Jogando como nunca, perdendo como sempre

unnamed (2)

Por Gerson Nogueira

A sina mexicana se confirmou novamente neste Mundial. Os jornais do país já têm esse título acima impresso de véspera quando a seleção chega às oitavas de final. Não foi desta vez que a maldição se desfez. Como todas as vezes, nos últimos mundiais, o México chega com grande estardalhaço, torcida fazendo festa e sai quando começam as jornadas decisivas. Ontem, diante da favorita Holanda, o México estava com a vitória na mão até 43 minutos do segundo tempo. Não jogava bem, apenas se defendia.

Seu melhor momento na Arena Castelão aconteceu no primeiro tempo, quando Giovani dos Santos envolvia a marcação holandesa com muita habilidade. Nem bem começou a segunda etapa e o camisa 10 marcou o gol mexicano disparando da entrada da área, sob pressão direta de dois grandalhões da defesa adversária.

Com a vantagem no placar, o espalhafatoso técnico Miguel Herrera resolveu recuar o time e garantir o resultado. Estratégia de alto risco quando o adversário tem jogadores qualificados, como Robben e Sneijder.

A primeira providência de Herrera foi tirar Giovani, justamente seu jogador mais cerebral. Preferiu botar mais um volante com funções defensivas. Começava ali a ruir a classificação mexicana. Até a Holanda sentiu que os ventos passavam a soprar favoravelmente.

Meio no desespero, o holandês Van Gaal avançou o time, mas antes cometeu uma miguelada. Tirou o craque Van Persie para usar a altura de Huntelaar nas jogadas aéreas. Um lance miraculoso evitou o empate antes dos 20 minutos. Bola bateu na cabeça do milagreiro goleiro Ochoa e beijou a trave.

Mas nos instantes finais, sob cerco total, a defesa do México entregou o ouro. Huntelaar desviou bola para trás, servindo a Sneijder, que disparou uma bomba para empatar aos 43. Jogada tipicamente desenhada em treinos, coisa que Van Gaal cultiva com esmero.

Quatro minutos depois, quando todos já se preparavam para a prorrogação, Robben mudou o rumo da prosa.

Num pique impressionante, arrancou pelo lado direito e driblou um marcador dentro da área. Na sequência, esperou e recebeu o pisão de Rafa Márquez. Pênalti, convertido por Huntelaar. A infração foi menos acintosa que a outra sofrida pelo próprio Robben no primeiro tempo, mas ignorado pelo árbitro português.

Lições de uma Copa surpreendente e rica em alternativas, como deve ser um grande torneio de futebol. O fato é que, apesar da covardia tática de Herrera e da atuação inconstante da Holanda, as duas seleções realizaram  um dos melhores e mais equilibrados confrontos da Copa.

————————————————————

Sem mexicanos, Copa fica menos musical

A saída do México tem uma importante consequência no ambiente da Copa: representa uma diminuição da intensidade do ruído nos estádios. A torcida exerceu um papel importantíssimo na caminhada da seleção no torneio. Não só pelos decibéis que atingia na cantoria de incentivo ao time, mas pela presença nas ruas e em frente aos hotéis onde o escrete se hospedava.

Acompanhei isso de perto às vésperas do jogo entre Brasil e México, em Fortaleza. Lojas, bares, praias e praças viviam cheias da alegre torcida mexicana. Até um transatlântico ficou ancorado em frente à cidade, hospedando mais de 3 mil torcedores.

Dentro do estádio, a massa mexicana se multiplicava pela força dos hinos e provocações. Nenhuma outra seleção tinha um repertório tão bem ensaiado de cantigas apropriadas para o evento. Essa vocação tem uma explicação: a maioria dos torcedores é acostumada a ir a campo torcer por seus clubes. Como o Brasil não é um destino caro, conseguiram viajar e ter acesso aos jogos.

No mesmo nível do time, fizeram um bom papel na Copa e deixarão saudades.

————————————————————

Felipão tenta substituir o melhor volante

Como substituir o melhor volante do time? Esta é seguramente a maior dor de cabeça de Felipão nesta semana. Além das condições físicas de Neymar, que levou várias sarrafadas contra o Chile, o técnico da Seleção Brasileira precisa arranjar alguém para o lugar de Luiz Gustavo, suspenso.

Paulinho, que caiu em desgraça na primeira fase da Copa, pode ser reabilitado. Henrique, preferido de Felipão como suplente dos zagueiros, pode ser utilizado emergencialmente. Hernanes, que fez excelente temporada na Itália, corre por fora. Ramires, que tem entrado sem fazer diferença, é outro. Fernandinho deve ser mantido como segundo volante, apesar da atuação apagada diante dos chilenos.

A preocupação em proteger a linha de zagueiros faz sentido. Mais do que o Chile, a Colômbia tem um ataque poderoso, que funcionou bem em todos os jogos e conta com estupendo camisa 10: James Rodriguez, artilheiro da competição e autor de dois gols primorosos.

Todas as providências são necessárias para que o Brasil não venha a sofrer ainda mais do que contra o Chile. Aliás, o susto nas oitavas talvez seja a melhor coisa que poderia ter acontecido a Felipão e sua comissão técnica.

Serviu para mostrar que a confiança cega no grupo da Copa das Confederações pode ser traiçoeira, até porque há uma significativa diferença de rendimento em relação à campanha do ano passado. A realidade impõe mudanças.

————————————————————

Penalidades liquidam com teoria conspiratória

A dificílima classificação brasileira nas oitavas acaba de vez com as teorias conspiratórias quanto a um suposto esquema para facilitar a conquista do hexa. Os paspalhos que disseminam essa história terão que explicar agora como os manipuladores não previram a lotérica decisão nas penalidades.

A não ser que apareça algum descerebrado para afirmar que os chilenos perderam aqueles pênaltis de propósito.

————————————————————

Costa Rica sofre, mas consegue avançar

Depois de atropelar dois campeões mundiais, esperava-se da Costa Rica uma atuação digna de um favorito contra a sofrível Grécia. Sem a organização dos outros jogos, a equipe centro-americana que vestiu a roupa de zebra do Mundial se mostrou acanhada diante dos gregos.

Até mesmo Brian Ruiz custou a achar espaço, atrapalhado pela dura marcação grega. Fez um gol de categoria, mas depois mergulhou na mesmice do resto da equipe. A perda de um jogador por expulsão fez com que a Costa Rica passasse o segundo tempo como a velha Costa Rica de sempre, acuada e tímida.

Sofreu o empate nos instantes finais, mas se salvou na cobrança de penalidades. Ficou, porém, a sensação de que o gás está no fim.

———————————————————–

O perigo da incompetência com iniciativa

Uma frase do casseta Marcelo Madureira, pós-jogo com o Chile, merece registro: Hulk é mais perigoso para o Brasil do que para os adversários, pois é o incompetente com iniciativa. A conferir.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 30)

25 comentários em “Jogando como nunca, perdendo como sempre

  1. rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsr exatamente, Hulk é na copa 2014 o trombador, musculoso e esforçado sem nenhuma técnica Serginho Chulapa da Copa 82. E por mais coincidência o Treinador Felipão é na Copa 2014 o teimosão mantedor do Hulk de titular igual Tele Santana na copa 82 que manteve Chulapa até o fim. De todas as coincidência negativas com Hulk e Chulapa, as únicas que eu quero que não ocorram é na semifinal de 82 contra a Itália do Paulo Rossi, onde Chulapa foi o melhor “jogador” da Italia, não fazendo nada em campo pela seleção brasileira e ainda tirou dos pés do Zico, o gol no segundo tempo que seria certamente o da classificação porque o Brasil jogava pelo empate e estava 1×1, quando sobrou uma bola livre livre para Zico dentro da área, sozinho com Dino Zoff, na hora do arremate, apareceu chulapa numa velocidade incrivel, e como se fosse um Zagueiro italiano, intercptou a jogada, não deixou a bola chegar nós pés do Zico, e deu um chutão para fora. Alí se foi a classificação do Brasil. Por isso acho que uns 2 amerelinhos para Hulk seria um enorme reforço para a seleção brasileira. Vish!!!! mais aí ja tem outra coincídência do caraca, porque Hulk apesar de entrar com rigor nas jogadas, não leva sequer um amarelo. Chulapa, também mesmo o Brasil inteiro torcendo para ele levar um vermelho na primeira fase e não jogar os mata mata, o cara não levou um amarelo sequer e jogou todas as partidas. Credo!!!!!!rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsr

    Curtir

  2. Estou torcendo para que o Hulk siga como titular, afinal, não quero ver a seleção que melhor jogou até agora ser eliminada nas quartas de final. Quero ver Holanda x Colômbia na final e mais um campeão inédito.

    Curtir

  3. A minha seleção brasileira no 4 4 2 com algumas modificações e improvisações para ganhar essa Copa seria: Julio Cesar, Maicom David Luiz T Silva e Ramires Luiz Gustavo, Hernandes, Fernadinho e Neymar Wulliam, e oscar no ataque. Essa escalação daria samba para os adversárias dançarem porque Oscar não é ruin e tem velocidade mas jogando nom meio campo, passou a ser figura apagada e tem que dar uma chacoalhada no time, testando-o no ataque, pior que Hulk e fred concerteza ele não será ele não será. Ramires poderia ser um bom ala esquerdo pelo vigor e velocidade, que vai precisar para parar o Holandez van persie. Maicom certamente não será pior que Daniel alves está sendo.

    Curtir

  4. Impressionante como a Holanda tem nervos de aço. Perdia o jogo até 43 min do segundo tempo, mas não desistia e não se entregava. Buscou o gol até o empate, depois no lance do Robben os mexicanos realmente fizeram o penalty. Ter controle emocional numa situação aparentemente desesperadora é fundamental para sermos vencedores. Acho que o Van Gaal acertou ao tirar o Van Persie e colocar o Huntellar, que aabou fazendo o gol de penalty. Pelo tudo que vi até e por causa do preparo físico e emocional considero a Holanda como grande favorita

    Curtir

  5. A Holanda venceu incontestavelmente, inclusive no que respeita ao penal em Robben. Mas, também teve muita sorte, principalmente no primeiro tempo, quando México esteve muito perto de matar o jogo. Interessante que o holandeses mesmo após a excelente vitória, ainda criticaram a própria Seleção. Mas, seus atletas ficaram extenuados. Quem sabe, mais adiante, este esforço não venha cobrar seu preço. A conferir.

    Os Mexicanos seguem os mesmos. Conferido!

    Maicon, três volantes (Paulinho no lugar do suspenso), um meia com funções menos contensivas, no caso o Oscar, podem resolver o problema da armação e do ataque, onde, junto com o Neimar, podem continuar o Fred e Hulk, este sem maiores obrigações defensivas. A Colômbia joga muito, mas também deixa jogar. E se o Brasil se permitir jogar, se não se entregar àquele defensivismo atávico, certamente poderá passar pelo adversário de futebol alegre. Adotando estas medidas meu placar é 3 a 1 para o Brasil.

    O que me parece que realmente sepultou a teoria da conspiração foi o árbitro não ter validado o gol de antebraço do Hulk.

    Costa Rica me parece a Seleção mais fraca nas quartas.

    Hulk foi quem melhor atuou contra o Chile, inclusive sob o aspecto psicológico. Atacou e defendeu sempre com muita personalidade, inclusive no lance que originou o empate do Chile, não contestando a culpa integral que lhe foi atribuída no lance do empate, quando também foi culpado, e muito, o David Luis que além de estar desatento para a presença na área do atacante que fez o gol, não esboçou a menor reação para tentar contê-lo. O próprio Marcelo também não teve qualquer reação para tentar apanhar a bola que o Hulk lhe passou e que foi muito curta. Aliás, em marcação sob pressão ele jamais deveria cobrar o lateral em direção ao Hulk. Naquele momento deveria ter aproveitado que o atacante/defensor atraiu a atenção de dois chilenos deveria ter procurado um outro companheiro mais à frente. Nas circunstâncias atuais o Hulk é um dos melhores que temos.

    Curtir

  6. Excelente definição sobre Hulk. Os paraibanos piram, assim como os paraenses defensores de Ganso. Argentina pintando pela facilidade da tabela. Na real, Holanda e Alemanha são os melhores times. Aliás, durante os jogos delas e da França, quando estava zero a zero, eu já dizia que elas passariam. E afirmo o mesmo da Argentina: já está nas quartas. Mas não afirmaria o mesmo em relação ao Brasil. Quanto ao substituto de Luis Gustavo, parece que Paulinho volta. Se Phil fosse ousado, colocaria Hernanes e recuaria Fernandinho, mas aí é querer demais. Outra hipótese jamais treinada seria colocar Wiliam no lugar de Neymar e este no de Fred, vindo buscar a bola. Mas querer futebol ofensivo do Phil e que ele tire o Hulk seria demais.

    Curtir

  7. Hahaha… Essa do Hulk, foi boa… Concordo plenamente… Nesse mundial, jogou apenas, a partir da metade do 2º tempo em diante, quando foi fixado na frente, no jogo contra o Chile…Mas muito pouco… Hernanes ou Ramires no lugar dele desde o início, renderiam muito mais ao time, certamente… Brasil, até agora, não jogou futebol e venceu do Chile, por muita sorte.

    Curtir

  8. Será que só eu que vi o Hulk como o melhor em campo contra o Chile? com toda a falta de habilidade dele o cara mostrou muita disposição e foi dele as jogadas de maior perigo da canarinha.

    Curtir

  9. Antes achava que havia um certo preconceito, aliado ao desconhecimento que se tinha do jogador, de alguns comentaristas do sul maravilha turbinando as avaliações via de regra negativas em relação ao desempenho do Hulk. E havia (e talvez ainda haja) mesmo. Mas, não se tratava de má vontade apenas. O futebol do jogador paraibano é limitadíssimo e incompatível até mesmo com o futebol de alguns brucutus que já envergaram a amarelinha. E o que é mais preocupante ainda é que o esforçado jogador foi um dos melhores em campo contra o Chile. Sintoma maior de como está péssimo o nosso futebol não há.

    Curtir

  10. Perfeita análise, Daniel. Em terra de cego, Hulk consegue ser o que mais chuta em gol, mas não o melhor. Para mim, o arqueiro da MLS foi o destaque da peleja. Outro problema é que o herói verde vem sendo mal escalado. Está jogando no ataque, no meio e na defesa, acredito que em obediência ao treinador gaudério. Uma coisa é certa, a insistência com Hulk e Daniel vai custar caro. Pode não ser no próximo jogo, mas acontecerá.

    Curtir

  11. Ontem a ESPN noticiou que a comissão técnica do Brasil reuniu-se com alguns jornalistas brasileiros (entre eles estavam dois jornalista das ESPN). Na reunião pediu-se que a imprensa fizesse menos críticas a seleção. Que trata-se ela com mais carinho. A resposta dos jornalistas foi categórica.

    Não podemos passar a mão na cabeça da seleção. Não é nada pessoal. Apenas devemos tentar ser imparciais e analisar friamente a situação do selecionado. Talvez as vezes criticamos demais, esquecendo de vê algumas virtudes. Mas não iremos passar a mão na cabeça, como os jornalistas uruguaios..

    Certo que não existe imparcialidade, mas o pedido da comissão, mesmo sendo legal, soa desesperador.

    Curtir

  12. Fora o Neimar, não há, dentre os jogadores do meio pra frente, quem tenha jogado melhor que o Hulk nesta Seleção. Por outro lado, fora o Oscar, também não há quem ao menos tenha mostrado potencial para jogar mais que ele.

    Na realidade, a exemplo do Oscar, o atleta está sendo sacrificado pelo Felipão que tem exigido dele que marque, arme e ataque. E o pior é que na carência em que o futebol brasileiro se encontra ele tem feito tudo isso com razoável desenvoltura, não merecendo ser o bode expiatório de uma má campanha.

    Aliás, no jogo contra o Chile foi melhor até que o Neimar, a estrela solitária do time brasileiro. Quanto à jogada do gol do Chile, são coisas que acontecem no futebol, e, no caso dele, a probabilidade de acontecer aumenta porque dele se exige que atue na defesa também. Se ele não fosse obrigado a estar ali, certamente não teria falhado. Mas, o Marcelo e o David também falharam e muito no lance.

    E quanto ao pênalti, jogadores de bem mais prestígio e categoria que ele também perderam, sendo que em muitos casos tais falhas levaram à eliminação do escrete brasileiro.

    O futebol do Hulk certamente está longe do sonho de consumo dos torcedores mais exigentes quanto como os brasileiros, mas não há como negar que ele é um dos poucos que têm sido capaz de representar alguma esperança de que, com sua disposição, obediência tática, habilidade para se desvencilhar de adversários e arremessar a gol, o time brasileiro venha a apresentar reação tendente levá-la ao título.

    Se o Hulk está ruim, a maioria de seus companheiros está pior ainda. E o pior é que só podemos contar com estes.

    Curtir

  13. Assino embaixo, amigo Celira. Não seria sequer banco em times de ponta. Hulk é a evidência da queda de qualidade do futebol em todos os níveis, inclusive internacionais. Quem vê qualidades no Hulk obviamente não tem referências maiores. O cara é um perna-de-pau, digo isso há anos. Pode virar o monstro da Copa a partir de agora, mas é ruim pra dedéu.

    Curtir

  14. O comentário do PVC logo depois da reunião não passou essa imagem de desespero da comissão, amigo Celira. Pelo contrário. Felipão buscou conversar com os jornalistas que costuma atender para passar informações reais, assumir as preocupações e estabelecer um canal privilegiado.

    Curtir

  15. Hulk é uma daquelas invenções que se perpetuam, sem que ninguém entenda direito, amigo Cláudio. É um caneleiro, um zagueirão perdido lá na frente.

    Curtir

  16. Concordo com você, amigo Jorge. Uma correção apenas: o Brasil já está nas quartas, a Argentina luta para chegar lá ainda.

    Curtir

  17. O próprio Neimar, craque incontestável deste time, e do futebol brasileiro, e comprado por milhões de euros (diretos e indiretos) pelo Barcelona, fica alguns pontos abaixo de jogadores como Romário, Bebeto, Sócrates, Zico, Falcão, e por aí a fora; não amarrando nem a chuteira de outros como Rivelino, Garrincha, sendo melhor parar por aqui para não humilhar o jovem e talentoso jogador que não tem culpa do futebol brasileiro estar nesta seca em que está.

    Curtir

  18. Esta é a minha percepção (de desespero da comissão), amigo Gerson, de fato PVC não viu dessa forma.

    Por sinal, a fala de PVC sobre a reunião é reconfortante, ja que, indicou que Felipão está mais que ciente que falta a seleção jogar bola.

    Curtir

  19. Celira, eu não diria que a comissão entrou em desespero, mas que pediu um alívio da crônica esportiva, não me parece restar dúvida que pediu. Senão, examine um trecho de uma postagem no blog do PVC sobre a tal reunião:

    “A imprensa nunca vai puxar a brasa para a seleção brasileira e não deve fazer isso. O papel da imprensa é informar. Isso se falou à comissão técnica no encontro desta segunda-feira. Mas quando os fatos não são objetivos, é justo enumerá-los”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s