No sufoco, Papão se garante

PSCXTUNA Parazao 2013-Mario Quadros (13)

Por Gerson Nogueira

bol_seg_040213_15.psO placar final dá a ideia de uma vitória mais ou menos tranquila. Não foi bem assim. O fato é que o Paissandu roeu uma pupunha para superar a Tuna, que saiu na frente e (enquanto teve pernas) deu trabalho. O favoritismo era todo alviceleste, ainda mais em domingo festivo, de comemoração pelos 99 anos de fundação do clube de Suíço.

Em campo, porém, o pampeiro que desabou sobre Belém teve influência direta no desenvolvimento do jogo. O confronto ficou equilibrado, nem tanto pela qualidade da Tuna, mas porque o estilo mais técnico do Paissandu ficou praticamente inviabilizado nos primeiros minutos.

Pikachu, Eduardo Ramos e João Neto, peças importantes, pouco apareciam. Os passes longos dominavam as tentativas do Paissandu. Com isso, a Tuna foi crescendo e prevaleceu nos desarmes e retomadas de bola. Para se ter uma ideia, na primeira meia hora de partida, o grande nome foi Fabrício, ex-bicolor que reforça a Lusa.

Com passes certeiros e boa leitura do jogo, Fabrício comandava a Tuna e criava dificuldades sérias para a defensiva do Paissandu. Em triangulações com Lucas e Mossoró, ele caía sempre pelo lado esquerdo, incomodando não só a dupla Raul e Bispo como o cão-de-guarda Capanema.

Aos 28 minutos, depois de duas belas tentativas que quase terminaram em gol, Fabrício elaborou a jogada do primeiro gol tunante no campeonato. Apanhou a bola junto à linha lateral, deu um drible em Capanema e avançou até a área e tocou de curva para a entrada de Mossoró, sem marcação. Detalhe: se a bola passasse por ele, Sinésio entrava livre também.

Só a partir do gol é que o Paissandu pareceu atinar para o fato de que, insistindo com cruzamentos, seu ataque – como contra o Cametá no meio da semana – era facilmente anulado pela zaga tunante. As bolas lançadas para João Neto e Rafael eram sempre neutralizadas, irritando a torcida e deixando o time inseguro.

PSCXTUNA Parazao 2013-Mario Quadros (10)

E o ataque não fazia infiltração pelos lados porque o principal apoiador, Pikachu, não aparecia para o jogo. Surpreendentemente tímido, o jovem lateral pouco se arriscava no ataque. Eduardo Ramos, encarregado de organizar as ações pelo meio, tinha o trabalho dificultado pelo campo pesado. O destaque da equipe era Djalma, que auxiliava na marcação e ainda arranjava tempo para ir à frente. Foi o autor de um cruzamento para João Neto escorar de cabeça, com perigo.

Já no final do primeiro tempo, Raul mandou uma bola para Rafael e este girou, batendo forte no meio do gol. A jogadinha foi simples e despretensiosa, mas teve efeitos terapêuticos sobre todo o time, não só por representar o empate.

Depois do intervalo, empurrado pela pequena plateia presente, o Paissandu partiu para sufocar a Tuna e teve a missão ainda mais facilitada depois que Fabrício – até então o melhor em campo – saiu. João Neto e Rafael perderam boas chances, mas o ímpeto inicial foi arrefecendo e a virada parecia cada vez mais difícil.

Aos 31 minutos, já com Iarley em campo (substituiu João Neto), veio o lance polêmico. O árbitro Andrei da Silva e Silva marcou a infração, mas posicionou a bola para cobrança de falta, mas o auxiliar confirmou a penalidade máxima. A bola desviou no braço do zagueiro, que estava dentro da área. Lance discutível, que Pikachu converteu em gol.

Desgastada fisicamente, a Tuna era dispersiva no ataque e cedia campo ao Paissandu, que perdeu várias chances de ampliar. Até que, aos 44, depois de bela jogada de Djalma, Eduardo Ramos acertou na gaveta de Alan, ampliando o placar.

PSCXTUNA Parazao 2013-Mario Quadros (23)

Boa vitória, principalmente pelas circunstâncias do jogo, mas o Paissandu precisa retomar logo o padrão que tinha alcançado antes do Re-Pa e algumas providências têm urgência. Pikachu precisa de tranquilidade para voltar a jogar bem e readquirir confiança. A lateral-esquerda continua desfalcada, pois Alvim não assumiu o posto. E o ataque carece de maior aproximação com o meio-campo.

———————————————————–

Remo pode estrear meia

Pela campanha que faz no turno, o Remo é favorito hoje contra o São Francisco, mas deve sentir a ausência de algumas peças, principalmente de Tiago Galhardo, ainda se recuperando de lesão. A expectativa é para a possível estreia do meia-atacante Ramon, ex-Flamengo e Galo.

———————————————————–

Consagração carnavalesca

“Vovô Ampulheteiro”, marchinha de carnaval composta e defendida pelo amigo Moreira Junior, foi eleita a melhor do Brasil ontem no programa Fantástico. A coluna parabeniza o carnavalesco (e azulino) em tempo integral, legítimo herdeiro de mestre João de Barro.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta segunda-feira, 04)

6 comentários em “No sufoco, Papão se garante

  1. – Gerson e amigos, após a 6ª rodada, penso que, um mata-mata já está definido: Paysandu x São Francisco, ficando apenas se saber quem será o 2º e 3º colocados..

    – Acredito que se o time da Tuna não tivesse cansado, o Paysandu teria encontrado sérias dificuldades no jogo de ontem. A Lusa, na hora que perdeu, no início do 2º tempo, o Fabricio, por cansaço, entregou o jogo..

    – Conversando com alguns amigos bicolores, ontem, fiquei sabendo(eu, não tenho certeza) que, nos bastidores, já estão contatando com alguns técnicos, visando a série B. Tá, mas vai demorar, muito?

    – Remo pra hoje: Fabiano, Carlinhos Rech, Maurão e Zé Antônio. Endy, Nata, Gerônimo, Edilsinho e Diego Ratinho. Val Barreto e Fábio Paulista.

    – Banco: Nailson, Guerra, Tony, Jhonatan, Ramon e Leandro Cearense e Branco

    – Parabéns ao Moreira Júnior…Te dizer essa marchinha…rsrs

    – Por favor, coloque a marchinha “Vovô Ampulheteiro” aqui no blog, amigo Gerson

  2. O Capanema está se especializando em falhar na cobertura. Também achei discutível a existência da infração que mereceu a penalidade máxima. Acho que o principal problema da Tuna, desencadeador de todos os outros, é o preparo físico.

  3. Amigo Claudio,

    O Diego Ratinho é da Base ? o mesmo vai jogar de lateral esquerda ?

    Esse esquema 3 5 2 sem 02 laterais de oficio fica dificil.

  4. E haja retranca no Leão!

    Ontem, a Tuna cansou e Fabrício mostrou que ainda dá um caldo perto de muitos outros que estão aí!

    Ganhou a melhor criatividade a marchinha do conterrâneo, vai cair na boca do povo.

    Te dizer amigo Cláudio, ontem o primeiro tempo foi todo da lusa, só não sabe finalizar, esse tal de Mossoró é bom jogador e merece ser melhor observado pelos dois grandes.

    Hoje sou leão, leão mocorongo 3 a 1. e o Galvão bocão vai surpreender na última rodada. Anotem!

    RRamos

  5. Bom Dia a todos.Deem uma olhada nessa noticia do MSN,uma verdadeira bomba como diria o Cláudio:

    Polícia descobre rede de corrupção no futebol e aponta 380 jogos suspeitos
    GettyPolícia descobriu rede corrupção de jogos que incluem partidas até da Champions LeagueA Europol, organização da polícia europeia, informou nesta segunda-feira que…
    Compartilhar85

    A Europol, organização da polícia europeia, informou nesta segunda-feira que descobriu uma rede de corrupção internacional no futebol. Mais de quinze países em todo mundo estão implicados no esquema e cerca de 50 pessoas foram presas. Partidas da Champions League e das eliminatórias para a Copa do Mundo estão sob suspeita.

    Segundo Rob Wainwright, diretor da Europol, foram identificados mais de “380 jogos de futebol profissional em que foi identificada a prática suspeitosa de apostas ilegais”. A rede criminal está espalhada entre a Europa e Ásia. Foi provada a prática de manipulação de resultados em 150 casos investigados.

    “Realizamos a maior investigação sobre arranjos suspeitos no futebol. Enormes quantidades de dinheiro foram envolvidas”, afirmou Wainwright, que emitiu 28 mandados internacionais de prisão.

    Uma das partidas da Champions League sob suspeita foi disputada na Inglaterra, mas os investigadores não revelaram quais equipes estavam envolvidas. Como exemplo de partida suspeita, a Europol indicou um jogo sub-20 envolvendo a Argetina e a Bolívia. Na ocasião, o húngaro que apitava a partida deu 13 minutos de acréscimo, além de um pênalti duvidoso quando o relógio marcava 55 minutos do segundo tempo.

    Os policiais investigaram durante 18 meses um total de 425 pessoas, como representantes de clubes, jogadores e outros personagens que suspeitam que estiveram envolvidos. Entre os países investigados figuram Alemanha, Eslovênia, Grã-Bretanha, Hungria, Holanda e Turquia.

    A rede criminal operava da seguinte maneira: depois dos jogos serem escolhidos, os autores iam atrás de jogadores, juízes ou dirigentes que estivessem envolvidos no duelo. As apostas eram feitas pela internet, utilizando paraísos fiscais para que a rota do dinheiro não fosse identificada.

    Segundo informações da organização, essas operações apontaram que os autores das manipulações de resultados lucraram cerca de 8 milhões de euros (R$ 21,6 milhões) e efetuaram subornos no valor de 2 milhões de euros (R$ 5,4 milhões), sendo 140 mil (R$ 378 mil) somente para uma única pessoa. “Há um grande problema de integridade no futebol europeu”, afirmou Wainwright.

  6. Diego Ratinho, amigo Rodrigo, já faz um tempo que não é da base. Chegou a ser contratado pelo Paraná Clube e, temporadas depois, perambulava pelo futebol do Amapá.
    Não conheço muito bem suas características. Tomara que seja uma surpresa positiva hoje.

Deixe uma resposta