O passado é uma parada…

No gramado do velho Pacaembu, um clássico paulistano recheado de lendas do futebol brazuca. Pelo São Paulo, o zagueiro Bellini, capitão do escrete canarinho em 1958 e primeiro a erguer a Jules Rimet sobre a cabeça, gesto imitado por todos os seus sucessores. Do lado santista, Pepe (11) e o Rei Pelé. E, prima-dona como sempre, o árbitro Armando Castanheira da Rosa Marques.

6 comentários em “O passado é uma parada…

  1. Nesse tempo o nosso futebol, era considerado Futebol Arte e foi neste tempo q consagramos o brasil como o aperfeiçoador do Fotball/Soccer, praticado a mais de 2 seculos atrás pelos ingleses, quando Charlie Müller veio da Inglaterra com a pelota debaixo do braço e desembarcou em São paulo, para mostrar como era as regras desse novo esporte que consistia em 22 jogadores correndo atras de uma bola. Todos sabemos que o Pelé foi o melhor atleta vivo do futebol Brasileiro, mais ao lado dele esta o maior goleador do Santos junto com o Rei (Pepé), e um dos melhores zagueiros daquela época (Bellini). Como digo antes dessas estrelas não existia futebol e depois deles mostramos como se joga este esporte que é o primeiro no coração de todos os brasileiros sem se importar com idade, credo, raça e sexo.

  2. Amigos Armando era ruim, errou até nas contas em uma decisão do estadual Paulista.Era protegido pela CEAF e pela federação, árbitro bons tivemos o Romualo Arppi Filho,Arnaldo Cézar Coelho era excepcional(apenas bom como comentarista).Quanto ao Pelé ,sem comparação.Pepe diz para todo mundo que ele é o maior artilheiro do Santos de todos os tempos com mais de 400 gols.E os mais de mil do Pelé? Ele diz que Pelé não existe , é algo im ponderável.

Deixe uma resposta