengo

A decisão final sobre o caso Hernane Brocador deve sair finalmente no próximo dia 27. O Flamengo espera receber de R$ 12 a R$ 14 milhões pela venda do atacante. O clube negociou o atleta em agosto de 2014, com o Al Nassr, da Arábia Saudita, mas ainda não recebeu nem sequer um centavo dos árabes. A Corte Arbitral do Esporte (CAS) já julgou o caso, mas não divulgou a decisão final. Não há, também, previsão de quando os árabes poderiam pagar a dívida.

Com a desvalorização do real, a transação que, na época, seria de cerca de R$ 13,6 milhões chegou na casa dos R$ 20 milhões. Como o Flamengo tinha 50% dos direitos econômicos de Hernane, o clube receberia a metade desta quantia. Entretanto, existe uma multa – mantida em sigilo – e juros de 5% ao ano. Dessa forma, o Rubro-Negro trabalha com a possibilidade de receber um montante em torno de R$ 12 e R$ 14 milhões. (Com informações do Lance!)

Técnico do Gama prega mudança de postura

“Primeiro a gente tem que mudar a postura, né? Nós esperamos demais eles (Paysandu), pagamos caro por isso. Eu acho que é uma equipe muito bem trabalhada, com jogadores de bastante qualidade, mas dentro de campo nós temos que dar algo mais porque nós estaremos jogando em casa com a torcida do nosso lado. Esperamos que eles (torcida) possam comparecer e nos ajudar, contamos com a ajuda deles. Mas nós temos que fazer a nossa parte, procurar o gol sempre e tomar cuidado para não tomar o gol porque a gente tem uma diferença grande que pode se tornar curta. Se a gente conseguir fazer o gol no primeiro tempo fica difícil pra eles”.

Palavras de Gueldini, novo técnico do Gama, sobre a decisão da Copa Verde. 

PF detém mulheres que vaiaram tucanos em avião

CiHRcKQXAAAjzHG

Agentes da Polícia Federal detiveram no começo da tarde desta terça-feira em avião da TAM um grupo de 73 mulheres, representantes da Bahia na Conferência Nacional de Política para as Mulheres, por vaiarem os deputados federais Jutahy Magalhães e Tia Heron, apoiadores do golpe contra a presidente Dilma Rousseff. Aos gritos de “Não vai ter golpe!”, as mulheres foram revistadas e conduzidas, em grupos de 10, para prestarem depoimento no próprio aeroporto de Salvador. O voo se dirigia a Brasília.

pf-tam

As mulheres foram acusadas de proclamar palavras de ordem contra os deputados Jutahy Magalhães (PSDB-BA) e Tia Eron (PRB-BA). As mulheres ficaram cerca de uma hora trancadas dentro do avião, por determinação do comandante do voo, até que a PF chegasse.

Em relato antes da entrada dos agentes da PF dentro do avião, a deputada Moema Gramacho (PT-BA), denunciou a arbitrariedade. “Parece que eles só vão liberar após fazer uma acareação para nos identificar, nós, a delegação de mulheres da Bahia, que puxaram palavras de ordem contra os golpistas que estão neste voo agora. Portanto, é uma arbitrariedade, não sabemos o que vai acontecer”, afirmou Gramacho.

CiHM5W1WEAAg5uF

A repressão está de volta. Tristes tempos.

Camisa 13: Papão domina a seleção do Parazão

Saiu a seleção do Campeonato Paraense 2016 escolhida pelo voto direto dos torcedores na tradicional premiação do Troféu Camisa 13, da RBATV.

Os jogadores mais votados foram os seguintes:

c8275b7c-b5b9-41af-ae3e-2c41fd14f685

Emerson (PSC), 4.322 votos

Levy (Remo), 4.354 votos

Lombardi (PSC), 3.965

Max (Remo), 2.794

Edinaldo (Águia), 2.526

Capanema (PSC), 2.781

Augusto Recife (PSC), 5.395

Celsinho (PSC), 3.936

a4dbffb6-5858-4bdc-a76e-447a534ce171

Eduardo Ramos (Remo), 3.772

Ciro (Remo), 3.138

Betinho (PSC), 3.365

Craque – Emerson

Revelação – Samuel (S. Francisco)

9b4cffb5-4bb8-48f4-a7ae-03f4b19e56b7

Técnico – Dado Cavalcanti

Artilheiro – Jefferson Monte Alegre (S. Raimundo)

Campeão do Interior – S. Francisco

Árbitro – Andrey da Silva e Silva

(Fotos: MÁRIO QUADROS)