A comparação de Sacchi sobre Maradona e Messi

Por Paulo Vinícius Coelho, da ESPN
 
Colunista do jornal La Gazzetta dello Sport, Arrigo Sacchi lembra na edição desta quinta-feira que enfrentou os dois gênios. Maradona, quando era técnico do Milan e o astro argentino jogava pelo Napoli – na temporada 1987/88, vencida pelo Milan, vitórias milanistas por 4 x 1 em Milão e 3 x 2 em Nápoles. Mesmo assim, Sacchi relembra: “Jogar contra Maradona era como ter uma espada na cabeça!”

Em seu texto, Sacchi relembra ter saído aplaudido de San Siro depois de um primeiro tempo empatado por 0 x 0. A torcida festejou a vantagem do Milan, tecnicamente. Sacchi conta ter brigado com o time no vestiário: “Ou transformamos a vantagem em gols, ou Ele marca!”

Ele era, evidentemente, Maradona.

Sobre Messi, diz ser mais rápido, que trabalha mais para a equipe e com a equipe.
Maradona dependia menos do time.

Boa análise!

6 comentários em “A comparação de Sacchi sobre Maradona e Messi

  1. Também vi Maradona jogar naquele insinuante Nápoli do fim dos anos 80, campeão italiano e da Copa da UEFA (hoje Liga Europa). Sacchi tem razão. Messi e Maradona são assombros, estão no panteão dos semideuses do futebol em todos os tempos, mas acho que Maradona, por tudo o que conquistou com a camisa portenha
    – inclusive uma Copa do Mundo e jogando numa seleção argentina onde ele, Maradona, era o diferencial. Daí derivando minha não concordância com análises condescendentes sobre o papel não mais que razoável, no máximo bom, de Messi na seleção argentina – e por não ter jogado em times de nível excepcional, como o Barcelona atual, está num nível acima.

    Gerson, já que rotineiramente se compara jogadores e treinadores de épocas distintas, algo até típico no universo do futebol e de sua respectiva crônica, não seria interessante fazeres enquetes aqui no blog sobre jogadores, técnicos, times e seleções a nível mundial, continental, nacional e regional (no caso de jogadores, times e técnicos do futebol paraense), como se fossem rankings pessoais? Iria dar pano pra manga, além de muitas discussões… saudáveis até. Fica a sugestão. Abraços.

  2. O único esporte que idolatra um drogado (ele foi pego em uma Copa!) é o futebol, acho que a idolatria ao Maradona é mesma que serve aos fãs de MMA. Talento, genialidade e drogas podem até combinar mas não parece legal.

Deixe uma resposta