Um novo passeio alviceleste

Por Gerson Nogueira

bol_seg_110313_23.psO melhor time do campeonato é, sem qualquer discussão, o Paissandu de Lecheva. Campeão do turno, pode até não ser exibir um futebol deslumbrante, mas tem jogadas, usa o passe e os lançamentos. Seus atacantes se deslocam o tempo todo e não dependem apenas de cruzamentos.

É de conhecimento até do reino mineral que o Parazão é um campeonato de baixo nível técnico, com equipes montadas às pressas e pouco qualificadas. Em cenário assim tão limitado quem tem um olho é rei. No caso do Paissandu, quem tem Eduardo Ramos como organizador está com a vida feita.

O meia-armador voltou a jogar muito no sábado à noite. Havia sofrido um apagão, como quase todos os seus companheiros, na abertura do returno em Santarém. Fez de tudo. Passes precisos, distribuição inteligente do jogo e arrancadas em direção ao gol.

Foi dele o cruzamento que resultou no primeiro gol. Estava impedido, mas isso é outra história. Depois, participou dos demais lances capitais do jogo, incluindo o passe açucarado para Héliton liquidar a fatura.

Mas, por favor, o Paissandu não é apenas Eduardo Ramos. Djalma também vive grande fase, funcionando como o azougue do time. Ajuda a marcar e se posiciona como terceiro atacante. O gol, de puro oportunismo, é prova dessa disposição. O goleiro espalmou para a frente e ele, sem hesitar, testou para as redes. De fora da área.

Contra um PFC intimidado, confuso e sem a agressividade do primeiro turno, o Paissandu tomou conta da partida e não deixou que o adversário criasse problemas nem quando Djalma foi expulso ao receber o segundo cartão amarelo.

Qualquer time deste campeonato fica desarvorado quando perde um jogador. O Paissandu, pelo formato que executa em campo, quase não se abala. Héliton entrou no lugar de Iarley, que voltou a destoar do conjunto, e injetou sangue novo, botando o time no ataque outra vez.

Um quarto gol poderia ter coroado a noite, mas João Neto conseguiu mandar a bola longe quando tinha a trave escancarada. Times bem treinados sobram em campo quando enfrentam adversários inferiores. O Paissandu confirmou essa antiga regra. E ainda há quem questione o trabalho de Lecheva. Te contar.

———————————————————–

Remo vence no sufoco, de novo

Desde que o campeonato começou venho comentando sobre a fragilidade tática do time do Remo. Ganha os jogos, pontua e raramente perde – só uma derrota, para o Paissandu, até agora – e, no entanto, não passa confiabilidade. Contra qualquer adversário deste campeonato repleto de equipes sofríveis, o Remo sofre para vencer e manter vantagem.

Não foi diferente, ontem, contra a Tuna. O time começou a toda velocidade, como sempre, e terminou capenga, pressionado e correndo riscos. Os gols perdidos no primeiro tempo quando o time era superior e mais agudo nas tentativas de ataques escassearam na etapa final.

Tiago Galhardo, em rara tentativa individual, arriscou um chute meio mascado de fora da área e abriu o placar aos 33 minutos. Depois disso, outras boas tentativas, sempre em alta velocidade, quase nunca com mais de três passes de preparação.

Este talvez seja o problema do Remo. O sistema usado não permite que a bola passe de pé em pé e seja trabalhada antes do arremate final. Há pressa excessiva, pouquíssimo preparo. O setor de criação existe justamente para isso, mas os remistas estão marchando em sentido contrário. Disputam o campeonato sem ligar muito para essa função.

Flávio Araújo pode chegar ao título usando o sistema atual, mas correrá sempre riscos imensos quando enfrentar um adversário mais consistente no meio. O Paissandu levou o título do turno justamente por ter esse diferencial.

A Tuna, de futebol tão modesto quanto suas pretensões no torneio, quase complicou a vida do Remo, meio sem querer querendo, como diria o velho Chaves. Fabrício, que ainda joga muito, fazia sozinho o que a meia-cancha inteira do mandante não conseguia. Lançava, arrumava e arriscava chutes a gol.

No segundo tempo, o que era um perigo a considerar virou situação de fato quando foi marcado o penal contra o Remo. Mossoró bateu e Fabiano defendeu. Logo depois, Fabrício fez aquilo que habitualmente faz e levou o cartão vermelho, quebrando as pernas da Tuna.

Ainda assim, o Remo seguiu seu calvário de passes errados e ligações diretas. Não mudou de estilo nem quando Clébson substituiu Gerônimo e o time passou a ter dois armadores. Galhardo foi à frente, mas não havia liga. Falta treino para fazer a equipe girar e valorizar a posse de bola. O esquema bate-estaca está tão assimilado que nem dois meias habilidosos como Clébson e Galhardo mudam o ritmo do samba remista. Mas há ainda tempo.

———————————————————–

A diferença que um maestro faz

Fazia tempo que um título não me alegrava tanto quanto a conquista desta Taça GB sobre o Vasco de meu pai José e meu mano Edmilson. Além de atestar a maturidade de jovens como Dória, Gabriel e Vitinho, crias do Botafogo, ficou evidenciada a importância de um maestro em campo.

Tínhamos Clarence Seedorf do nosso lado, o Vasco não tinha ninguém. Foi dele a assinatura de sofisticação de um toque de calcanhar para Vitinho cruzar em direção à área. Esta é a primeira taça levantada no Engenhão. Por certo, a primeira de uma longa série.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 11)

62 comentários em “Um novo passeio alviceleste

  1. o casting nordestino quaze se bate nas propias pernas, tivesse a Tuna dois ou mais jogadores com musculos diferenciados para ajudar o Fabricio , o caldo teria entornado.
    desta vez eu vi o jogo de cabo a rabo e o time azulino joga igual a time de fazenda.
    Se o tal do Paulinho Mossoro tivessse mais responsa na hora de cobrar o penalty, os adeptos azulinos estariam agora tirando a venda.
    Mas eles armaram um selecionado do nordeste para conseguir a vaga na serie D, entao… a Tuna vai brigar para nao cair na maldita segundinha.
    deixamos escapar um ponto importantissimo.
    Domingo cruel, a tuna entrou no cacete, o primo carioca idem..quiz se segurar no empate, deu no que deu…
    Parabens Gerson, nada como tirar a poeira das prateleiras e por um caneco na mesma.

  2. Seedorf: Jogou muito, mesmo marcado de perto pelo Nei, só fez fez gol e não fez chover. Até cartão por simulação de falta o craque tomou.

    Fabricio: Levou vermelho injustamente e atrapalhou pelo menos empate da Tuna.

    Galhardo: Vai se tornando o jogador mais chato do parazão e isso é crime no mundo dos boleiros. Tá na hora de alguêm encostar e aconselhar este sujeito.

    Clebson: O mesmo tanto de passes certos que deu, foi o n° de errados. É claro que nota-se que é diferenciado, mas não é tudo isso.

    Dewson: Fez uma arbitragem normal, normalissíma!

    Pirão: Quer se aparecer? Bota um abacaxí no pescoço.

  3. Enquanto o Flávio preferir volante cabeça-de-bagre na escalação, o Remo continuará com o mesmo problema de saída de bola.
    O pior é que o Remo joga mal e ele não testa peças novas. Tragodara foi um dos primeiros a chegar no Remo e, até agora, só jogou mais que os goleiros reservas. 40 segundos…

  4. Penso, Gerson e amigos, que a grande diferença entre o Paysandu e o Remo, é que o Papão tem a objetividade e o Remo, a organização tática…
    Não se pode dizer que o Remo tem uma fragilidade tática,quando em praticamente 95% dos jogos, domina por completo seu adversário, apenas não conseguindo ser objetivo.. Já o Paysandu, as vezes, nem domina, mas é objetivo e sai com a vitória, como foi no jogo contra o S.Francisco.
    Vamos esperar pra ver, como se comporta o time do Paysandu, sem o Eduardo Ramos, contra o Águia, pois penso que o Papão é um com ele e outro, sem ele…

    Só para os amigos perceberem que o projeto série B, está furado, fizeram um contrato com o Eduardo Ramos, até o final do ano, mas dando a ele, sem ônus, a liberação, ao final do Parazão, caso alguma proposta mais interessante, apareça… Eduardo Ramos deve deixar o Paysandu, ao final do Parazão, 2º uma entrevista sua a um portal, ontem…
    – Aqui pra nós, mas pra quem já perdeu o ThiagoPotyguar, que ontem assinou com o Sport-PE, “achou” o Eduardo Ramos e agora perder, também…Olha… Sei não..

    – Em uma entrevista, o Clodomir Jr, diretor do PSC, disse assim: “Já estamos em campo, visando as contratações para a série B. Amanhã(hoje), o Yamato vai viajar para SP, para observar alguns jogadores para o elenco”… Te contar…

    – Olha, se a moda pega, o bom e rápido para se entender de montagem de elenco e de futebol, é fazer um curso de gerente… Pra que perder tempo fazendo curso de técnico de futebol? Pra que nascer, pra ser técnico de futebol? Em 1 mês de curso, você diz-que, aprende tudo isso…
    Gente, o Yamato, Roger e Clodomir, entendem mais de futebol, que bons técnicos de futebol… Podem acreditar…. Ah, e para o Lecheva treinar…. Continuem assim… Depois, não chorem…

    Aliás, quando é que o Yago vai voltar a jogar seu bom futebol, como nos tempos do Davino?

    É a minha opinião..

  5. Parei de ler a coluna depois dessa ”O melhor time do campeonato é, sem qualquer discussão, o Paissandu de Lecheva” pelo amor de Deus deve ser o efeito da comemoraçao de ontem ainda. Vou guardar essa coluna e no final do cameonato tenho o prazer de voltar aqui, desde quando time ajudado por juiz pode-se dizer que é melhor de alguma coisa. Mas o tempo vai provar o contrário.

  6. Já vou discordar de todos dois, em primeiro lugar a Tuna do Lisboa , apesar de no primeiro tempo ter um dominio do jogo, perdeu uma chance de gol numa batida de falta, que o paredão Fabiano defendeu e no Rebote o Diego Indio chutou e novamente o paredão defendeu. Já o Remo, perdeu uma chance com o Val, deu um chutaço e a bola raspouo poste direito com o goleiro já vendido na jogada, Perdeu outro com o Jonhatan que o zagueiro tirou em cima da risca, e outro claro com o Galhardo. No segundo tempo a coisa piorou para a Tuna, o Clébson entrou o time tocou bola e ai, o Alex, mandou uma na trave, o Val Barreto perdeu gol, o Paulista perdeu gol, quase sai um contra, em um mesmo lance o Branco perdeu um gol, e na sequência quase o Clébson caido fazia o gol, o Zé Antonio perdeu gol. Resumindo a vitória foi merecida.quanto ao Pirão, se ele reclamou ele está correto, esse rapaz que dizem ser o melhor arbitro local, fez um festival de lambanças, inverteu faltas e até um escanteio claro para o Remo, ele marcou tiro de meta, somente não confirmou , porque o bandeirinha estava apontado para o canto asinalando o escanteio, em em uma jogada no primero tempo, ele proximo do lance, marcou um escanteio para a Tuna , quando o zagueiro chutou uma bola ela bateu nas pernas do atacante da lusa, e ele marcou escanteio, quer dizer todou mundo viu o lance e ele em cima não, e mais todo lance duvidoso, ele dava para a Tuna. Em certas jogadas, os atletas da Tuna ficavam no chão, com a bola indo para o ataque tunante ele não paralisava o lance, e quando o Remo recuperava a bola e partia para o ataque, ele apitava , inclusive em duas jogadas o risco de gol para o time azulino era eminente, e mesmo assim ele paralisou a jogada. Ele não interfiriu no placar do jogo e até deu um penalti correto, mais para mim, ele estava agindo como se tivesse sacaneando, por não ter sido o apitador do Replay. e eu também se fosse diretor, traria juizes de Macapá, e não ficava com nem um deles apitando jogo do Remo. O Carlos Castilho, que é o mais premiado comentarista esportivo do Norte, ao final disse que não gostou da arbitragem e deu nota 6 para o Cidadão, e ele deu muito, porque eu daria 4. e mais eu não costumo me preocupar com arbitragem, tanto que nem discuto o que foi que fizeram com o Paragominas, naquele primeio gol do papinha. Eu somente sei , que marcaram impedimento a equipe do Paragominas paprou, os atletas estavam já se posicionando para uma nova saida de bola, e o cara do papinha, foi entrando e fazendo gol sem mais nem menos. E ai mano se não ocorre aquela lambança, e o Aleilson não perde o Penalti como perdeu o tunante, o jogo ai na cururu terminaria terminaria empatado, ou tu não assi9sitiu dessa vez o jogo todo.

  7. Agora quanto a opiniões de bicolores com relação ao clube do Remo, eu nem esquento, eles que se cuidem, que o Remo não joga nada, o Remo não tem esquema, o Clébson e um perna de pau, o elenco é um amontoado de nordestino,o Galhardo é mascarado, o papinha é brilhante. Agora eu acho engraçado o seguinte, eu também vi todo o jogo do papinha contra o São Francisco todo quebrado, e ai o time mocorongo, dominou o jogo, e meteu o papinha na roda e perdeu um monte de gols. Ai no final em duas jogadas , eles venceram o jogo. Ai no outro dia, os comentários dos papinhandus diziam, a nossa estrutura tática funcionou, o papinha jogou nos erros do adversários, fizemos uma atuação perfeita dentro do nosso esquema tático. Resumindo domingo tem Replay, eu quero ver se vai funcionar o tal esquema tático de vocês, contra o futebol de fazenda do Remo, o futebol do chutão, o futebol confuso do mais querido.

  8. Primeiro quero dizer a quem escreveu isso aqui que a grafia correta é PaYsandu, com Y. Depois, dizer ao Rocildo (com um nome desses qualquer um viveria triste) que deve tomar seu remédio para esclerose todos os dias, senão fica enchendo o blog de besteira. Ninguém lê nem a metade do que escreves, velho babão.

  9. Gerson bom dia e parabéns pelo nosso Botafogo, concordo com a coluna que aponta o Paysandú como melhor equipe do campeonato. Não vou nem falar do adversário isso fica para os devotos do leão!
    Mas uma coisa é certa muito tem que ser feito para a série B.
    Quanto ao Eduardo Ramos sair do Paysandú isso cabe a ele decidir e também a diretoria abrir o olho e cobrir a oferta concorrente! mas não acredito que ele saia.
    A Tuna é um time muito inferior inclusive comparando aos demais concorrentes certamente irá disputar a segundinha ano que vem queimando a minha língua que ao vê-la aplicar a goleada no Águia iria levantar a cabeça e fazer valer suas tradições, ledo engano!
    o caminho segue e tentar ajeitar o time num campeonato onde não há intervalo dígno entre as rodadas exigirá um “tirar da cartola” para a fórmula dar certo, isso só os grandes mágicos (Flávio Araújo) o fazem, será!
    O Lecheva dá para o gasto, sincedramente falar assim é até desprezar os feitos e o que ele faz no Paysandú, eu também tenho uma pulga atrás da orelha, mas confesso que tenho gostado de ver o Paysandú jogar, o time tem toque de bola, sabe para quem passar, não existe o tal chutão, em fim o que mais irão cobrar do rapaz, a Copa do Mundo e mesmo assim ele não passará de um boleiro? Para mim está cheirando outra coisa!
    O fato é que ele fez o time jogar e com ele chegamos atingimos objetivos que há muito tempo estavem distantes da Curuzú.
    Aos críticos do treinador bicolor dêem um tempo ao rapaz e comecem a cobrar do ilusionista FA que “pode” até chegar ao título mas sem nenhum merecimento.
    O tal do Galhardo(GAIATO) alguém tem que chegar nele e mostrar que ele não é nenhum selecionável, é medíocre, desagregador e começa a não gozar da empatia dos próprios jogadores, será dor de cabeça futura, anotem!
    Ontem também a justiça foi feita o título agraciou quem procurou jogar bola, foi em busca do gol e não se acovardou com o regulamento em baixo do braço, valeu FOGÃO!

  10. Caro Rocildo, parabéns por suas mensagens, que sempre estão amparadas em estatísticas verdadeiras, e não “chutadas”. Essa cultura do “eu acho” tem que ser usada para dar opinião, e não para tentar mudar os fatos. E não se preocupe com o que dizem do Clube do Remo, isso na verdade é respeito disfarçado.

  11. Ai Cláudio Colúmbia tá vestindo a camisa hein? Falar que o Remo dominou 955 dos adversários e o PSC foi dominado na maioria dos jogos só pode ser torcida amigo, com todo respeito que você merece.

    RRamos

  12. O Clebson merecia o vermelho. Entrada de carrinho sem passar perto da bola, por trás, atingido em cheio o tornozelo do pé de apoio. Alguém sabe como está o jogador da Tuna?

  13. Maurício ao cartão vermelhjo que o jogador da Tuna levou era para ser dado ao estreante azulino, jogada desleal num jogador sem bola.
    O Caeado Araújo me preocupou mais ainda com a declaração dele de que os dois jogadores que vieram foi para disputar vaga pois o time já possuia elenco para mudar de esquema, e agora Cláudio?
    Pelo jeito teremos jogos mais sofríveis do leão daqui para frente, que diretoria [é essa que concorda com um estilo de jogo destes, te dizer!

  14. É, amigo, Cláudio, dessa vez vou discordar totalmente. O Remo do Flávio Araujo, pra mim, não dominou nenhum jogo. O que ele passa é uma falsa ilusão de time rápido, mas sem objetividade. O Paysandu já é o inverso: me passa a sensação de time lento, mas com 3 ou 4 toques tá na cara do gol e, normalmente, faz. Acredito que o Remo só ganha algum título se o adversário não tiver em dia inspirado.

    Outra, pelos números: o Remo com Val, Galhardo, Fábio Paulista, Branco etc não goleou ninguém, vencendo sempre com gols mais achados que construídos, já o Paysandu, quantas goleadas já deu?

  15. Ontem, o remo começou mal e a tuna foi melhor no meio do primeiro tempo o jogo já estava igual. depois do gol e durante todo o segundo tempo foi melhor com sobras. falta melhorar a finalização. foi bom ver o alex juan, da base, entrando e mostrando que pode dar conta do recado. Quanto ao arbitro, te dizer, foi uma das piores atuações que vi in loco, inverteu faltas, inventou faltas, assinalava errado, teve um lance que parecia pela onde o remo queria lateral e a tuna falta e o arbitro não se posicionava. Agora, uma coisa que sempre digo e que o Claudio salientou ontem, não adianta colocar jogador ou até mudar esquema se não treinar. Ontem foi o clebson pro jogo e o meio não ficou compacto e o time sofreu no fim do jogo da mesma forma que com o esquema anterior. Na pré-temporada, o remo não tinha um monte de jogador e fomos pro primeiro jogo com o que tínhamos de melhor e o esquema está sendo mantido porque com jogos quarta e domingo e com a pressão da serie d não tem como treinar e encaixar jogadores em outro esquema.

  16. Não gosto de me desfazer das opiniões dos outros, mas o quem deu notas no Bola para a atuação os jogadores no clássico de ontem viajou na maionese. Nota 8 pro Clebson?

    Imagine se ele faz aquele gol que ele tava sozinho de frente pro gol? Ia ser carregado no colo.

    Aliás ontem não ví nem um jogador em campo que merecesse esta nota, pois o jogo foi de médio pra baixo, logo a maior nota seria 7,5 a quem eu daria ao goleiro do Remo que salvou o time em algumas bolas e principalmente no tiro livre da marca do cal.

  17. O Pirão finalmente conseguiu o que queria, meteu medo no árbitro que agora só apita pro emo, o grande dewson, PIPOCOU E PIPOCA em todas, senão vejamos:
    Na expulsão do Fabrício, como é que um jogador de costas atinge o outro e foi o Fabrício que tomou um tomou um rapa do galhardo; no seguimento da jogada em lance na área do leião, o camisa 10 deles, enroscou-se numa jogada(prendendo bola e jogador adversário) o juizinho marcou falta prá Tuna, mas, não advertiu o azulino; No lance do penal, por quê o juizinho não amarelou o atleta que cometeu a falta, se ele marcou o penal????
    Cuidem-se os adversários do leião, quando o apitador escalado chamar-se Dewson Freitas…

  18. Frase que alguém enviou, por SMS, ao Bola na Torre, de ontem, que contava com a presença do Diogo Capela (mais ou menos
    assim, pois perdi um pedaço do início):

    “…CR mandou buscar o Capela para ter como fazer sua missa de sétimo dia” ! kkk

    Será que é o D. Bispo quem vai rezar ?!

  19. Concordo plenamente com a opinião lúcida do amigo Cláudio quanto as comparações entre Remo e Paysandú. Tudo bem, o Paysandú conseguiu ganhar o primeiro turno, mas não está jogando essa bola toda como alguns insinuam. No re-pa os detalhes e a opção de recuar em demasia fez o Remo levar aquele gol quase no final. Acredito que com esses dois jogadores de meio contratados, o treinador Flávio Araújo, conseguirá dar uma estabilidade e objetividade ao meio campo azulino. Agora, não deixo de citar nesse meu humilde comentário, a situação preocupante dessa zaga do Remo durante os jogos, chutões desnecessários, faltas que poderiam ser evitadas próximo a área. No ataque estamos bem servidos e com o ajuste do meio campo, a tendência é aumentar a frequência de ataque e a estatística de gols. Acredito que o nosso bom treinador, agora com novas peças, fará a mudança de postura do time em campo tornando-o mais ofensivo.

  20. Concordo que o Paysandú vem bem. Mas vou aguardar a 4ª rodada e as seguintes para chegar a uma conclusão. Independente de tudo, vou torcer para que dê Remo e Paysandú na decisão do returno.

  21. Fazendo uma comparação das partidas de final de semana de Papão e Leão os resultados seriam outros, o Paysandú que ganhou de 3 x 1 o placar podería sido 6 x 3, 7 , 8 ou mais se os desperdícios não existissem ou fossem menores e o leão 3 x 1, 4 x 2.
    O time do Papão chega hoje a 35% ou em alguns casos 40% de aproveitamento, ou seja quase uma bola no gol a cada três criadas!
    Já para o time azulino essa razão cai assustadoramente entre 18% e 25% de efetividade justificando não haver nenhuma goleada em favor dos remistas.
    Basicamente para o Paysandú de cada três chances de gol uma vai para as redes enquanto que para o lado azulino essa média é de 5 para 1!
    O Papão tem tomado gol em quase todos os jogos mas como é mais positivo no ataque suas vitórias se confirmam com menos sofrimento para o torcedor alvi-celeste!
    Já o azulino a duras penas não perde por ter a sengunda defesa menos vazada (sofre 1,15 gols por partida) só perdendo para o Paysandú (1,07 gols por jogo).
    Esclarecendo, no campeonato temos a seguinte relação:
    Ataque (GOLS/PARTIDA – GOLS NO CAMPEONATO)
    1- PAYSANDÚ 2,69 – 35
    2- REMO 1,92 – 25
    3- PFC 1,45 – 16
    4- ÁGUIA 1,42 – 10
    5- SFC 1,36 – 15
    6- TUNA 1,25 – 5
    7- CAM 1,00 – 8
    8- CUIARANA 0,9 – 9

    Defesa (GOLS POR PARTIDA)
    1- PAYSANDÚ 1,07 – 14
    2- REMO 1,15 – 15
    3- CUIARANA 1,2 – 12
    4- CAMETÁ 1,37 – 11
    5- PFC 1,54 – 17
    6- SFC 2,09 – 23
    7- ÁGUIA 2,57 – 18
    8- TUNA 3,25 – 13
    Os números não mentem e confirmam a grande diferença do time do “boleiro” Lecheva do “super-mágico Treinador” Flávio Araújo.
    É elementar meus caros!

  22. Gerson

    Meu raciocinio sobre o atual time do remo é que apesar das limitações esse time atual é o melhor que o remo formou nos ultimos anos.Se ele conseguir a vaga na serie D,já é um grande feito.No brasileiro é só reforçar um pouco mais e tentar ficar entre os quatro.Já me contento com isso,no futuro as coisas vão melhorar.

  23. Amigo Raimundo Ramos, em nenhum momento eu disse que o Paysandu foi dominado na maioria dos jogos… Fiz uma comparação, apenas, entre Remo e Paysandu… Na verdade, o Remo domina, é organizado taticamente em 95,5% dos jogos, mas não faz gols, o Papão, domina, não é tão organizado taticamente, mas faz gols. Desculpe se me expressei mal, mas na verdade quis dizer isso.

    Quanto a coluna dizer que o Paysandu tem o melhor time, só ratifica o que sempre falei aqui, que o Papão tinha mais time e o Remo, mais técnico…

    Sempre vou vestir as duas camisas, mas como disse, ontem, o Papão já está na série B e vibramos e torcemos por isso. Hoje, a meta é levar o Remo à série D,para que os dois tenham calendário no brasileiro e continuem elevando o nome do Futebol Paraense…É bom não confundir..

    Eu não estou torcendo para o Remo e sim, para o Remo entrar na série D. Quem vai ser o Campeão, pra mim, tanto faz.. Aliás, torceria muito por uma final entre Paysandu x Águia..

  24. Amigo Dênnis, dominar e não ter objetividade, são 2 coisas bem diferentes… Você pode dominar e não ser objetivo, como o Remo, por exemplo, e é a isso que me referi… Ontem, praticamente a Tuna não existiu e isso, não aconteceu porque ela jogou mal, não, foi o Remo que não deixou, daí ter dominado, mas não ter sido tão objetivo..

  25. Amigo Miguel, técnico algum vai dizer que contratou um jogador, para ser titular, para não perder o grupo, a não ser que seja uma grande estrela do futebol nacional.. Perceba que ele não diz isso, mas prepara o jogador, para isso, que é o mais importante e, que no final, acaba sendo a mesma coisa…

    – O Remo, ontem, sentiu as 2 mexidas, por serem jogadores que não tinham jogado, ainda, e estava sem os 2 alas titulares…

  26. Ao que tudo indica, Remo e Paysandu são os grandes favoritos no segundo turno,mas o Sta. Cruz de Cuiarana pode chegar,caso engrene no campeonato,porém,uma incógnita.

    Sou mais Papão,pois está mais tranquilo e com menos pressão sobre si,e isso pode facilitar.

  27. Concordo, o PSC no campeonato todo só foi dominado meio tempo pelo CR, no resto, cadenciou os jogos até vencer, e o mérito está com Eduardo Costa que é um jogador diferenciado em relação ao nosso futebol. E o CR vem em segundo lugar, mas vem vencendo sempre no sufoco e na garra dos seus atletas. Agora, o Seedorf é flórida, dá gosto vê-lo jogar, parece que está se apresentando em um palco e não disputando uma partida de futebol.

  28. O problema do Remo é o Flávio Araújo achar que sabe demais e não fazer apenas o simples. Aí vem aquela frase do Murici Ramalho: “a bola pune.”

  29. Concordo plenamente que o Paysandu é de longe o melhor do campeonato. O CR só tem conseguido resultados positivos pq este ano, os times chamados pequenos estão desfigurados. (Cametá, Águia, etc… e São Raimundo e Independente, nem estão participando etc..)

  30. Cláudio, acredito que a coluna perfaz o que a realidade nos mostra, ou seja, o Paysandu é mais objetivo que o Remo. Veja os números. No entanto, ainda acredito que o Eduardo Ramos ficará para a série B.

  31. Agradeço sua palavras Elton Sales, e te garanto que tenho muita lenha para queimar, e o assunto que eles quiserem debater eu debato.Dentro da classe da maestria e do conhecimento de um verdadeiro torcedor de sangue azul.

  32. Senhor Otávio Santos, crie um blog para você, e de preferência denominado blog do papinha, e estabeleça que somente dez linhas deverão compor o texto de cada torcedor bicolor a cada dia. pelo menso assim , vocês terão menos espaço para falar mal do mais querido do Pará e do Norte brasileiro, que é o Clube do Remo.

  33. Em relação a Remo e Tuna, vi outro jogo meu caro Gerson. MInha interpretação em relação ao seundo tempo é diferente. Clebson mostrou a que veio, diferente do Ramon. Deu passes precisos de lançamento.Articulou o meio de campo e estabilizou o time. Obviamente que falta entrosamento, mas foi incomparável a melhora do time com a entrada do novato.

  34. Parabés pela serenidade da resposta Gerson Nogueira. Diga a ele, que a ditadura militar no Brasil já acabou faz tempo. Fiquei até imaginando ele comandando a equipe de censores da Divisão de Censura de Diversões Públicas (DCDP), do governo Medice.

  35. Por isso que no comentário 26 coloquei a relação número de gols sofridos e ou marcados com número de partidas disputadas!
    E de fato esqueci de citar os artilheiros!

  36. Resumindo a ópera:
    Assim como o Paysandu, seus torcedores comentam com objetividade e tem clareza em seus comentários.
    Em síntese, é isso:
    O Paysandu irá conquistar o segundo turno e o campeonato acaba.

  37. Rosivan é por isso que a torcida do Salgueiro está cobrando satisfações da diretoria do clube, o Clebson é um bom jogador e vai ser muito útil ao leão desde que o técnico colabore, é claro!

  38. Ei Gerson.Tens que cobrar pedágio, no espaço da coluna,pois tem gente pisando em demasia,de forma inconsistente, para uma série de lamúrias,na maioria das vezes.sem procedências.Te contar,é muita perda de tempo.Há pessoas que nem sabem o que é objetividade.Aí dirámos: Erra menos,quem escreve menos e de forma racional ! Digo o santo e omito o milagre !

  39. Bom, pelos meus cálculos, as médias de gols de Remo e Paysandu, são, respectivamente: 2,27 e 2,91. Na média de gols sofridos, respectivamente por Remo e Paysandu: 1,36 e 1,27. Em números absolutos, o Paysandu tem a melhor defesa e o melhor ataque. Mas tenho a impressão de que a defesa remista é melhor porque o time joga mais exposto ao ataque adversário. Em números relativos, o Remo tem a melhor defesa e o melhor ataque. A produção de ambos depende do estilo de jogo, mas os dois são os melhores do campeonato. Mas concordo com o Gerson porque todo brasileiro gosta de time ofensivo, que se arrisca no ataque, e eu também. Nesse quesito, o Paysandu é realmente melhor. Remo e Paysandu são os únicos times com média acima de 2 por jogo, mesmo que tomem um por jogo… Olhando a média, é como se todo jogo do Remo fosse 2×1 e do Paysandu também, só que a cada duas rodadas, o time bicolor venceria uma por 3×1.

  40. Me perdoem, errei no cálculo das médias (não contei as partidas do 2º turno). Para os ataques:

    GP/J (REMO)=25/15=1,92
    GP/J(PAYSANDU)=35/15=2,33

    Para as defesas:

    GC/J(REMO)=15/15=1
    GC/J(PAYSANDU)=14/15=0,93

    O Remo não tem média superior a 2/jogo, mas está próximo. De qualquer forma, é o segundo melhor ataque da competição e uma das melhores defesas sem dúvida. Todos os outros times marcaram quase o mesmo número de gols sofridos, com saldo próximo de zero. Felizmente o erro de cálculo não muda minha conclusão.

  41. Obrigado Lopes! Eu levo em consideração todas as partidas válidas os gols pró e gols contra daí os resultados do comentário 26. Apesar de eu pegar pesado com a defesa do Papão eu fiquei surpreso em comprovar que apesar de tudo ela é a menos vazada proporcionalmente!

  42. Parabéns ao nosso Fogão, dirijo-me a quem torce pelo Glorioso e ao escriba botafoguense ,claro.Quanto ao Papão ser melhor do que os demais clubes venho afirmando isso desde as primeiras rodadas e fui chamado de “arrogante” pelo Cássio que pelo jeito não compreeende de futebol.Pois é está aí as palavras do expert sobre o assunto.Quando se opina com argumentos e racionalidade não é ser arrogante , é ser realista.E contra a Tuna pelo que minha família me disse novamente o Remo venceu na sorte.Ou seja o segundo turno será um repeteco para o Remo quando menos esperar a sorte não vai estar lá.

  43. Esse comentário do Gerson é mais um golpe mortal na tese defendida pelo nosso decano, Cláudio Santos, que um bom técnico começa com a naturalidade indicada no registro civil.
    Com todo o respeito que Claudio merece, repito o que disse domingo retrasado, quando Lecheva desmontou o esquema com três zagueiros do Flávio colocando o Héllinton entre o lateral e o zagueiro que o cobria. Essa tese é semelhante ao experimento do cientista japonês, Manoel Joaquim, que arrancou todas as patas de uma aranha e ordenou que ela andasse. Seis meses depois, como a aranha não obedeceu, o japonês cruzmaltino concluiu que sem as patas as aranhas ficam surdas.

  44. amigo Rocildo alguns torcedores do paysandú têm tanta inveja do Remo que querem ser passar por nós, torcedores do Leão Azul. Neste post, há comentários em meu nome que tentam ofendê-lo. mas não são meus, é de alguma mucura que não têm a ombridade de colocar seu próprio nome naquilo que escreve.

Deixe uma resposta