Julgamento de exceção ou embrião do golpe?

Por Paulo Henrique Amorim

O julgamento do mensalão não vai acabar quando acabar o julgamento do mensalão. A elite que se expressa no PiG (*) perdeu todas. Perdeu as eleições de 2002, 2006, 2010 e 2014. Perdeu porque perdeu as bandeiras.
O PiG (*) usa a barriga de aluguel do PSDB (especialmente de São Paulo, onde prevalece o sentimento secessionista). Mas, a barriga perdeu a serventia. A barriga não dá mais cria. Não tem mais ideias, projetos, não tem uma visão do Brasil que convença a sociedade.
Especialmente os que decidem a eleição: o sub-proletariado do André Singer. Para que o Cerra, o FHC e o Sérgio Guerra querem o Poder ? Para fazer o que? O neolibelismo (**) foi derrotado.
E o lulismo vai durar, disse o Singer. Qual é a alternativa ?
O Golpe. O Golpe que se desenha no mensalão (do PT), pela mão do Judiciário.
Até aí, morreu o Neves.
A novidade é que nem a elite vai se satisfazer com o julgamento do mensalão, nem o PT vai ficar quieto.
Se o PiG condenar o Dirceu, o PiG vai para cima do Lula – como pretendem o Tênue Gurgel e o Ataulfo Merval de Paiva.
É preciso destruir o Lula. Não pode ficar pedra sobre pedra de um nordestino metalúrgico, sem dedo e que não fala inglês.
Em seguida, o PiG vai destruir a Dilma. Gerente eficiente, acima do bem e mal, a técnica por excelência, a mãe do PAC, do Brasil Carinhoso, do Brasil sem Miséria, a que vai rever a desastrosa privataria tucana – nada disso interessa. O PiG derrubaria a Madre Tereza de Calcutá, se ela fosse trabalhista.
Encerrado o julgamento do mensalão – que teve o dom de influenciar as eleições, como pretendia o PiG (*) – o PiG vai pra cima.
E o PT não vai ficar quieto. O PT já percebeu que o julgamento do mensalão é a República do Galeão.
O julgamento do mensalão é o atentado da rua Toneleros em que o Lacerda se deu um tiro no pé.
O julgamento do mensalão é o Plano Cohen, a  Carta Brandi, o grampo sem áudio.
E o Supremo se politizou, tomou partido. Começou com o Gilmar Dantas (***), que se disse chantageado e não processou o chantagista. Ali começou o julgamento político, o julgamento de exceção. Que dispensa provas ou atos de oficio.
Para quem a Verdade é uma quimera. Vai condenar com tênues provas, como “domínios de fato”. (Embora, como diga o professor Wanderley, até “domínio de fato” tenha que ser provado.)
Mas, a guerra não acaba ali. O que está em jogo no Supremo é definir a natureza de um novo Golpe de Estado.
Será uma contribuição do Brasil aos manuais de “Técnica do Golpe de Estado”, do Curzio Malaparte.
O mensalão (do PT) é uma das etapas desse Golpe. Um capítulo do Manual.
O Ataulfo Merval de Paiva já anunciou que o Lula não escapa, porque ele acredita em Saci Pererê e em Valeriodantas.
Ele vai atrás do Lula como o Lacerda – comparando água com vinho … – foi para cima de Vargas.
Depois, é a Dilma, ou seja, o Jango, o Brizola … e todos os que se sucedem na luta dos pobres contra “a pior elite do mundo”, segundo o Mino Carta..
Dirceu não acha que vá ser preso, apesar de a Folha (****) o ter encarcerado.
E mesmo que seja, ninguém duvida que ele organize o PT – onde estiver.
Porque o PT não vai ficar quieto.
Lula não é Vargas.
Dilma não é Jango.
Quem não mudou foi o PiG.
Foi a UDN – raivosa, reacionária, ressentida.

9 comentários em “Julgamento de exceção ou embrião do golpe?

  1. Nenhum dos dois! E o reforço que os Ministros Levandowsk e Tóffoli vão receber dos recentemente “escolhidos a dedo” (pra não correr o risco de nova “traição” como ocorrera com os Ministros Fux e Joaquim) Ministros Teori e Barroso, estão aí para garantir o “equilíbrio” das forças.

    Curtir

  2. Quem assistiu a globo news sexta-feira, viu o grande apoio que a globo estava dando às manifestações. Saiu frustada pois não rendeu o esperado. Então, só resta uma alternativa, via judiciário.

    Curtir

  3. Amigo, não posso afirmar isso, nem ninguém pode. O certo é que escreve verdades que a grande mídia prefere não ver.

    Curtir

  4. Espero que seja verdade mesmo que a Dilma vá rever mesmo a privataria tucana. É que já se passaram 11 anos e até agora tudo ficou por isso mesmo.

    Curtir

  5. Não cabe a ela, amigo Oliveira. Penso que o caminho é a apuração por via judicial, que cruzou os braços até hoje.

    Curtir

  6. Cabe, sim, amigo Gerson! Como cabia ao seu antecessor. Se há mesmo a ilegalidade, se há mesmo a dilapidação do patrimônio público eles já poderiam ter adotado as medidas para garantir a anulação dos contratos ou ao menos para pedir à justiça que os anulasse. Aliás, esta sim, a justiça, só pode tomar as providências se for chamada a se manifestar pelos prejudicados. Acontece que os representantes dos prejudicados, escolhidos pela maioria dos eleitores prejudicados, não têm interesse de anular nada, nem de ir à justiça pedir que esta anule os contratos. Aliás, eles até prometeram que iriam respeitar os contratos, lembra?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s