16 comentários em “Por um novo sistema jurídico

  1. KKKKKKKKKKK….só falta ele pedir para o Joaquim Barbosa, ser preso por perseguição aos coitadinhos do PT.KKKKKKK……..

    Curtir

  2. KKKKKKKKKKKKK….só falta ele pedir para o Joaquim Barbosa, ser preso por perseguição aos coitadinhod do PT.kkkkkkkkkkkkkkkkk…

    Curtir

  3. Sou a favor da implosão do Judiciário. E que surgisse um novo sistema jurídico que preconizasse pela.

    1) Independência
    2) Moralidade no Serviço Público
    3) Estivesse comprometido com as demandas sociais reprimidas de forma atemporal pelo Estado brasileiro, por seus entes federados e municípios e que são tornados legítimos pelo braço repressivo e legal das ditas instituições, que são a polícia e o próprio judiciário que ora abunda em nossos tribunais.
    4) Defesa intransigente dos preceitos constitucionais
    5) Não compactuação com o clientelismo político, o fisiologismo e as barganhas por sentenças e pareceres.
    6) Atuação em nome da harmonização da sociedade e não promovendo sua fratura.
    7) Probo, íntegro e blindado contra peitas pecuniárias, suborno e tráfico de influência
    8) Não partidarização de decisões e sentenças, bem como a não eletividade das mesmas.
    9) Defesa da autonomia de seus servidores

    Mas isso não é possível, não nos termos de nossa democracia representativa falida. Somente em um processo de ruptura total com a ordem estabelecida teríamos um poder judiciário livre de seus vícios e de suas mazelas, reprodutoras e legitimadoras que são das estruturas de poder vigente.

    Curtir

  4. Parece muito claro que o escritor é mais um daqueles que não pretende ver punidos os criminosos do psdb, mas, sim, ver liberados os criminosos petistas. Ele não quer um novo sistema jurídico, mas, sim, a extensão da velha impunidade aos petistas. E ainda vem reclamar de hipocrisia.

    Curtir

  5. tem q sair os dois…chega dessa divisão entre psdb e pt q se mostrou extremamente maléfica p/ Brasil, chega dessa demagogia por mais poder! EDUARDO CAMPOS JÁ!!!

    Curtir

  6. PT, PSDB…O inferno da política são os partidos. As pessoas defendem um partido e levantam sua bandeira como se fosse do time de coração. Criticidade zero.
    Os políticos, por sua vez, lutam mais pelo sucesso do partido do que pelo bem estar da população. Show de imbecilidades…
    Por isso eu tô me lixando para essas siglas.

    Curtir

  7. A realidade é só uma: Genoino mentiu, fingiu que estava p morrer, no futebol levaria amarelo por jogar a torcida contra o juiz.
    Dirceu ia trabalhar em empresa de fachada, recebendo salario acima do mercado por ser “qualificado” agora atraiu os holofotes para cima dessa empresa e seus proprietarios que devem estar um “pouco” aborrecidos com o P&T.
    Outra coisa, quem condenou os P&Tistas nao foi o JB sozinho, foi o colegiado, inclusive com ministros a soldo de partido e pessoas deste.
    O fanatismo cega pessoas inteligentes, e provocam atitudes ridiculas como essa de LFV.
    Essa é minha opinião, não ha meio honesto, nao aceito a ética e honestidade relativa.

    Curtir

  8. Acho incrível ainda este tema, está mais que provado a atuação de todos os acusados, os contratos de empréstimo fictícios, as gravações das conversas, os depósitos na conta dos acusados, processo que levou anos para ser julgado, Ministros do STF escolhidos à “dedo” como Sr Dias Toffoli empossado em outubro de 2009, por indicação de Lula, Toffoli foi advogado do PT, assessor jurídico de um dos réus – José Dirceu – e advogado-geral da União sua ex-sócia e atual companheira atuou diretamente na defesa de três acusados de envolvimento com o escândalo, incluindo Dirceu, quer dizer ainda tem gente que defende estes condenados, façam o favor, estamos cheios desta corrupção descarada, roubam o dinheiro que deveria servir à nação e ainda são heróis da pátria, se tiver que julgar o PSDB que julguem, que condenem, precisamos de um país melhor, um pais que saiba investir os bilhões que arrecadam em impostos, em algo que seja em benefício de todos os brasileiros.

    Curtir

  9. Na realidade, é a midia lullopetista que quer fazer dos mensaleiros lullopetistas heróis da pátria. Mas, na realidade, eles, os mensaleiros lullopetistas petistas, não passam de criminosos condenados em sentença transitada em julgado.

    Curtir

  10. Não vi nas declarações do grande colorado LFV a exortação à impunidade para com os acusados do Mensalão. O que vi e li, a não ser que já não goze de forma plena de minhas faculdades mentais, é a conclamação de uma justiça equânime, que seja criteriosa, célere e impiedosa para com todos os casos de corrupção oriundos de quaisquer colorações partidárias e ideológicas! E peço humildemente licença ao LFV para incluir em sua petição a inclusão de muitos veículos de comunicação do país. No que deu, por exemplo, o caso do helicóptero do pó mineiro? Ele invadiu por acidente uma fábrica de talcos?

    Curtir

  11. Daniel, o fato de você não ver, nem ler, não significa privação das faculdades mentais, tampouco que a mensagem desejosa da impunidade dos mensaleiros petistas não esteja lá. A questão, me parece, é que você, pessoa sabidamente de atributos cognitivos privilegiados, não quer decodificar a mensagem. E uma firme evidência neste sentido é que você ainda se refere aos mensaleiros petistas como “acusados”, quando é cediço que eles já são condenados com sentença transitado em julgado, o que, segundo a Constituição, significa que eles são desenganadamente culpados.

    Curtir

  12. Esse Sr. Daniel se faz ou é, a denuncia dos crimes dos P&Tistas e quadrilha foi feita se não me engano em 2005 e o julgamento em 2012.
    No Brasil é assim, o pau que da em Chico as vezes não da em Francisco, mas vejo que o comentarista esta reclamando é da grossura do porrete.
    Agora o que causa espanto é que a denuncia, as investigações, o julgamento, as condenações e as prisões se deram sob o governo P&tista, isso mostra total independência entre poderes, apesar de todas as tentativas contra…

    Curtir

  13. Reitero que não vi mesmo, meus caros. O problema é que muitas vezes a cegueira ideológica e o pendor pelo reconhecimento apenas de, digamos, “fontes oficiais” (e oficiosas) turva nossa capacidade de enxergar e analisar os fatos com maior acuidade, bem como nos faz acreditar que nosso país possui instituições ilibadas que primam pela independência, pela imparcialidade, pela neutralidade e pela razoabilidade. No entanto, assim como o próprio Mensalão, prática contumaz no poder legislativo, os escaninhos do poder judiciário, por exemplo, apontam em outra direção. Outrossim, o PT não me representa em termos políticos e ideológicos, haja visto que não sou votante do partido muito também por não concordar com as alianças espúrias que o mesmo tem chancelado em nome do poder e da governabilidade. Jamais afirmei que o Mensalão não existiu e tampouco defendi os envolvidos e condenados (satisfeito, caro Felipe Remonat?) do imperioso peso da lei, pois entendo que este deveria ser sempre o procedimento da justiça. Por outro lado, sempre combati o discurso oficial de que tratava-se do “maior escândalo da história do país”, veiculado por amplos setores da mídia e mesmo por membros do STF e MPF. E isto, infelizmente, muitos não viram ou fazem questão de não ver, aliás, reproduziram como papagaios dos sete mares, o que indica uma clara incongruência discursiva, sobretudo se levarmos em conta o período recente, em que a história deste país, destacadamente o período republicano, está sendo reescrita e recontada através de constantes investigações e pesquisas.
    Aos que se arvoram em crenças tais como a “independência” entre poderes ainda não se concatenou com o fato político: a nomeação do Mensalão como o maior escândalo político da história republicana parte justamente dos setores que há anos rejeitam esta nova história recontada, pois ela aponta as contradições, os privilégios e mostra a profundidade do abismo que divorcia atemporalmente nossas instituições e poderes constituídos do povo brasileiro. Daí me pergunto: o que nossas instituições “independentes”, redutos de bem nascidos e privilegiados, fariam com um governo realmente comprometido com profundas transformações sociais e para com novos rumos de uma política econômica se o PT, longe destas perspectivas e de tais compromissos, é alvejado de forma inclemente? O que esperar de instituições elitistas como o judiciário, que rejeita reformas, que está umbilicalmente ligado a partidos políticos e ao lobby dos poderes executivos e que, não por ironia, muitas vezes é o primeiro dos poderes da república a primar pela não observância das leis? O que esperar de nossa grande imprensa parcial e comprometida com interesses corporativos e com a desinformação?
    Seria mais justo, quando do julgamento do Mensalão, além da condenação por motivos óbvios, estes setores apontarem o partido como traidor de seus antigos ideais e aspirações. Mas aí seria demais não?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s