Enfim, uma boa notícia

Por Gerson Nogueira

Surgiu ontem um facho de luz no fim do túnel em meio aos escombros da eliminação remista na Série D. O presidente Sérgio Cabeça anunciou a intenção de deixar o cargo no final de outubro, a fim de permitir que o futuro presidente do clube possa começar mais cedo o trabalho de preparação e planejamento para a próxima temporada.

Parece pouca coisa, mas, comparado a atitudes de dirigentes que tentaram se agarrar ao cargo a golpes de picareta, o desprendimento de Cabeça apressa a reorganização do Remo para 2013. Permite, entre outras coisas, que a nova gestão possa montar o time para disputar o Campeonato Paraense, uma das duas competições confirmadas (a outra é a Copa do Brasil) para o clube no próximo ano.

Não esquecendo que o Parazão vale bem mais do que aparenta: classifica para a Série D e é mais do que natural que o novo presidente não queira passar pelos constrangimentos vividos pela atual gestão, acusada de comprar a vaga depois que o Cametá anunciou desistência.

Um dia depois do desastre, Cabeça fez uma espécie de prestação de contas e garantiu que deixará o clube saneado. Reafirmou que o time de futebol está com salários em dia e prometeu quitar a pendência com os funcionários. Quanto à Justiça do Trabalho, em face do trabalho incansável de Ronaldo Passarinho e sua pequena equipe de advogados, os débitos estão controlados e o Remo segue livre da penhora de arrecadações.

Para dar um passo realmente à frente, Cabeça deveria se empenhar para pôr em prática o novo estatuto do clube, que já prevê eleições direitas para a presidência. Acima disso, deveria lutar para que a anacrônica composição do Conselho Deliberativo seja urgentemente modificada.

Clubes da grandeza do Remo não podem ficar à mercê de conselheiros que se reúnem uma vez por semestre, preferem jantares a assembleias ordinárias e fogem de decisões polêmicas como o capeta da cruz. O conselho não honra o nome que tem. Por tradição, não delibera nada. Em geral, funciona mais como gaveteiro. Ideias e propostas inovadoras são arquivadas solenemente. Os conselheiros atuais têm alergia a punir dirigentes picaretas, recusam-se a a rejeitar prestações de contas graciosas. Preferem o conchavo à confrontação.

Diretorias de clubes de massa não podem ser desconectadas da torcida. É preciso suprimir já essa distância. O sistema atual provou sua ineficácia. Não faz nenhum sentido que aqueles 35 mil torcedores que lotam as arquibancadas sejam representados por 400 conselheiros que não têm mais pique ou disposição para debates.

Salvo honrosas exceções, conselheiros são pessoas sem paciência para o contraditório, nem ânimo para o esforço diário que o futebol profissional exige. São amadores lidando com um negócio que movimenta milhões de reais e mobiliza multidões. A salvação do Remo talvez passe por esse choque de realidade. Quem dará o primeiro passo?

Os resultados da rodada foram generosos com o Paissandu, que tropeçou em casa novamente e ficou nos 15 pontos, mas terminou em terceiro lugar na classificação da Série C. O time só não foi generoso com o torcedor, que acreditava em vitória e teve que se contentar com um empate com sabor de derrota – o quarto desde que Givanildo Oliveira assumiu o barco.

Depois de desperdiçar inúmeras oportunidades – três delas nos pés de Rafael Oliveira –, o Paissandu repetiu erros primários de cobertura e permitiu o gol de empate aos 42 minutos. Ricardo Capanema cochilou e deu origem ao lance fatal. Por conta disso e dos erros primários dos atacantes, o time saiu de campo protegido pelo Batalhão de Choque, antecipando a cena que se repetiria no jogo do Remo, um dia depois.

Como Santa Cruz e Salgueiro disputam jogo atrasado na próxima quinta-feira, o Paissandu cairá para a quarta posição qualquer que seja o resultado, em função do saldo de gols. Givanildo terá uma semana para reorganizar a equipe para o confronto com o Fortaleza, adversário direto na briga pela classificação. O tempo é razoável, mas os atacantes precisam colaborar e acertar a pontaria. Nenhum time avança desperdiçando tantas oportunidades para vencer. (Foto: MÁRIO QUADROS/Foto)

—————————————————————

Desta vez, a CBF se superou. O amistoso de ontem, entre Brasil e China, foi daqueles duelos improváveis, entre equipes inteiramente desiguais. Durante os primeiros 45 minutos, que me esforcei para acompanhar, a bola ficou somente no campo de defesa chinês. A Seleção Brasileira, com todas as facilidades que um time inocente possibilita, perdeu uma meia dúzia de chances incríveis. O goleiro, da altura de Nelson Ned, era uma figura bizarra em campo.

Mano Menezes, cada vez mais Professor Pardal, botou Neymar de centroavante, típico gesto de quem não tem plano de voo definido. A melhor coisa da pelada foi mesmo o gol do bom Ramires, que já devia ser titular do escrete há muito tempo. Com sparrings desse porte, a Seleção tem tudo para desaprender o pouco que sabe.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 11)

14 comentários em “Enfim, uma boa notícia

  1. Parabéns pela coluna, amigo Gerson.

    – Só gostaria de comentar alguns pontos:
    – O Cabeça dizer que vai deixar o Remo saneado, não é verdade, até porque, de todos os acordos feitos, foram muito poucos os que o Remo pagou, graças ao acordo feito junto a Dra. Ida Selene, pelo Amaro e que, quando os Cardeais assumiram, tentaram a todo custo, desfazer o acordo de 100 mil mês, à época pois não tinham dinheiro para montar o time. Não conseguindo, se voltaram para receber o restante de 1 Milhão de Reais, empréstimo feito pelo mesmo Amaro, que à época, recebeu 400 mil, para pagar todos os jogadores de sua Gestão, o que não conseguiram, por não terem crédito junto a CBF. Aliás, se o Amaro tivesse mais 1 mês dentro do Remo, teria recebido ese dinheiro e, aí sim teria deixado o Remo saneado. Amaro estava ensinando como se administra o clube sem usar seu próprio dinheiro( Como ser competente), mas o tempo, foi curto.
    – Ontem, Cabeça falou de deixar, até Outubro a Presidência do Remo, para que o seu sucessor, possa montar o elenco e comissão técnica, já visando 2013, mas depois, como acabei de assistir no Camisa 13, parece que mudou de opinião… Te dizer… Apaga tudo..

    Paysandu, se não vencer, poderá ser o 7º, no máximo, em virtude do confronto direto entre Águia x Icasa. É a hora da virada, Papão. Continuo acreditando, no bom técnico Givanildo Oliveira..

    É a minha opinião.

  2. Amigo Claudio, o Givanildo não sabe não sabe mais o que fazer pra tirar leite de pedra, deste elenco “entregão”, com um centroavante que é conhecido com o “rei das aparelhagens”.

  3. Parabéns pelas análise, Gerson.
    O Clube do Remo e o “concorrente” formam times que não respeitam a paciência e a dedicação do torcedor. Como explicar um time que possui média de público superior a muitos clubes da séria A e B, como o Remo, está nesta situação?
    Agora, se esses conselheiros tiverem um pouco de sabedoria (nem conto com inteligência), bem que poderiam contratar um diretoria profissional, daquelas que se cobra resultados, com um plano para no mínimo sair dessa séria D.

  4. Que sirva de exemplo para o LOP ! Pelo menos o do remo,teve a coerência de reconhecer que não pode continuar atrapalhando a trajetória e os objetivos de seu clube,o que não ocorre com o LOP,que parece mosca de padaria,nem faz e nem sai de cima !

  5. Papão não conseguiu ganhar do LANTERNA, dentro de casa ! Égua, vou te contar. Eu tô quase jogando a toalha e aceitando que o quê resta é mesmo apenas a briga para não afundar para a série D. Acho que esse jogo com o Fortaleza será o divisor de águas.

  6. Cláudio, esse A. William deveria ser substituído pelo Ratinho ! R. Oliveria, depois do gol-feito que perdeu, cara a cara, tem de ir para o banco e isto já seria lucro para o mesmo. Bartola tem de ser titular.

  7. Esse Papón de la Curuzu Poderá até ganhar do Fortaleza,mas tem mudar meio time para este jogo… Que tal Moysés e Pantico ,no ataque? ou Bartola e Pantico? Isso se não tiverem vendido a preço de banana o jovem e bom de bola Bartola…

  8. Por que o Rhafael Oliveira ainda é titular neste fraco time do Paysandú? Não consigo entender tanta insistência com um merda deste no Paysandú. É melhor jogar com dez em campo que eles se revezam para não dar para esta arara dourada de tinta de quinta perder os gols feitos! Givanildo, pelo amor de Deus dê um basta ao Rhafael, ou ele tem um padrinho muito forte no clube que está nem aí para as vergonhas acumuladas até aqui, fora as que poderão vir. Te dize, (Égua, meu…)!

  9. Agora que o barco foi a pique, renúncia não parece pouco, não. De fato, enunciar só agora é realmente muito pouco, pouquíssimo. Verdadeiramente não é nada. Aliás, é somente uma tentativa matreira de desviar o foco de uma administração absolutamente desastrosa e incompetente, que não conseguiu nada do que a torcida esperava de positivo.

    Aliás, o que de mais notável foi conseguido por este presidente e sua diretoria, ambos ineptos, foi atrair a vergonha para a torcida quando não conseguiu ganhar o campeonato regional e teve de adquirir a vaga para a competição nacional.

    Ademais outro sintoma da absoluta incompetência foi a troca de técnicos a torto e a direito e a contratação de jogadores em profusão, a grande maioria deles sem a menor condição de vestir a camisa de um time amador que fosse, mas alguns deles com salários bem acima da média dos pagos por clubes até da 2a. Divisão. E tomara que tenha sido somente incompetência mesmo toda esta farra com o patrimônio do Clube.

    Sobre deixarem o Clube saneado, duvido muito!!! Só o tempo dirá.

    Quanto aos Conselheiros deixo para falar noutra oportunidade, eis que do contrário acabo transferindo indevidamente para eles uma responsabilidade que in casu é só do presidente, sua diretoria e dos técnicos que eles contrataram.

    Aliás, quanto a este último técnico até pensei em absolvê-lo deste festival de incompetência dado que pegou o barco à deriva e já bem adernado. Mas, quando verifico que ele p. ex., colocou o Ávalos pra jogar e escalou o Laionel em detrimento do Reis, só posso concluir que trata-se de técnico tão incompetente quanto os outros que o antecederam.

    Registro, por oportuno, que tudo isso que posto agora não decorre da frustração renovada. Absolutamente! O conteúdo da postagem retrata fielmente tudo o que postei aqui durante estes últimos dois anos, e nomeadamente durante esta campanha na série d.

    Presidente e diretoria barbaramente incompetentes! Se forem mesmo renunciar (ainda estou duvidando), JÁ VÃO TARDE.

  10. Cabeça saindo porque ta sem clima depois de mais um vexame. Recuso-me a pensar que temos que ter time de nível de série D. Os incompetentes já deveriam saber que se tiver elenco, o Fenomeno azul comparece.

Deixe uma resposta