Duas viradas e fortes emoções

REMOXSTA CRUZ Parazao 2013 2a fase-Mario Quadros (9)

Por Gerson Nogueira

A partida foi uma gangorra, alternando momentos favoráveis a um lado e outro, com direito a pênalti, frango, golaço de fora da área e virada redentora no apagar das luzes. Remo e Santa Cruz não deram um show de bola, mas ofereceram momentos de emoção e suspense do princípio ao fim do embate.

Para os azulinos, o primeiro tempo foi quase perfeito. O time dominou o adversário, fez um gol e perdeu um balaio deles. Jogou, acima de tudo, de cabeça erguida e com autoridade, não se deixando impressionar pelos reforços que o adversário estreava.

O Santa Cruz entrou recuado e desatento, possibilitando que o Remo fosse à frente desde os primeiros movimentos. Mael era o encarregado da cobertura no meio-de-campo, mas se perdia entre marcar Tiago Galhardo e tentar conter os avanços de Jonathan, que também se atirava ao ataque quando o Remo tinha a posse de bola.

Do lado remista, a pressão se fazia notar principalmente nas manobras envolvendo o trio Fábio Paulista, Gerônimo (como ala direita) e Galhardo. Com rapidez, a bola chegava às proximidades da área inimiga, sempre em situação de arremate. Apesar das chances criadas, o placar permanecia em branco. Por nervosismo ou afobação, os dianteiros da equipe de Flávio Araújo não acertavam o pé.

REMOXSTA CRUZ Parazao 2013 2a fase-Mario Quadros (2)

Leandro Cearense, Paulista e Galhardo perderam cinco oportunidades claras, após boas triangulações à entrada da área. O gol só veio aos 19 minutos, em lance puxado por Gerônimo. Jonathan recebeu e arrematou, certeiro, para o fundo das redes do Santa Cruz.

A vantagem não diminuiu a ofensividade do Remo, que se instalou no meio-de-campo e aproveitava a retomada de bola para contra-atacar com até três jogadores bem abertos. Mais dois lances agudos aconteceram antes do intervalo, em jogadas que Berg e Jonathan não conseguiram finalizar. Considerada a excelente presença no campo de defesa do Santa Cruz e a total inoperância do adversário, pode-se dizer que o Remo fez uma apresentação acima da média na primeira etapa.

Foi a bola rolar no segundo tempo para que o panorama inicial se transfigurasse. Para começar, o Santa Cruz deixou a timidez de lado e avançou Fumagalli e Flamel para pressionar a saída de bola do trio de zaga do Remo. No segundo ataque consecutivo em dois minutos, o jogo mudou por completo. Bola chutada em direção ao gol desviou no braço de Berg e o pênalti, assinalado pelo auxiliar, foi convertido por Fumagalli.

REMOXSTA CRUZ Parazao 2013 2a fase-Mario Quadros (23)

De quebra, o ala azulino foi expulso e o Remo viu-se diante de um jogo repentinamente adverso e com um jogador a menos logo aos 3 minutos. A partir daí, mesmo sem maior encaixe na transição, o Santa Cruz se entusiasmou e pressionou em busca da virada. Por seu turno, o Remo tentava se reerguer. Aproveitando a confusão reinante na zaga do Santa Cruz, Fábio Paulista foi lançado e caiu na área antes de chutar. Reclamou penal, não foi atendido e aumentou o desespero da torcida.

Aos 24 minutos, Ratinho, que havia substituído Wescley, apanhou uma bola às proximidades da área e acertou um chute perfeito, no ângulo de Fabiano. Um golaço. Quem conhece Ratinho sabe que ele costuma arriscar tiros de média distância, mas os zagueiros azulinos permitiram que ele tivesse espaço para o arremate.

Flávio Araújo mudou sua dupla de ataque. Pôs Val Barreto e Branco, tirando Leandro Cearense e Paulista. A mexida mostrou-se providencial, mas dificilmente teria sido bem sucedida se o lateral João Rodrigo não desfalcasse o Santa Cruz, recebendo cartão vermelho após lances bobos.

REMOXSTA CRUZ Parazao 2013 2a fase-Mario Quadros (33)

Aos 34 minutos, já na base do abafa, Val Barreto experimentou de longe e o goleiro Marcelo Bonan aceitou o chute fraco. Frango, que abateu o Santa Cruz e entusiasmou os remistas. Dali para o empate, aos 45, foi um passo. Barreto, novamente, bateu para o gol, a bola foi na trave e Galhardo aproveitou o rebote, virando o marcador em favor do Remo.

Apesar da boa atuação parcial, da garra e da capacidade de superação demonstrada nos instantes finais, o Remo reprisou erros que têm a ver com a crônica indefinição existente na meia-cancha. Como joga com apenas um armador, o time vai bem quando tem brechas para atacar, mas afunda quando é bem marcado. O susto pregado pelo Santa Cruz deve servir de lição e balizamento. (Fotos: MÁRIO QUADROS/Bola) 

———————————————————-

Impressões e sinais da primeira rodada

A primeira rodada não apresentou grandes surpresas. O resultado mais inesperado foi a goleada da Tuna sobre o Águia, mas os resultados obtidos por PFC, Paissandu e Remo estão na conta da normalidade. Mais do que prenunciar favoritismos, os quatro jogos de abertura sinalizam dificuldades imensas para duas equipes: Águia e São Francisco.

O Águia já vinha mal desde o primeiro turno, não conseguindo reeditar as boas campanhas de outras temporadas. O revés acachapante diante da Tuna expôs toda a fragilidade da equipe dirigida por João Galvão. E redobrou as preocupações quanto à campanha na Série C.

Já o São Francisco, sacudido por crise interna no elenco, seguiu no calvário aberto nas semifinais do turno, quando levou oito gols em dois jogos contra o Paissandu. A incompatibilidade entre atletas importantes e o técnico Osvaldo Monte Alegre parece ter tirado o time do prumo. Resta saber se ainda há tempo e disposição para uma correção de rumos.

Quanto à Tuna, que conquistou um ponto e marcou apenas um gol no turno, candidatando-se ao rebaixamento, a goleada pode ter efeito terapêutico. Cacaio, que pegou o bonde andando, tem tudo para aproveitar o clima de alto astral para conduzir a equipe a uma campanha de recuperação no returno.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 08)

39 comentários em “Duas viradas e fortes emoções

    1. Concordo, amigo Júlio. O Branco tem atuado muito bem nos poucos minutos que tem pra jogar. Ontem, foi novamente extremamente importante, além de demonstrar uma disposição acima da média.

      Curtir

  1. Mais uma vez o Remo se “dá bem” devido a fatores alheios a sua competência.
    Sorte? Sorte! Sorte do lateral adversário, João Rodrigo, ter se afobado e ganhado cartão vermelho – desarticulou ainda mais o desentrosado “Santinha”. Sorte do, trombador, Val Barreto, ao acertar aquele chute, que foi um frangasso do goleiro Bonan.
    Apenas sorte? Claro que não! Houve competência pra virar. Afinal, sorte nem sempre ganha jogo.

    Curtir

  2. Perfeita a coluna, amigo Gerson… Apenas penso que, se o Berg não tivesse sido expulso, o panorama do jogo seria o mesmo do 1º tempo, a favor do Remo, e de nada adiantaria o Santa dá uma de Charles Guerreiro à moda antiga, adiantando a marcação…

    A grande vitória Cruzmaltina, dos amigos Von e Harold, valorizou e muito o clássico de domingo… Agora, uma coisa é a Tuna pegar um Águia, com jogadores sonolentos, segundo o João Galvão, e outra é pegar um time muito bem organizado taticamente, como o Remo… Será um bom jogo…

    Flávio Araújo falou ontem, que o Jhonatan vem mantendo uma constante e é o jogador que vem fazendo melhor essa aproximação e chegando na área adversária, vindo de trás(Nos últimos jogos, é mesmo.Antes, era o Gerônimo)… Acredito, por tudo que ouvi dele, ontem, que o Jhonatan será efetivado no meio e o Gerônimo, na ala direita… Acredito que o Guerra se acomodou ou coisa parecida e o Flávio, ao que parece, não conta mais com esse jogador… Uma pena..

    Com o encaixe dos dois novos jogadores, e o Gerônimo de ala, penso que o Remo encorpa, de vez…

    É a minha opinião.

    Curtir

  3. Claudio, você não deixa mesmo de acreditar no Flávio Araújo, eim? Rsrsrs. Claudio, se ele realmente quisesse acertar esse meio campo, já teria começado ontem tirando um zagueiro e colocando mais um volante para liberar o Jonathan. Mas não, chove canivete ele continua no mesmo esquema.

    Curtir

  4. Como azulino eu fiquei plenamente satisfeito com a atuação do mais querido, mostrou atitude e futebol, e somente não aplicou uma goleada do crok tapioca, pela má pontaria dos atletas remistas sobretudo no primeiro tempo. A impresão deixada foi a melhor possivel, e tenho certeza que após essa vitória, a torcida do mais querido,se sentiu satisfeita acreditando mais do que nunca, que o time tem condições de subir mais ainda de produção, pois temos ainda a possibilidade de contarmos com Capela, Clébson um baita jogador, e eu muito particularmente ainda acredito na recuperação de Ramon, que após criticas pediu um tempo para uma recuperação fisica mais direcionada, o que lhe proporcionará certamente uma melhor condição de jogar o seu verdadeiro futebol.. O amigo Joseph cita que se o lateral João Rodrigo, não tivesse sido expulso, as dificuldades azulinas seriam maiores. Ele somente esquece de dizer também, que se o Berg não tivesse sido expulso, o azulino teria mais condições de continuar mandando no jogo, e até ter disparado uma goleada, no agora desentrosado Santinha. Concordo também com o Cláudio , com relação ao Gerônimo, jogou muito na ala direita, e certamente vai ser titular dessa posição, acho até que como o Flávio joga com três zagueiros, ele deve subir talvez o Zé Antonio, para fazer a função de primeiro volante, completando o meio campo com o Jhonatan, Galhardo e o Clébson. ou ele tira um zagueiro e coloca o Nata. Não sei se é o certo, sei apenas que o Flávio é quem vai resolver isso. Agora tenho certeza, que o mais querido vem mais forte para o segundo turno. Ia esquecendo que ainda tem o Capela, mais como não conheço o atleta, espero ele entrar no gramado, para ver se ele vai somar ou não no Leão.

    Curtir

  5. Quanto aos atacantes azulinos, digo que esse ano o Leão está muito bem servido, e quem ele escolher vai dar conta do recado, e acho que com a entrada do Clébson, a dupla que estiver jogando vai balançar e muito as redes no segundo turno. Eu não tenho nem um receio, e acho que o mais querido vai conquistar o turno e consequentemente o campeonato paraense. E no domingo estarei novamente no velho e querido baenão, para assistir a esse jogo contra a Tuna, que vai confirmar que o Leão não está para brincadeira no segundo turno. Sinto que o mais querido vai fazer a sua melhor apresentação no campeonato, e a Tuna que se cuide.

    Curtir

  6. Mas não abriria Cláudio. Com três volantes ao invés de três zagueiros, ele adiantaria a marcação e dificultaria a penetração do time adversário e de quebra ganharia o apoio do Jonathan ao ataque. Esse cara vai continuar com esse esquema ridículo até o fim, me escutem. Esse time do Remo é bom, o problema é o técnico é que insiste em atrapalhar.

    Curtir

  7. Gerson, de fato, a indefinição do meio campo foi o grande problema do Clube do Remo desde o início do campeonato até a partida de ontem. E isso, sem dúvida, segundo creio, é da inteira responsabilidade do treinador. Afinal, é ele quem insiste num sistema de jogo evidentemente ineficaz, carente de imaginação e por isso mesmo previsível e mais facilmente neutralizável.

    Todavia, quanto ao jogo de ontem, o problema foi além da indefinição causada pela postura do treinador. Sim, me parece que ocorreram alguns elementos novos, assim dizendo, que contribuíram sobremaneira para o costumeiro sufoco que o Remo passa no segundo tempo dos jogos.

    Falo de uma espécie de negligência que marcou a atuação dos jogadores do Remo no primeiro tempo de jogo, seja na execução do último passe, seja no momento de desferir o chute na direção do gol. Eles pareciam que estavam realizando um mero treino, enfadonho e despretensioso. Não houve capricho na assistência, a qual na maioria das vezes não se completava da melhor maneira possível. É bem verdade que mesmo assim houveram muitas oportunidades. Mas, aí a mesma negligência se verificava, e os arremates, algumas vezes parece que visavam o espaço sideral de tal alto que passaram. Quer dizer, em face deste problema o Remo não conseguiu traduzir em gols o extremo domínio que exerceu na primeira etapa. Diferentemente dos jogos anteriores quando, no mais das vezes, era preciso na conversão das poucas oportunidades que criava.

    Ademais, sob o meu ponto de vista, também contribuiu deveras para o sufoco, os erros na saída de bola pelos defensores. Foram dois erros grotescos que acabaram resultando em gol. No primeiro, o zagueiro pelo lado direito se desfez bisonhamente da bola entregando-a para o adversário que a passou para o companheiro que a chutou para bater no braço do Berg. No segundo, o zagueiro pela esquerda, numa triste desatenção praticamente arrumou a bola para o belo chute do Ratinho.

    Além disso, quer me parecer que o árbitro também deu sua contribuição algo determinante para o sufoco pelo qual o Remo passou no segundo tempo, assinalando um penalti, onde a bola que nem ia na direção do gol (a imagem da câmera de traz da Tv Cultura inusitadamente consegue mostrar isso) foi bloqueada inadvertidamente pelo Berg. E tanto a jogada teve este perfil, que o árbitro, que estava em cima do lance, deu seqüência ao jogo e não ia marcar nada. Mas, acabou voltando atrás para marcar o penalti prestigiando o entendimento do auxiliar. Quer dizer, segundo entendo, equivocadamente, o árbitro deixou prevalecer o entendimento do auxiliar, numa jogada onde o entendimento que deveria prevalecer era o seu, máxime porque estava em cima do lance.

    Curtir

  8. Acho que ontem a minha teoria se comprovou: o Flávio Araújo espera o Val Barreto pra jogar com os zagueiros cansados, mas quem acaba cansando é o time do Remo primeiro. Ontem, nos dois chutes que deu no gol, fez um e acertou na trave no outro e depois o Galhardo completou. Acho o Leandro Cearense um bom atacante, tem técnica e faz bem o papel de pivô, mas o essencial mesmo ele não tem feito, apesar das inúmeras oportunidades aproveitadas. Sempre que o Val Barreto começa jogando, o Remo tende a fazer gol logo no início, a última vez q isso aconteceu foi contra o Paragominas, no primeiro jogo. Desde lá o Remo pelejou pra fazer gol e com isso sofre uma pressão desnecessária de times quando acontece algum erro no setor defensivo. Foi assim com o Paragominas, Paysandu e agora o Sta Cruz. É uma questão de inteligência e também de fazer com que os torcedores não passem tanta agonia assim durante o jogo. Outro fato a se relembrar é que o Paulista não vem jogando bem e sua última boa atuação foi durante o segundo tempo do segundo jogo com o Paragominas, exatamente na companhia de Val Barreto. Penso ser esse o ataque titular, independente do esquema. Também acho que deveria tirar um zagueiro pra colocar um meia, o Clébson, no caso. A minha opção seria pela saída do Rech, que apesar de parecidos na defesa, o Mauro e o Zé Antônio passam maior segurança, além da questão da patada atômica dele.

    Enfim, espero que contra a Tuna o Val entre jogando e que a gente já possa ver a atuação de Clébson. Vai ser um bom jogo e o Baenão vai ferver.

    Bora, Leão!!!

    Curtir

  9. O jogo de ontem poderia ter sido decidido logo no segundo tempo não fosse a incompetência do ataque azulino que perderam uma chuva de gols! O resultado foi justo pois o Cuiagrana apenas assistiu o adversário jogar no primeiro tempo, era um time claramente sem nenhum entrosamento!
    O time azulino ao desperdiçar a chance de sair com uma goleada histórica no início do segundo tempo cometeu os mesmos erros de jogas anteriores.
    O golaço feito pelo Santa parece que abateria as pretensões azulinas principalmente com a expulsão do Berg!
    Mas a insistência dos remistas foram agraciadas por dois lances infelizes do time do senador o frango tomado pelo goleiro e aquela bola na trave contando com o oportunismo remista pois fim a uma possível zebra que se acontecesse ontem o clima no Baenão iria ser de crise!
    Muita coisa tem que ser colocada em seu lugar a superioridade azulina do primeiro tempo foi colaborada com a ineficiência de um time feito às pressas e sem o menor preparo. Como eu disse ontem ao Columbia a vitória azulina já era esperada mas bem que poderia ter sido com um placar bem mais elástico sem testar os corações azulinos. No fim o que vale são os três pontos e começar o returno vencendo. Parabéns ao jogadores azulinos!

    Curtir

  10. Excelente jogo ontem, pena que apenas 1000 torcedores prenseciaram, sem dúvida melhor partida da primeira rodada.

    Gostei muito do preparo físico e velocidade de jogo do Clube do Remo, mesmo quando ficou com um jogador a menos.

    Agora o FA, pode realizar as mudanças necessarias:

    Ataque – Valotteli e Paulista, nem o que pensar.

    Meio de campo – geronimo, jonhatam, galhardo e clebson.

    Percebe que os jogadores estão moridos com última derrota, te cuida papinha tu hora vai chegar.

    Curtir

  11. Deu apenas mil pessoas por conta do fenômeno… fenômeno do sumiçooo!!!rsrs

    Brincadeiras a parte, o Remo mereceu ganhar. Era pra ter matado a peleja bem antes. Ainda no primeiro tempo. O Santa Cruz só esboçou algo na partida após a expulsão do Berg, e mesmo assim, após a virada comportava-se de forma insolente. Aliás, com essa zaga o time de Sinomar não vai chegar a lugar algum. O sistema defensivo é muito frágil e se perde em trocas de passes displicentes.

    Curtir

  12. GERSON NOGUEIRA,

    Li todos os jornais da cidade, li todas as colunas e comentários do blog e não consegui visualizar em nenhum, nem mesmo nos comentários do escriba de Baião, informações sobre o público e a renda do jogo de ontem remo e cuirana. O que aconteceu???? digo isso porque após todos os jogos do remo a primeira propaganda é logo do publico e da renda, do “fenomeno”, imagens da torcida no estadio, uma propaganda fenomenal. Mas incrivelmente ninguem comentou sobre o publico de ontem nem mesmo os simpatizantes azulinos aqui do blog, que ocupam colunas e colunas propagadeando a torcida remista postaram comentários. porque será???? Eu Gostaria saber sobre o público de ontem.

    Curtir

  13. Meu caro comentarista, o jogo era mando do Santa Cruz, cujo endinheirado patrono com certeza caiu na antipatia geral do público paraense. Logo, o torcedor azulino não vai abonar a quem já tem muito$.

    Já no próximo, contra a Tuna, cujo mando é nosso, pode cobrar.

    Curtir

  14. Ninguém comentou pq não batemos o record de 205 de vcs kkkkk Parabéns Pikachu pelo teu dia kkkk por falar em Pikachu, domingo no mangueirão quase ele leva uns cascudos do Branco, fica tirando graça com a torcida e sai correndo com medo, depois fica se escondendo igual ao Albertinho!

    Curtir

  15. Ontem, postei um comentário demonstrando minha irritação com a equipe do Remo no segundo tempo de jogo, muito em virtude das entregadas de bola de forma displicente em algumas ocasiões como no segundo gol do Santa Cruz. No geral tenho que concordar com a colunado amigo Gerson e os comentaristas de plantão do blog. O Remo foi imensamente superior no primeiro tempo, e lembro que comentários no blog diziam: tem que matar logo se não pode complicar. E foi exatamente o que aconteceu, o Remo chegou a ficar totalmente desorganizado, a defesa confusa dando chutões que geralmente voltava ao domino do adversário. Graças a Deus, pouco tempo depois, os jogadores equilibraram o lado emocional e conseguiram através de muita garra e determinação a emocionante virada por 3×2. Esta é a minha visão de torcedor do Leão, as analises técnicas do jogo deixo aos amigos Gerson, Cláudio, Rocildo e outros que fazem tão bem.

    Curtir

  16. Acho que o Edson amaral Paysandu vice campeão paraense de 2013, está maluco da cabeça dele, pois não sei de onde ele tirou a ídeia de que a torcida azulina tem vergonha de dizer que o Leão foi Campeão brasileiro da terceira divisão. Ei freguês listrado fomos campeões brasileiros no campo e nas arquibancadas. E eu não conheço um remista que não se orgulhe disso. Eu ficaria envergonhado, se na terceira divisão o meu time conquistasse somente um ponto e terminasse na posição 62 dentre 64 equipes. Isso sim seria motivo de vergonha. Eu não te disse que ganhar do Flamengo é a nossa maior gloria, eu disse que a nossa maior gloria foi impor um tabu de 24 jogos no teu time, pois foram 24 vezes que os papinhandus, foram ao estádio e voltaram sem uma vitória sequer durante 3 anos. Essa é uma de nossas maiores glorias.

    Curtir

  17. O papinhandu Edson Amaral Paysandu vice campeão paraense de 2013, pirou de vez, eu não sei de onde ele tirou a ideia, de que os remistas tem vergonha do titulo de campeão brasileiro da série C de 2005. Meu amigo, a nação azulina tem é muito orgulho desse titulo. Pois além de ganharmos no campo com meritos ,ganhamos também nas arquibancadas, pois nos tornamos, o Clube de maior média de público dentre todos os campeonatos brasileiros daquele ano. Teriamos sim vergonha, se em 2007, o nosso clube conquistasse a colocação 62 , dentre 64 participantes da terceirinha, com apenas um ponto marcado. Isso sim seria motivo de vergonha para a nação azulina. a torcida do Boca lembra mais é o chocolate que deram em vocês dentro do mangueirão. Agora Edson papinha, me responda se algun dia desde que a Copa do Brasil foi criada isso no ano de 1989, se o seu time conseguiu eliminar um clube de grande tradição do nosso futebol nessa competição?

    Curtir

  18. Nem Hitchcock teria feito igual: Galhardo aos 45 do segundo tempo. Pelo que vi até agora, não importando se o gol sai no começo ou no fim do jogo, Val Barreto é bom finalizador. Mas, também pelo que vi até agora, o grande Valotelli tem dificuldade para jogar com o Paulista, se movimenta menos que o Cearense, é um centro-avante mais típico. Ontem, ele apareceu mais jogando com o Branco. O ataque reserva tem um entrosamento natural porque treinam juntos. O Paulista deve estar cansado de jogar tantas partidas, e, além, disso, é o atacante do Remo mais bem marcado, isso pode ajudar a explicar uma queda, mas acho que logo logo ele se recupera.

    Curtir

  19. O melhor dos remistas é essa confiança exagerada. O time deles jogou como sempre, ou seja, nada, e só venceu por fatores de sorte. Eu, hein! E ainda coloca na roda um título comprado da série C. Mas tudo bem, melhor assim que no final do campeonato, a decepção é maior.

    Curtir

  20. Tanto otimismo nas declarações,com o entusiasmo frustrado de todos os anos. Queria ver se a sorte não tivesse tão presente nos dois últimos gols ou se o Goleiro não tivesse engolido um dos maiores frangos que já vi em minha vida. Ví o jogo e digo.Não foi pior e não teve muito nego chorando,até hoje,pelos fatos e sorte que citei há pouco.Vcs são muito mas é bocudos , Imaginem se o time estivesse bom ! Te contar !

    Curtir

  21. Antonio Oliveira, dentro da area sempre é do arbitro….mas, porem, contudo, todavia, entretanto o assistente levanta o central vai com ele….errou um, errou todos…rsrsr

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s