A despedida de um guerreiro

Símbolo de raça e artilheiro do time no Campeonato Brasileiro, o argentino Herrera se despediu na tarde desta terça-feira de seus companheiros de Botafogo antes do treinamento no Engenhão. Ele assinou contrato de três anos com o Emirates Football Club, dos Emirados Árabes, e foi negociado por R$ 6 milhões. Herrera chegou ao Botafogo em 2010 e ajudou o time a conquistar o Campeonato Carioca daquele ano. Em 2012, começou a temporada como reserva, sob o comando de Oswaldo, mas ganhou a posição na segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Ele marcou quatro gols na competição e deixou o clube sob os lamentos do comandante.

“Quando você sai de um clube onde construiu tanta coisa, com amizades importantes, fica sempre uma tristeza. Mas o futebol tem essas coisas, e quando a negociação é boa para todos fica difícil deixar passar”, comentou Herrera. (Com informações do Globoonline)

6 comentários em “A despedida de um guerreiro

  1. Tem coisas acontecendo nesse nosso Botafogo que não é avião de carreira.

    O Herrera sai, mas me deixa a impressão que nunca foi tão querido assim pela torcida.

    Pelo que tenho lido parece que sou o único alvinegro que não gostou da contratação do Seerdof.
    Sinceramente sou contra a importação de joagdores estrangerios em grande esacala.
    Estou olhando pelo futebol brasileiro em geral e não apenas eplo fogão.

    Seedorf vem pra cá pra vender camisas a 229 reais?
    O Forlan vai pro Inter, onde já tem uma carrada de estrangeiros.
    E a nossa Seleção como fica?

    O Fla ao se ver obrigado a perder o Gaúcho, abriu caminho pro Adrian, que por sianl fez um gol contra o Atlético.

    Enquanto as grandes equipes brasileiras trazem os estrangeiros já envelhecidos.
    Os entrangeiros vem, e não só levam daqui os novinhos, como já possuem escolinhas prórpias aqui em nosso país.

    Guardadas as devidas proporções eles cometem os erros que Pa-Re cometem o ano todo.
    Desprezam os jovens valores e se arriscam trazendo bondes e bondes de “jogadores” pra cá.

    Seedorf vai vender camisas, vai lotar estádios, sinceramente tenho duvidas se vai ser tão bom assim no aspecto tecnico pro fogão.
    Mas sua contratação, não condiz com a história do Botafogo.

    Olhem p/ os dois melhores times do Brasil na atualidade e vejam quantos estrangeiros eles tem.( Santos e Corinthians )

  2. Antigamente os estrangeiros eram mais os goleiros e defensores. Do resto a gente dava conta mas agora é visivel a falta de talento do meio prá frente e salvo as honrosas e badaladas exceções os nossos melhores meio-campistas eatacantes que estavam no estrangeiro já voltaram porque seu tempo de vida útil acabou e ai ficam por aqui batendo uma bola por mais uns 3 anos, no máximo e nessa inversão de valores exportamos zaqueiros, laterais e goleiros. O mercado de jogadores está carente e paga mais por meias e atacantes então um meia experiente que possa, que nem fez o Petkovick ainda jogar uns 3 a quatro anos por aqui é sempre benvindo. Ainda acho que faltam treinadores com essa preocupação, especialmente na formações de jogadores das divisões de base.

  3. os melhores meias do ano passado foram gringos e o pior, argentinos, já que o nosso PHG estava no estaleiro. esse ano não vai ser diferente! é a famosa entre-safra de talento! por isso: salve seedorf, forlan, casseres e Cia!!

  4. Não nos espantemos se Seedorf, mesmo veteraníssimo e reconhecidamente talentoso, esbanjar categoria por aqui e ser indicado ao prêmio de melhor do Campeonato. Sem escatologias, mas parece que estamos perto do fim…

Deixe uma resposta