Destaque pela superação

Por Gerson Nogueira

Leitores da coluna, baluartes do blog, porteiros do prédio e ouvintes da Rádio Clube perguntam quais os destaques do esporte paraense em 2013. Em primeiríssimo lugar, fácil, acima de tudo e todos, Alan Fonteles. História de superação, talento e disciplina, resultando em conquistas que assombraram o mundo, quebrando recordes e fulminando dúvidas.

unnamed (22)Melhor ainda, para nós, que Alan é um rapaz humilde, orgulhoso de suas raízes paraenses. Ele ultrapassou todas as barreiras no atletismo paraolímpico, ganhando admiração de todos e superando ex-campeões. Nas outras áreas do esporte, pouco a festejar.

No futebol, carro-chefe de todas as torcidas e paixões, o ponto alto veio de onde normalmente menos se espera. A garotada, tão negligenciada pelos grandes clubes da capital, mostrou seu valor. O Remo sub-20, sem que ninguém apostasse um real sequer, conquistou a Copa Norte e partiu para a Copa do Brasil.

A trajetória foi quase perfeita, suplantando times respeitadas na categoria, como Vitória e Flamengo. Garotos como Rodrigo, Guilherme, Nadson, Sílvio passaram a ter seus nomes discutidos e elogiados pelo torcedor azulino, como há muito tempo não ocorria em relação a jogadores do clube.

Com futebol de gente grande, sob a direção de Walter Lima, o Remo avançou até além do esperado, terminando por cair diante do Criciúma, diante de um público que lotou o Mangueirão e incentivou a equipe como se fosse decisão de campeonato de profissionais.

Além de revelar bons valores, o Leãozinho deixou um legado exemplar: a certeza de que o investimento nas divisões de base pode ser extremamente proveitoso e relativamente barato. Que a lição tenha fincado raízes.

No âmbito profissional, dois destaques relativos. Primeiro, o bicampeonato estadual do Paissandu, conquistado sem maior esforço em final disputada contra o emergente Paragominas. O trabalho de Lecheva, porém, teve méritos pela capacidade de montagem às pressas de um grupo esfacelado após a conquista do acesso à Série B.

E, na competição nacional, o brilho solitário viria de Pikachu, única estrela da companhia a não frustrar a torcida na triste campanha que levou ao rebaixamento. Além de seus préstimos como ocupante da lateral-direita, o jogador se revelou um emérito finalizador, tornando-se o artilheiro do time no campeonato.

Que esses modestos exemplos sejam multiplicados em 2014. O esporte paraense, que sempre empolgou multidões, precisa voltar a ser merecedor das ardentes paixões que desperta. Então, que venha o novo ano!

———————————————————- 

Schumacher e a corrida pela vida

O drama de Michael Schumacher, em coma desde domingo num hospital francês, depois de acidente sofrido enquanto esquiava na neve, reabre as discussões sobre os riscos a que se submetem grandes campeões. Não satisfeitos em pôr em perigo suas vidas a 300 km por hora nas pistas, dedicam-se nas horas de folga a aventuras radicais.

Vários outros ases dos esportes de velocidade já sucumbiram a acidentes com barcos de passeio, mergulhos malsucedidos e pistas não sinalizadas de esqui, como ocorreu agora com Schumacher.

A autoconfiança excessiva talvez esteja por trás dessas constantes demonstrações de coragem e imprudência por parte de verdadeiros super-homens do esporte. Schumacher desafiou os limites da velocidade ao longo de incomparável caminhada na Fórmula-1.

No ano passado, depois de ter se aposentado das pistas, voltou à F-1 com a disposição de um jovem iniciante. Como se precisasse provar a si mesmo que ainda era capaz de correr em alto nível. Não foi tão brilhante quanto antes e acompanhou a consagração de um jovem fã, Sebastian Vettel.

Independentemente das motivações, o mundo esportivo espera, de coração na mão, que o trágico acidente nas montanhas seja mais uma curva superada pela perícia e arrojo do grande campeão.

———————————————————-

Direto do blog

“Na teoria, temos o melhor elenco do Parazão. Na prática, devemos ver se Charles conseguirá passar por cima da falta de respeito da diretoria em relação aos técnicos regionais. Precisamos vencer tudo, principalmente conquistar a série D e C na mesma temporada. Não temos espaço pra erros”.

De Rosivan Silva, torcedor azulino, cabreiro com a mania que a cartolagem tem de meter o bedelho nas escalações.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 31 de dezembro)

3 comentários em “Destaque pela superação

  1. MENOS AMIGO ESCRIBA BAIONENSE. MUITO

    Não se pode esquecer de modo algum que o time juvenil azulino que disseram que encantou e fez a diferença é mesmo que so conseguiu essa vaga na Copa Norte pela desistência ou sei lá o que, de um outro time juvenil da periferia de Belém(nem lembro o nome) tinha direito por lei de fato e de direito a vaga por ter sido o CAMPEÃO SUB 20 EM BELÉM. verdade ou não??????????????Esse time siub 20 desconhecido, que nem tem equipe de profissionais registrados em Belém, sem ter a menor condição estrural e financeira, foi campeão sub 20 e cedeu a vaga ao time azulino na Copa norte ao azulino , que aliais, a despeito de ser um time que tem se enrolado nos últimos anos em todas as competições de futebol, tem ainda o gostinho de encontrar tanto no sub 20 como nos profissionais um ombro “amigo” que lhe “ceda” uma vaga para não ficar sem disputar nada. Então tanto no sub 20 como nos profissionais o time azulino continuou se dando muito mal, e não conseguiu nada em 2013, apenas ressalvando que com o presente da vaga na Copa Norte dado por esse time desconhecido de Belém, o sub 20 azulino, amparado maciçamente por toda a diretoria, porque não tinha outro jeito, propagandeado maciçamente pela midia local para que pelo menos o time de profissionais não caisse em total esquecimento, e com um bom ou ótimo marketing feito pela diretoria, inclusive se aproveitando do momento de agonia do Paysandu, causado pelo até então desmando administrativo da diretoria bicolor, o sub 20 azulino engrenou, a torcida pegou corda, o time engrenou mais ainda ao ver estádio lotado e so mostrou a sua fragilidade real quando pegou pela frente um time (Criciuma) que não veio para fazer médio e nem jogar com pesso de camisa como fizeram Vitória e Flamengo que se estreparam com o time azulino. Mas repito, não querendo desmerecer o sub 20 azulino mas se não fosse a vaga ganha de presente de natal o que sse time disputaria e quem lembraria deles hoje??????????? essa verdade precisa ser dita.

    MENOS ROSIVAN SILVA. MUITO MENOS AINDA E DEVAGAR COM A DOR QUE O SANTO É DE BARRO………..

    Nem na teoria o time profissional azulino tem a melhor elenco de Belém, porque o a maioria desses jogadores são refulgos do Paysandu, do time azulino do passado e veteranos alguns em fim de carreira. Pode ser que venha a ser o melhor elenco de Belém, mas querer afirmar isso hoje até mesmo na teoria é tolice. Para falar isso vc deve estar levando em conta igual eu a folha os altos salários e a folha de primeira divisão desse time azulino para disputar o parazão. Isso sim é verdade, tanto que hoje considero o azulino como: TIME DE folha de pagamento de PRIMEIRA DIVISÃO.
    Certamente, com folha beirando em torno de um milhão por mês, não sei quem vai pagar e nem de onde vem o dinheiro, e nem me interessa. O interessa a mim e a muitos é quando levantarem o tapete azulino, quem vai limpar as sujeiras escondidas debaixo. Eu se fosse torcedor de um time que está com dívida trabalhista gigantesca, pensa em vender patrimônio para pagar dívida, ja perdeu vários patrimônios na justiça para pagar dívida, mas está fazndo esse investimento kamikaze. sei não, deixa o tempo falar melhor por si.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s