No sufoco, Seleção vence e vai à semifinal

Com uma atuação instável, que permitiu ao adversário estabelecer a vantagem por duas vezes, inclusive quando já estava com um jogador a menos, o Brasil derrotou Honduras e se classificou para a semifinal do torneio olímpico de futebol, em Newcastle. Mesmo depois de virar para 3 a 2 anos 15 minutos do segundo tempo, a Seleção só conseguiu se tranquilizar quando o árbitro encerrou a partida.
Sem inspiração, mas desperdiçando boas oportunidades, o Brasil permitia contra-ataques e sofreu o gol logo aos 12 minutos do primeiro tempo. Depois de muita luta, Damião empatou o jogo ainda na primeira etapa, depois que um hondurenho foi expulso por jogo violento. No segundo tempo, o Brasil levou um gol logo de cara, mas virou com Neymar (cobrando pênalti) e Damião. Na semifinal, o confronto será com Inglaterra ou Coréia do Sul.

6 comentários em “No sufoco, Seleção vence e vai à semifinal

  1. Nunca a seleção foi tão a cara do Corinthians nas olimpíadas como nesse jogo. Sufoco para derrotar voluntáriosa seleção como a hondurenha com dois jogadores a menos. Mano Menezes e Tite devem ter achado o melhor jogo do Brasil na competição. E o Ganso? Continua afogado com o pensamento longe de Londres. Te dizer!

    1. Mano e Tite devem ter considerado o resultado na margem da razoabilidade, camarada Cássio. E foi um ensaio do sufoco que vamos passar dentro de casa, em 2014. Nem me iludo.

  2. Concordo com o amigo Cássio, mas ta com pinta de time campeão, tem sorte e parece que mesmo jogando esse futebolzinho vai chegar lá, para nossa alegria e desespero com o Mano no comando.

  3. Essas é a base do time de 2016? Bem, pelo menos não alegaram que o vento estava forte.
    Uma mariola para quem conseguir adivinhar qual a desculpa da Murer em 2016. Fabiana a “viúva Porcina” do atletismo – aquela que foi sem nunca ter sido.

  4. Esse torneio olímpico de futebol é o mais fraco de todos os tempos. Com as saídas de Espanha, Uruguai e dos anfitriões britânicos por demérito ou pelo fator zebra, o Brasil teve seu trabalho facilitado e tem agora a obrigação de trazer o inédito ouro. O que é interessante pelo seguinte aspecto: se vier o ouro, muitos alegarão a facilidade da conquista perante a fragilidade dos adversários. Em caso de revés, será considerado a mãe de todos os fracassos olímpicos do futebol brasileiro pelos mesmos motivos.

    Oscar é o melhor e mais lúcido jogador do time olímpico; Damião vem se firmando na frente; Hulk dá claros sinais de ser um jogador superestimado (pois é um semideus no medíocre campeonato português); Neymar ainda é um projeto de craque, por enquanto é uma versão mais jovem e melhorada de Robinho, além de ser fominha e cai-cai ao extremo. Quanto a Ganso, sem comentários. O apático meia paraense foi fazer turismo na maior metrópole européia.

Deixe uma resposta