R$ 4,3 milhões de Mano são pura gorjeta

Do Blog do Paulinho

Muita gente ficou alarmada ao descobrir que a rescisão trabalhista do treinador Mano Menezes custou R$ 4,3 milhões à CBF, proporcionais ao salário de pouco mais de R$ 500 mil mensais que recebia da entidade. Dinheiro de gorjeta se comparado ao lucro obtido pelo próprio, associado à Andres Sanches e ao empresário Carlos Leite no exercício de suas funções na Seleção Brasileira.

Somente para convocar jogadores do Shakhtar Donetsk, segundo ótima fonte, o treinador teria recebido US$ 3 milhões, em acordo firmado na Inglaterra com o empresário Franck Henouda. E não foi apenas esse negócio realizado pelo grupo na CBF. Convocações comercializadas abertamente, que geraram receitas bilionárias em negociações posteriores e comissões evidentemente suntuosas ao grupo que coordenava os acontecimento.

4 comentários em “R$ 4,3 milhões de Mano são pura gorjeta

  1. É por essas e outras que estamos em 18 no Ranking e sem craques no futebol (única exceção é o Neymar).

  2. Sinceramente, mais essa pratica não e exclusiva de dirigentes e treinadores, parte da imprensa nacional também já fez parte de esquemas escusos com jogadores e clubes! Que o diga o ex-comentarista da Band Juarez Soares o China e o Luciano do Valle, que em meados dos anos 90, envolveram-se em um esquema de propinas de jogadores, onde os mesmo elevavam quaisquer cabeça de bagre a condição de craque mundial, com isso, alcançavam alguns trocados em futuras negociações destes jogadores.

    O último treinador a se envolver publicamente neste tipo de negociata, foi o atual treinador do Grêmio, o Wanderley Luxemburg, segundo denuncias, ele também fizera parte de lavagem de dinheiro, contravenções, sonegação fiscal, além de envolve-se em negociação de jogadores, onde recebia parte do dinheiro em um possível negócio. Acho que o “todo poderoso” Galvão Bueno, deve ganhar fortunas de seus padrinhos, para alavanca-los ao mais alto patamar futebolístico. Te contar, depois que a politica se envolveu e o pior, se enraizou no futebol, o mesmo nunca mais voltou a ser o que era.

Deixe uma resposta