Como explicar o rock dos anos 90?

Por André Barcinski

Ontem passei um bom tempo escolhendo CDs para tocar numa festa “anos 90”. Acabei tirando da estante um monte de discos empoeirados que não ouvia há muito tempo. Quando juntei os CDs foi que dei conta: impressionante a quantidade de discos bons lançados nos anos 90, especialmente no início da década. E não falo só de clássicos manjados como “Nevermind” (Nirvana), “Loveless” (My Bloody Valentine), “Every Good Boy Deserves Fudge” (Mudhoney), “Bandwagonesque” (Teenage Fanclub), “Bloodsugarsexmagik” (Red Hot Chili Peppers), “Ritual de Lo Habitual” (Jane’s Addiction) e tantos outros.

A primeira metade dos 90 foi a época de “Copper Blue” (Sugar), “Pod” e “Last Splash” (Breeders), “Cure for Pain” (Morphine), “Circa Now” (Rocket from the Crypt), “Sweet Oblivion” (Screaming Trees), “Independent Worm Saloon” (Butthole Surfers), “Steady Diet of Nothing” (Fugazi), “Meantime” (Helmet) e muitos outros. Saíram também ótimos discos de bandas hoje pouco lembradas, como Neds Atomic Dustbin, The Donnas, Porno for Pyros, Therapy, Mercury Rev, Luna, B.a.l.l., Eugenius, etc.

A onda nostálgica dos anos 90 já chegou, e alguns dos discos mais cultuados do período, como “Copper Blue” e “Last Splash”, estão sendo relançados em edições comemorativas de 20 anos, com faixas-bônus (você sabe que está ficando velho quando um disco que você ouviu no lançamento está sendo relançado com pompa de velho clássico).

O início dos anos 90 foi uma época interessante para o rock. Depois da explosão do Nirvana, as grandes gravadoras começaram um intenso leilão para contratar qualquer banda alternativa. Vários selos foram comprados por multinacionais e acabaram desaparecendo quando o “hype” evaporou.

É curioso lembrar como bandas esquisitas e radicais como Flaming Lips, Meat Puppets e Butthole Surfers, acabaram lançando discos por grandes selos.

Para mim, foi a última grande época do rock alternativo. Não lembro um período em que tantos discos bons saíram ao mesmo tempo.

P.S.: Se você estiver em São Paulo hoje e gosta de rock dos anos 90, sugiro dar uma passada na festa Freedom 90’s, do amigo Mexicano. Paulo Cesar Martin e eu vamos representar o “Garagem”. A festa acontece no Clube Glória e terá também sets de Focka, Bezzi e Roots Rock Revolution.

10 comentários em “Como explicar o rock dos anos 90?

  1. É realmente difícil explicar o rock dos anos 90. Vejam, André Barcinski nem tentou essa proeza, se limitou a citar bandas, descrever um pouco da história mercadológica da época e divulgar seu evento. Pode-se dizer que o Screeming Trees é uma banda do mesmo grunge que Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden e Alice in Chains, só por exemplo. Entendo que o grunge deva ser encarado como um rock surgido no fim dos anos 80 e que se desenvolveu até alcançar sua forma no início dos anos 90, ele não veio do nada, nem nasceu pronto e acabado. O rock dos 90’s é mais sisudo e em nada lembra o escracho dos visuais da década anterior e o som. Foi muito chato não ter um Queen ou um Clash nessa época. Entre as melhores coisas que aconteceram naquele período estão Radiohead e Blur, pelos ingleses, e Red Hot Chilli Peppers e Pearl Jam, além do Alice in Chains, nos EUA. No Brasil surgem o Skank, Cidade Negra e Chico Science.

    Curtir

  2. Victor…. o Britpop também foi algo muito bom, embora muitos torçam os narizes por conta de sua boa recepção e veiculação no mercado fonográfico à época. Stone Roses, Oasis, Radiohead, além de outras boas bandas como o próprio Smashing Pumpkins, as boas levadas do sempre regular – e ótimo – R.E.M também pontificam no período. Havia outras bandas dos quais também não lembro o nome. No entanto, parece que os anos 90 ensaiou o que depois se repetiria na segunda metade dos anos 2000 e perdura até hoje: um cenário de bandas “indies” metidas a cool, mas muito superestimadas.

    Curtir

  3. conforme o daniel malcher, também aproveito pra lembrar o britpop, com o oasis, blur, suede, travis, entre outros, que contribuiram bastante para o cenário daquela época. lembrei também do pessoal do foo fighters e do green day. bons tempos…!!!

    Curtir

  4. Blz, o britpop ainda tem o Muse e o Stereophonics e também se deve destacar Richard Ashcroft, pra não falar do Verve…

    Curtir

  5. pô lopes júnior, the verve, como fui esquecer dos caras? bitter sweet simphony é um clássico da época. ashcroft é um dos grandes músicos, tal qual noel gallagher…

    Curtir

  6. Anos 90 eh uma merda, bando de marica depressiva e sem motivo. Gosto de uma ou outra coisa em uma pequena onda de southern nos eua com black crowers, uma ou outra do u2 e primal scream.. Talvez algo no metal tbm

    Curtir

  7. Pensando bem o metal foi o estilo com mais expressão nos anos 90 e 00. Ao lado do zonso e paumolismo do britpop e pop punk

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s