No chutão, PFC foi superior

Por Gerson Nogueira

gerson_22-03-2013A rigor, não houve futebol em Paragominas, ontem. No máximo, um duelo aquático. Mas, em meio aos chutões para driblar as poças, o PFC foi indiscutivelmente o time que mais lutou, chutou e tomou iniciativa. Por isso, venceu. Fez um gol logo no começo do segundo tempo, em chute de fora de área como tantos outros que seu ataque disparou ao longo da partida, segurando a vantagem até o final. É verdade que faltou técnica, mas sobrou vontade ao time de Aleílson. Justamente o que não se viu do lado remista, que aceitou a pressão do adversário desde os primeiros movimentos e em nenhum momento se mostrou adaptado às precárias condições do campo.

Era mais ou menos previsível que o pior jogo do campeonato seria decidido num lance isolado. O PFC levou a melhor porque compreendeu que era um confronto atípico, sem condições de explorar toque de bola ou passes curtos. Charles posicionou seus volantes Ilaílson e Paulo de Tarso de maneira a pressionar o meio-de-campo do Remo em sua própria intermediária. Com isso, ficou sempre com todos os rebotes e saiu vitorioso no embate decisivo da meia-cancha.
A saída era sempre rápida, chegando com cinco e até seis jogadores no ataque, chutando de toda e qualquer distância. Errou vários disparos, mas quando encaixava levava sempre desassossego aos defensores do Remo. O primeiro susto foi logo no primeiro minuto, quando Paulo de Tarso chutou forte, a bola estourou na trave e no rebote foi tocada para as redes, mas o lance foi invalidado por impedimento. Ficou, porém, a imagem de agressividade que iria prevalecer ao longo dos 90 minutos.
Pode-se dizer que na pelada disputada na Arena Verde, marcada por ligações diretas e balões, o triunfo sorriu para quem teve estabilidade para dominar a bola e disposição para agredir. Nas circunstâncias, a vontade faz uma enorme diferença. Jogadores como Cristovão, Sam, Marquinhos e Maraú, acostumados ao clima da região, equilibravam-se melhor e saíam sempre em vantagem nas divididas. Detalhe que acabou pesando nos momentos de indefinição.
O técnico do Remo, Flávio Araújo, havia justificado a volta ao 3-5-2 alegando que o 4-4-2 deixava o time muito exposto. Curiosamente, o esquema de três zagueiros deixou a equipe ainda mais vulnerável, como ocorreu ao longo do primeiro turno. Sem ligação, apesar da presença do meia Clebson, o Remo tentava sair rápido, mas esbarrava nas dificuldades impostas pelo campo alagado. Durante todo o tempo, os jogadores insistiam em tocar rasteiro e usar passes curtos, justamente o que o adversário evitava. Não podia dar certo.
Os dois atacantes de área, Branco e Val Barreto, não recebiam cruzamentos e tinham que se virar diante da dura marcação dos zagueiros. Barreto, para conseguir jogar, virou ala em certos momentos e até zagueiro em algumas situações. O já citado Clebson se perdeu em tentativas confusas de transição, que nada acrescentaram. Perdia sempre a primeira bola e não tinha recuperação para recuperar a segunda, sendo completamente envolvido pelos volantes do PFC.
Depois de levar pressão na maior parte do tempo, Araújo tentou mudar o som da viola, voltando ao 4-4-2 com a entrada de Leandro Cearense em substituição ao zagueiro Henrique. Era tarde, porém. O time foi à frente, trocou jogadas em velocidade, mas faltava a chegada em condições de chute. Nesse quesito, mesmo precariamente, o PFC foi sempre superior e conduziu o jogo sem maiores atropelos até o apito final.
———————————————————-
Técnico ensaia discurso do adeus
A conversa do técnico Flávio Araújo depois do jogo sinalizou para uma despedida. Disse que iria refletir sobre sua permanência, o que é senha para pular fora. Se a diretoria aceitar, estará dando um tiro no escuro. Araújo não conseguiu dar consistência tática ao Remo, insistiu teimosamente num time sem meio-campo criativo e hoje colhe os frutos desse equívoco. Apesar disso, por coerência, o clube deveria mantê-lo. Até porque, a essa altura, se está ruim com ele, ficará certamente muito pior sem ele.
Não creio em boicote dos jogadores. Prefiro atribuir os maus passos do Remo a um reflexo natural do desgaste (inclusive físico) gerado por um time que não valoriza a posse da bola e não sabe fazer transição. Com isso, perdem-se os trunfos ofensivos e a segurança defensiva. Em Paragominas, em situação atípica, o desempenho foi abaixo de crítica porque o Remo não se impôs. No turno, em Marabá, em condições parecidas, o time teve outra postura e venceu.

———————————————————-
Façanha de blog campeão
Com números inéditos para um espaço regional, o Blog do Gerson Nogueira (http://blogdogersonnogueira.wordpress.com) alcançou 3 milhões de acesso na última quarta-feira, a quase um mês do terceiro aniversário. A façanha se deve, em grande parte, à fidelidade de um punhado de comentaristas, colaboradores e baluartes, que diariamente prestigia o amplo leque de informações disponibilizadas, da política ao comportamento, do rock ao brega, do cinema ao mundo das celebridades, do futebol ao rúgbi. Vamos em frente, novas vitórias virão. Obrigado aos que contribuem para esta pequena façanha.
(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 22)

57 comentários em “No chutão, PFC foi superior

  1. Uma coisa que acabei de ver e ouvir o apresentador falar, e que muita gente fala, é que o campo estava ruim para os dois lados.. Isso, não existe… Aliás, existe, mas se tivessem jogando PFC e um outro time de pelada desses qualquer, do Parazão… O Remo joga profissionalmente e se preparou adequadamente (mesmo sem muitos reforços pedidos por seu técnico, por isso sentiu muito mais o gramado que seu adversário, além do que, jogou fora de seus domínios), o que faz pensar que poderá mudar de uma hora pra outra e engrenar na competição…

    Se não houve jogo, taticamente, por causa do estado do gramado, não se tem como analisar que o 3-5-2 não deu certo e ainda acredito que esse seja o melhor esquema para o Remo, nesse campeonato..

    É preciso ter calma, Leão..

  2. Claudio, não sabia que o rEMO era um time lá do Sertão Pernambucano, daquela região bem seca, que, quando se cospe, o cuspe nem chega no chão!

    Ora, Ora!…o rEMO é de Belém! Minha linda cidade! que chove pacas!!

  3. Assim como no PaissanduxCametá, não havia condições de jogo de futebol ontem. O Remo perdeu e o Papão esteve perto da derrota em alguns momentos, embora na reta final do jogo tenha criado algumas chances, fruto mais do cansaço do time cametaense do que por méritos próprios. Portanto, resultados dessa natureza e nessas condições devem ser considerados normais.
    O que não é normal é mandar o técnico embora por conta disso, muito menos dizer-se que o campo estava ruim para os dois, um acacianismo que oculta a diferença de categoria entre duas equipes e pode até servir de justificativa para essa troca do pneu do carro com este em movimento, ou seja, a troca de treinador no momento em que o Remo corre o risco de fazer mais duas ou três partidas oficiais neste ano, voltando a seguir à longa rotina da inatividade.
    Nesse momento, ruim com o Flávio, pior sem ele. desmontar um trabalho, que obviamente não é maravilhoso mas surpreendeu até ao mais cético azulino no seu início, dado o bom aproveitamento, tem que ser levado em consideração na hora da tomada de decisão tão importante. Lembrem-se da surreal contratação de Givanildo, para uma ou duas partidas, e fim de linha. Parece que o Remo quer repetir a história dessa farsa.

  4. Não adianta tapar o sol com a peneira ou melhor a ruindade do time com a chuva,na verdade o time não presta mesmo!

  5. Verdade, amigo Jorge, mas com uma grande diferença, o Paysandu jogou na Curuzu, o Remo jogou no campo(?) do adversário, o que é bem diferente…

    Um time que termina o turno, com 15 pontos de diferença para o seu concorrente, não se pode dizer que o Remo foi ruim com o Flávio, muito pelo contrário, foi muito bem….

    Volto a dizer, a troca de técnico, pode ou não ser boa para o Remo, depende de como está o estado do técnico, para continuar o trabalho, e isso é possível se perceber, numa boa conversa com ele e, na perspicácia de seu(s) diretor(es)… Aí mora o perigo…

  6. Bom dia, amigos. Acho que o momento é de ter calma. Analisando a tabela, o Remo tem dois adversários que estão brigando para não cair e é mais time que os dois. Trocar de técnico ou fazer qualquer extravagância agora é dar tiro no pé. O técnico tá de cabeça quente, mas é irresponsabilidade querer sair agora. A diretoria, menos mal, já se posicionou contra a saída, o que não dá espaços para invencionices de chamar um técnico pra algumas partidas apenas. Quando teve a bola no pé ontem, em raros momentos, o time até que valorizou o toque e a posse de bola, mas o que não pode acontecer, para o bem do futebol profissional do Pará, é esse time de situação de jogo nessas condições precárias. O campeonato paraense se realiza em um período de chuvas, mas o estado em que estava o gramado ontem era absurdo. Nem um árbitro sério e com autoridade poderia realizar o jogo ontem. Mas isso teria que ser até o apito inicial. Começou o jogo tinha que ter vontade de jogar e há duas partidas que vemos um time apático em campo, ao contrário do que era o time guerreiro do primeiro turno e isso tem um motivo, interno, que não sabemos. Aí é que essa pulga atrás da minha orelha tá me incomodando.

  7. Ontem não teve futebol, o jogo não deveria ser adiado.

    Agora se o treinador deu sinais de entregar o cargo é porque os jogadores não estão mais com eles, o remo precisa pelo de um empate em Santarem e uma Vitoria contra o Aguia em Belém, depois tem praticamente 7 dias para se preparar contra Flamengo (apenas tentar ganhar dinheiro).

    Sou a favor da troca de comando, mais não gostaria de um técnico local, se for o Artur tinha o risco de ele mudar completamente os jogadores e acho que tem briga interna de jogadores em virtude de diferença salariais e produção baixa em campo.

  8. Jogando em um gramado sem condições de jogo, o mais querido foi derrotado, e deu contornos especiais ao segundo turno. E uma verdadeira catastrofe, começa a se desenhar. Pasmem os senhores, que tendo um jogo dificilimo contra a Tuna Luso, o papinha se derrotado for, abrirá um enorme abismo na sua frente rumo a desclassificação antecipada da disputa desse segundo turno. Fato que poderá desencadear uma verdadeira revolução dentro da cururu, causando até transformações no comando técnico bicolor. Já o mais querido tem um jogo relativamente facil contra o São Francisco e deverá vencer até com um escore folgado. Em Cametá o Santa Cruz jogando contra o dono da casa , tem grandes chances de vitória e com isso garantindo também a sua entrada no G 4. Em Marabá o paragominas deverá fazer valer o seu melhor momento no campeonato e também deve conquistar o 3 pontos , selando com isso também sua entrada no sonhado G 4. Como podemos perceber, se anuncia um final de semana dos mais complicados para o papinha, que começa essa rodada na liderança e poderá terminar na quinta colocação. E dentro desse mesmo contexto, o mais querido começa na quarta posição e poderá terminar em primeiro lugar. Abre o olho papinha. Vamos aguardar para conferir, pois esse final de semana promete, e tudo começa no sabado.

  9. Tudo o que foi comentado na coluna reflete o jogo que obviamente não teve. O Paragominas ganhou porque teve mais vontade, ai temos de ver porque 2 jogos seguidos faltou vibração no remo, no mais não tem o que se comentar. Alias, o jogo poderia ser adiado em meia hora ou uma hora e pedir uma força tarefa de gandulas e outras pessoas na tentativa de escoar a agua, assim como aconteceu no REPA. Temos de ter calma neste momento, pois a tabela ajuda e muito. Temos 2 jogos que podem ajudar o Leão, se a tuna e o paragominas não ganharem seus jogos nesta rodada e o remo vencer o são francisco e remo já entra classificado e ai joga com o aguia pra definir posição, já que ambos se enfrentam na ultima rodada. Este sim era o melhor cenário. Mesmo porque se o cuiarana também não vencer o cametá corre o risco de novamente ficar fora das finais por conta do seu ultimo jogo ser contra o nosso rival. Então nada estar perdido, temos de dar apoio a comissão técnica e partir para a arrancada final.

  10. Caros apreciadores do futebol todos nós sabemos da dificuldade de se encontrar um técnico com trabalho e planejamento eficaz e satísfatorio,principalmente quando se diz respeito ao campeonato paraense onde os jogos são puxados e o clima relativamente anormal para jogadores de outras regiões,aconselharia aos encarregados da gestão dos clubes paraenses apostar mais no futebol dos garotos de nossa região que já conhecem o clima e são bons jogadores falta apenas oportunidades,acho que um exemplo a ser seguido é o paysandu claro que não são a maioria no plantel mais estão presente e fazem a diferença como o yago pikachu,vanderson,ricardo capanema,eliton,raúl,paulo wageler,djalma,rafael oliveira entre outros!

  11. A culpa foi o gramado? Aliás a chuva. Na Europa se joga com com o gramado branco de neve, e o juiz tem que dar o jogo.

    Aqui no Pará chove, e todos sabemos disso.

    Essa desculpa é esfarrapada e não cabe.

    Não ví o jogo e nem os melhores momentos, mas dever ter ganho quem mereceu, quem foi mais aguerrido, quem se organizou melhor, pois no gramado com enlamaçado, a tecnica tende a desaparecer.

    Cadê o craque Clebson ex salgueiro, que pro Zeca Chorão joga mais que o Potiguar?

    Te dizer, é muita desculpa e pouco futebol.

    Eu choro!

  12. Ei Roxildo, qual foi a vacina que vc cheirou hoje, kra vc é um ser desequilibrado será que está no planeta terra mesmo????

  13. É muito choro, se tivesse sido o paysandu que tivesse perdido o Cláudio Santos tava descendo a lenha no Lecheva, mas como foi o melhor do mundo Flávio Araújo diz que a culpa é do gramado.
    Um conselho amigo cláudio santos, aproveita que o Flávio Araújo vai embora e vai junto, vai lá pro sertão que não chove. Vem jogar em Belém e fica reclamando da chuva.
    90 por cento dos jogos que o Remo ganhou foi no sufoco, time fraco, técnico fraco, diretoria fraca e pseudo-comentárista( Cláudio Santos) mais fraco ainda. Cláudio Santos, te conforma em ter que torcero pro Paysandu ganhar o turno, pro Remo ter a vaga da série D e para de chorar.

  14. Quente: O zeca Pirão acaba de encontrar o Vandick na camara com dinheiro ao vivo para que o Papão vença suas duas próximas partidas e assim classificar o remo a serie D, mas vandick disse que não aceita….

  15. Mas,ele não era o CARA ? “Vem aí,mais uma interminável novela “Vale apena ver de novo ” Personagens” Todos aqueles que vivem e participam dessa centenária e sofredora agremiação, “Clube do remo” Eu ignoro,pois já cansei de assistir !

  16. Quem falou aqui em choro bicolores. Eu apenas coloquei minha opinião e ela é plenamente consistente. Ou seria impossível a Tuna vencer o papinha, o mais querido vencer o São Francisco, o Paragominas vencer o Águia, o Santa Cruz vencer o Cametá. O pior cego é aquele que não quer enxergar. Está na cara de todos, uma derrota amanhã para a Tuna, significa um abismo aberto no caminho do papinha. E o jogo mais facil da rodada, é o do Clube mais querido. Apenas os mais doentes é que vão contestar essa situação, o papinhandu sensato, vai ler o que eu postei e vai concordar. Um bom dia aos meus queridos torcedores do papinha e um dia melhor ainda para os que como eu se emocionam e vibram , com o mais querido Clube do Norte brasileiro.

  17. Quer dizer então que o remo perdeu para um time de pelada?
    Essa não colou, o PFC ganhou porque apresentou determinação, vontade e disposição do início ao fim da partida, coisa que o leião não mostrou.
    O remo está em uma situação preocupante, como:
    1- o técnico está desmotivado, já mostrou desejo em deixar o clube ontem, ainda mais depois que o Chatiado perguntou se este tinha proposta de fora;
    2- os jogadores não apresentam disposição para jogar, até o Val Barreto que corria bastante perdeu a motivação;
    3- o corte do chamado “bicho”, pago no final de cada partida gerou uma insatisfação no elenco.
    Faltando 02 partidas para tentar garantir a classificação, acho pouco provável que consiga, pois o São Francisco e o Águia virão contudo pra cima do remo, já sabem que o lado direito não funciona e o time não sabe sair jogando na pressão, é só adiantar a marcação que começam os chutões.
    É melhor chamar o E Gaúcho, pra colocar ordem nesse time,rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs, ou o Fran Costa que conhece esses adversários, kkkkkkkkkkkkk.
    Dia 03/Abr/13 férias coletivas.

  18. Juro que não entendo essa história de que o jogo foi decidido no chutão por isso que o rEmo não venceu. Esse time passou o primeiro turno todo jogando na base do chutão!

  19. BOMBA: Já que Clebson não presta, Remo tá trazendo o Schelotto, que detonou o Papão na Libertadores. Te dizer…Clebson do Salgueiro.

  20. Nas condições do gramado em que o jogo foi disputado ontem, realmente é impossível aferir qualquer resultado relativamente à formatação tática adotada pelo Remo. Este é um fato.

    Outro fato, é que o Remo foi ineficaz e foi suplantado pelo adversário na única estratégia de jogo possível de empregar nas circunstâncias. Isto é, nem nos chutões, sua triste especialidade, o Remo conseguiu se impor.

    Mais um fato, é que realmente as condições desfavoráveis para a prática do futebol bem jogado era a mesma tanto pro Remo, quanto pro PFC. Todavia, a desenvoltura com que os atletas da cidade verde se portaram no trato da bola nas partes do estádio onde havia menos água, mantendo a posse, trocando passes, aplicando o drible, fazendo tabelas, assistências, ultrapassagens pela lateral, deixa entrevisto que num campo seco também teriam levado vantagem, mais vantagem do que a ampla vantagem que levaram no terreno pantanoso no que respeita á vibração, à garra e à entrega. Ou seja, pelo que foi o jogo de ontem, também é fato inconteste que o time mais prejudicado foi o Paragominas. E não se apele para o jogo mais recente entre os dois para exemplificar um provável comportamento diferente e mais qualificado do Remo, porque é patente que o Remo caiu bastante de produção. Naquela época o time era instável, que alternava algumas poucas boas atuações, no meio de muitos jogos pífios. Hoje parece que é um elenco desagregado, sem garra, sem vibração, apático, indisposto, sem condições de reagir às adversidades.

    a propósito, em linha semelhante daquela que diz que ruim com o Flávio Araújo, pior sem ele, eu digo que prometer e pagar bichos foi um erro grave, mas que erro mais grave ainda foi interromper os pagamentos, cujos efeitos negativos foram multi potencializados com as declarações do técnico não assumindo a parte da responsabilidade que lhe cabia na perda do primeiro turno, ou, dito de outro modo, atribuindo publicamente toda a culpa pelo fracasso aos jogadores.

    Aliás, a própria manifestação dos torcedores durante o treino físico na academia, logo após o clássico, pode ter contribuído para acentuar o declínio no nível de entrega dos jogadores. Não pela manifestação em si, mas pela eventual interpretação (ou mesmo constatação) por parte dos jogadores, de que ação da torcida tenha sido orquestrada por alguns diretores, como é comum ocorrer no caso do Clube do Remo. Aliás, um deles, salvo engano o Bororó, chegou até a dizer publicamente, que a pressão foi boa para os jogadores sentirem a força da torcida. Ademais, a própria contratação dos outros dois jogadores pode ter contribuído. Note-se que eu nem me reporto com destaque à limitação técnica do treinador e de alguns dos seus eleitos, em detrimento de vários preteridos. E não o faço porque é patente que só três times evoluíram após o primeiro turno (tuna, cuiarana e paysandu) e dois deles o Remo venceu, a duras penas, mas venceu.

    Enfim, depois de também refletir, à noite, passei a entender que a pessoa mais indicada para salvar alguma coisa deste incêndio é o próprio FA. E quem sabe ele não tenha começado a trabalhar nesse sentido ontem mesmo, na entrevista que deu ao Caxiado, elogiando a hombridade do elenco, com destaque para os atletas que indicou. Admitindo que o problema pode ser ele. Dizendo que se for isso está disposto a se sacrificar pelo bem do Remo e pela elevação da produção dos atletas e “ameaçando” se demitir.

  21. BOMBA: Remo protocolou na FPF pedido para que coloque cobertura nos Estádios em que for jogar para evitar que a chuva atrapalhe seus jogadores, já que estes estão acostumados a só jogar no sertão. Zeca Pirão já disse que se o pedido do Remo não for atendido já tem em mãos um pedido formal ao Papa Francisco para que o mesmo interceda junto a São Pedro para evitar que a chuva caia durante os jogos do Leião!

  22. Bom dia senhores, realmente jogar em um campo no estado que estava ontem é bem complicado, mas não concordo com o que o amigo Claudio Santos disse: “se tivessem jogando PFC e um outro time de pelada desses qualquer, do Parazão” como assim um outro time de pelada? por acaso o Paragominas seria um time de peladas o PFC já mostrou que não é um time ruim, tendo em seu elenco vários jogadores de qualidade, sendo assim acho injusto desmerecer essa vitória comparando o time vencedor com time de pelada, sendo que o PFC foi um time inteligente sabendo dar chutão quando necessário já que a bola não rolava no gramado ruim e quanto ao amigo Rocildo adora falar do time dele, mas quando o mesmo perde e prefere comentar o jogo do Papão que ainda nem aconteceu..rsrs

  23. Se verdadeira a notícia do Cláudio (não que ele publique inverdades, mas as vezes as fontes dão uma rasteira), pelo menos o clima de confiança entre técnico e jogadores volta e o Leão terá melhores condições emocionais para tentar permanecer na z4. Não é difícil, só depende dele mesmo. Temos de continuar dando o apoio necessário, né Rocildo.
    Abs

  24. Prezados Colegas do Blog e Gerson,

    Primeiro, (apesar de torcedor do Maior Clube do Norte) penso que ontem não deveria ter tido jogo de vido as condições do gramado (?). Acho o cúmulo da falta de profissionalismo realizar-se jogo de futebol naquelas condições.

    Sobre o jogo, analisando o que se viu, tenho que concordar com Gerson e dizer que o Remo foi (novamente) dominado, daí que a derrota foi algo extremamente normal.

    Quanto a Clebson, escrevi aqui no blog e no Face do Gerson que o mesmo não vinha de uma boa temporada no Salgueiro, apesar disso, penso que o jogador possa ser recuperado para série D, podendo contribuir significativamente no Clube de Periçá.

    Por fim, diferentemente do Rocildo (e seus delírios, com todo o respeito. rs.), penso que o Remo está em situação complicada, posto que, o São Francisco e Águia (no último jogo) jogam para permanecer no “alto” escalão do futebol local, nestas condições o time que precisa do resultado tende a crescer (ainda mais contra um adversário de cabeça baixa como o Remo – vimos isso ontem).

    Abraços!

    Carlos Lira

  25. Esse Roçado, ops. Rocildo, chegou ao ápice da insanidade. Imagino que esse tipo de loucura extrema, deva ser por causa da idade avançada. Procura um psiquiatra para um tratamento urgente, senão logo logo, você vai começar a comer merda, se é que já não está nessa fase.

  26. UFA, Cláudio ! Ainda bem que a coisa foi contornada, senão teríamos, mesmo, a catástrofe tão temida pelo Rocildo ! rs É sério ! rs Agora, é ficares em contacto com o FA e atuares como assistente dele, armando esse time aí ! rs É sério ! rs

  27. Rsrsrsrsrssr o Amigo Cláudio com sua eterna “picuinha” com os técnicos locais e o Rocildo com sua imparcial paixão remista. São bons motivos para acompanhar esse boteco virtual! além é claro dos motivos óbvios. hehehehehehe

  28. Como sempre se diz por aí, “Em time que está ganhando não se mexe”, o Remo paga o preço por ter mexido no time, que não tinha lá um jogo brilhante, mas tava ganhando. Bom lembrar que os jogadores recebiam por vitória, bicho que acabou, garra que se foi. Agora a história é outra, existe alguma insatisfação no elenco, só ainda não sei qual é. Me parece que é “a ação da diretoria” de pressionar comissão técnica e jogadores, impondo uma escalação, um esquema tático, um jogador “queridinho” ali, outro acolá… Sempre vai ser casa cheia se o time estiver ganhando, levando em conta o tempo que o Remo amarga essa situação de correr o risco de ficar sem calendário, que é bastante, melhor pensar em classificar à série D logo que ficar cobrando futebol bonito e só depois fazer as dispensas e contratações que forem necessárias. Acho agora o 3-5-2 a melhor disposição para o Remo, já que ficou provado que o 4-4-2 não dá mesmo.

  29. O Remo perdeu uma excelente chance de trocar o técnico após a perda do primeiro turno. Penso que trocar-lo agora faltando duas rodadas para o fim do returno seria muito arriscado, mas, que deram chance para o azar, deram.

  30. Ontem não assisti a partida mas acompanhei pela rádio clube e conforme os comentários do amigo Gerson o leão estava entregue às baratas! pois não conseguia criar nada, era um time totalmente perdido e novamente apático.
    Faça chuva ou faça sol o time de Periçã vai ter que colocar o vagão nos trilhos, tirar leite de pedra para classificar à tão sonhada série D.
    Ontem postei afirmando que tudo depende única e exclusivamente dele, agora é esperar.
    Acorda Leão!

  31. A porcelana era chinesa??? Ao que parece até mesmo os adeptos azulinos estão descrentes com seu time.
    Pela palavras de seu professor podemos imaginar enes coisas, mas aquela de que ele abandonando o comando, tudo pode melhorar com a chegada de um novo professor… E blá blá
    São declarações típicas de técnico periférico.
    O leão nao tem nada haver com a Bolívia querida..

  32. Gerson e amigos do blog,

    Nem tanto ao céu, nem tanto ao mar… Estou vendo alguns amigos bicolores já de salto alto, dizendo que o Paysandu é o campeão paraense deste ano, enquanto muitos colegas azulinos já estão entrando em desespero, descrentes até mesmo numa vaga a Série D. O momento pede calma e serenidade em ambos os casos.

    O Paysandu deve e tem a obrigação de manter a humildade, pois ganhou tão apenas e somente um turno do campeonato. Ou seja, para a história, nada! “Ah, mas é o melhor time do campeonato!”. Concordo, pois vem dando seguidas mostras disso ao longo do campeonato. Porém, a história no ensina que o Brasil de 50, a Hungria de 54, a Holanda de 74, o Brasil de 82 e até o Paysandu de 2003 eram os melhores times. Mas, levaram a taça para casa? Não! Uma simples derrota para o Águia jogou por terra uma campanha maravilhosa, e ao final do campeonato o Remo foi campeão mesmo sem ganhar um RexPa sequer. Com a cabeça no lugar e seriedade, jogando com afinco, naturalmente as vitórias virão e consequentemente o título, dada a maior qualidade de sua onzena.

    Quanto ao Remo, depende só de suas próprias forças para ter o tão sonhado calendário até o fim do ano. E não pode, nem deve se apequenar diante de adversários como São Francisco e Águia. Tem sim é que juntar esforços no grupo, e se for necessário até mesmo fazer uma sincera e franca “lavagem de roupa suja” no elenco, onde todos digam o que acham e pensam sobre esquema tático, postura em campo, etc. O escrete azulino tem qualidade superior aos seus concorrentes diretos e se por a cabeça no lugar chegará sim ao seu objetivo este ano que é a disputa da Série D.

    Portanto, nada está ganho, nem nada está perdido para a dupla RexPa.

  33. Com a sua participação quase garantida na quarta divisão do futebol brasileiro, creio que cabe aos diretores e comando técnico azulino, pensarem já na possibilidade de reforço para esta competição. E aqui vou logo dando dicas para o comando azulino, Magno lateral direito do Paragominas. William Santos meio de campo do águia, Aleilson atacante do Paragominas e a contratação para deixar Belém de cabeça para baixo e os torcedores do papinha malucos, sem sombra de dúvidas é o Eduardo Ramos, que certamente irá se apaixonar pela sétima torcida mais presente do Brasil. E de quebra também pode contratar o João Neto. Tai as contratações, capazes de levar o mais querido ao título de campeão brasileiro da quartinha do Brasil.

  34. Pirão não foi visto hoje lá na CMB, por isso esse encontro com o Vandick é improvável.
    Quanto ao Clebson, é puro saudosismo ficar lembrando dele apenas pelos 4×2 que eliminou o Paissandu. Ano passado ele foi colocado na roda, levou de 4×0 e ainda viu seu time rebaixado. Só isso.

  35. O jogo de ontem mostrou mais uma vez a fragilidade da arbitragem paraense. Jogar em igarapé é sacanagem. O PFC se beneficiou por conhecer seus buracos. Acredito que a saída do Nata com o terceiro cartão, foi ótima. O Remo vencerá o segundo turno.

  36. pior canário pro Remo: perde em Santarém e ganha em Belém se classifica em quarto e pega o Paysandu nas semi. O paysandu elimina o Remo e perde pro sana cruz…

  37. Há cenário pior:Remo perde e Tuna, Santa Cruz e PFC vencem na rodada deste final de semana. Aí, na última rodada, PFC e Tuna em patam, assim como Papão e Sta Cruz, obrigando o Remo a marcar de cinco a seis gols no Águia.

  38. O cara tá tão ouriçado ou pirado,que não vê que nem um desses jogadores que citou,vai ter preferência por um time na situação do remo.Descaradamente,ainda citou jogadores do Paysandú,que não vão deixar de comer filé,para roer osso ! O que o fanatismo não faz? No caso,deixou esse, piradão Te contar

  39. Vou mandar meu recado a esse torcedores do papinha, que sentindo o cheiro de enxofre no final de semana, tiram a sua atenção da dificil situaçao que enfrentará o papinha, para se preocuparem com o mais querido. Papinhandus, entendam uma coisa o que resta agora para o bicolor, e se preparar para decidir o campeonato com o mais querido, pois já disse e repito esse turno o mais querido vai papar, e ai quem for podre que se quebre meu mano. Camarada, se o Eduardo veio jogar nesse time do papinha que de importante nos últimos tempos ganhou apenas o titulo de coitado campeão dado pela Rede Globo, como não jogaria no maior do Norte. É apenas uma questão de entendimento financeiro, pois bola ele já mostrou que tem e vai se sentir o maximo, jogando a quarta pelo Leão, com o mangueirão recebendo de trinta a quarenta mil por jogo. Afinal o fenômeno vai querer sair desse sétimo lugar e vai querer buscar o bi campeonato brasileiro em média de público agora em 2013..

  40. Acho que o prezado Rocildo, infelizmente, deve tomar remédios fortissímos para amenizar a esclerose e quando vez ou outra a enfermeira esquece de dar a dose recomendada pelo médico, coitado, ele entra em frenéticos delírios e começa a escrever essas besteiras que já estamos acostumados a ler. Muito triste!

Deixe uma resposta