Para mentor, Oliveira precisa ser “mais estressado”

HEULER ANDREY/AGIF/GAZETA PRESS

Marcelo Oliveira Cruzeiro Atletico-PR Campeonato Brasileiro 30/05/2013
Marcelo Oliveira não costuma se estressar, mas vai precisar, aconselha mentor

Nesta quinta-feira, Marcelo Oliveira deve ser confirmado como novo treinador do Palmeiras. De cara, o ex-técnico do Cruzeiro já recebe um aviso de seu mentor: para aguentar a enorme pressão no Allianz Parque, terá que deixar de lado o jeito pacato e virar um cara mais “estressado”, mais “nervoso”, mais “acelerado”.

É o que ensina Jair Picerni, ex-comandante do próprio “Verdão” e amigo de longa data de Marcelo Oliveira, que foi seu auxiliar no Atlético-MG, em 2004.

“Enquanto eu falava um monte de palavrão e apelava com os caras, ele nunca levantou a voz pra ninguém, nem falou nenhuma besteira. É um cara fantástico, muito calmo e bom demais”, conta Picerni, em entrevista ao ESPN.com.br.

“Torço muito por ele, mas vou dar um conselho: para aguentar o Palmeiras, ele precisa ser mais estressado, mais estourado, ter o coração mais nervoso (risos). Lá no Palestra tem que ser assim, falo por experiência própria. Precisa acelerar um pouquinho mais”, ressalta.

Oliveira, que anteriormente havia sido comentarista de TV na Rede Minas, era o homem responsável por preparar

relatórios sobre os adversários, sempre baseados em estatísticas, para Picerni. Eles trabalharam juntos até o comandante ser mandado embora, em outubro daquele ano.

Marcelo ficou nas categorias de base do “Galo” até 2007, quando saiu para se aventurar pela primeira vez como técnico, no CRB. Retornou ao Atlético-MG em 2008, como interino, e depois passou por Ipatinga, Paraná e Coritiba, clube que o tornou nacionalmente famoso após chegar duas vezes seguidas à final da Copa do Brasil.

Na sequência, teve passagem ruim pelo Vasco antes de chegar ao Cruzeiro, onde se consagrou como um dos técnicos top do futebol nacional, após conquistar o bicampeonato do Brasileirão, além de um Mineiro, com o clube celeste.

Oliveira acabou demitido em 2 de junho, após resultados ruins no Brasileiro e na Libertadores, sendo substituído por Vanderlei Luxemburgo. Com a demissão de Oswaldo de Oliveira no Palmeiras, acabou contatado para assumir a equipe alviverde, refazendo a parceria de sucesso com o diretor de futebol Alexandre Mattos, também bicampeão no Cruzeiro.

“É um cara fantástico. Sempre trabalhou sério e soube esperar a vez dele. Torço para que tenha muito sucesso no Palmeiras”, finaliza Picerni, hoje desempregado. (Da ESPN)

2 comentários em “Para mentor, Oliveira precisa ser “mais estressado”

  1. Tem gente que ainda acha, que para se impor e preciso gritar, menosprezar, falar palavroes, etc… Isto e tipico de treinadores/jogadores mal educados, sem formacao, que mal concluiram o primeiro grau de ensino, parece que precisam ser autoritarios para serem respeitados. Te dizer! E por isso, que os europeus estao anos na nossa frente, basta ver os jogos de suas ligas.

    Curtir

  2. Cá pra nós, a imprensa lá de fora fala tanto em dá aos técnicos tempo maior pra eles se desenvolverem, mas basta um time desses ter um resultado negativo, que já ficam amadurecendo a queda deles

    O Cuíca, coitado, penou na mão deles, até que caiu.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s