Maldição da “amarelinha” castiga técnicos veteranos

622_959deb7c-3c3d-38f1-a2f0-677e4ea75e10

Não está fácil a vida dos ex-treinadores da seleção brasileira.

Tirando Dunga, todos os homens que comandaram a equipe canarinho nos últimos 25 anos estão atualmente desempregados ou aposentados. O último foi Vanderlei Luxemburgo, “professor” da seleção entre 1998 e 2000, que foi demitido do Flamengo na última segunda-feira.

A lista começa em Sebastião Lazaroni, comandante do Brasil na Copa do Mundo de 1990. Aos 64 anos, seu último time foi o Qatar SC, do Catar, no qual o treinador ficou entre 2012 e 2014. Desde então, está sem emprego.

Após a saída de Lazaroni, assumiu Paulo Roberto Falcão, que nunca mais comandou uma equipe desde sua saída do Bahia, em 2012. Ele foi sucedido na seleção pelo interino Ernesto Paulo, outro que está desempregado, após passagem pelo América-RJ, em 2014.

Teve início, então, a passagem de Carlos Alberto Parreira pelo time nacional, com a conquista do tetra em 1994. Ele ainda teve mais um período na equipe verde e amarela, entre 2003 e 2006, no qual viveu o fiasco do Mundial da Alemanha. Atualmente, está desempregado após o humilhante 7 a 1 na Copa do Mundo de 2014 – ele atuou como coordenador técnico na competição. Seu último clube foi o Fluminense, em 2009. Já sua última seleção foi a África do Sul, entre 2009 e 2010.

Após Parreira, o técnico foi Zagallo, entre 1994 e 1998. Ele está aposentado do futebol desde 2006, quando encerrou sua passagem como coordenador da seleção. Seu último time foi o Flamengo, ainda em 2001.

O “Velho Lobo” deu lugar a Vanderlei Luxemburgo, demitido pelo Fla na segunda. Depois de Luxa, Candinho foi treinador por apenas um jogo. Hoje, ele não é mais treinador, já que trabalha como gerente de futebol da Portuguesa.

Na sequência, Emerson Leão foi o nome escolhido pela CBF. Ele ficou na seleção entre 2000 e 2001, sem sucesso. Hoje, é mais um que está desempregado. O último clube que comandou foi o São Caetano, em 2012.

Leão foi sucedido por Luiz Felipe Scolari, que ganhou a Copa do Mundo da Coreia do Sul e Japão, em 2002. Felipão retornou ao comando em 2013, ganhando a Copa das Confederações no mesmo ano, mas foi demitido da equipe canarinho em 2014, após o Mineirazo. Depois disso, comandou o Grêmio, mas foi demitido na semana passada.

Entre 2006 e 2010, após o fim da segunda “era Parreira”, Dunga foi o treinador. Ele foi recontratado pela CBF em 2014, e atualmente é o único dessa seleta lista de técnicos que ainda está em atividade.

Entre as duas passagens de Dunga, Mano Menezes ainda treinou o escrete nacional entre 2010 e 2012, saindo para a entrada de Felipão. A última equipe que Mano comandou foi o Corinthians, até o final do ano passado. Desde então, aguarda uma oferta para voltar ao futebol. (Da ESPN)

2 comentários em “Maldição da “amarelinha” castiga técnicos veteranos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s