Papão busca novo técnico, mas Charles é mantido

Especulações no Paissandu indicam que um novo treinador deve ser contratado para a disputa do Campeonato Paraense, mas Charles Guerreiro e Lecheva (seu auxiliar) serão mantidos em outras funções no departamento de futebol. Nem sempre é a melhor combinação, mas é a vontade dos dirigentes. Antes da derrota para o Salgueiro, o presidente Luiz Omar Pinheiro havia confidenciado a amigos o plano de transformar Sandro em técnico do time. Depois do insucesso e dos problemas envolvendo o veterano capitão, a história mudou de figura.

8 comentários em “Papão busca novo técnico, mas Charles é mantido

  1. Já que é pra limpar a área, não se deve manterpedra sobre pedra. Daqui a mais algum tempo vai ter mais técnico (empregado velho) e com isso mais jogador indicado pelo tecnico-ex jogador velho que será mais “reforços” jogador veterano vindo por aí. Isto vai virar timboteua (nimguem se entende).E o torcedor sofrendo……….

  2. Charles e Lecheva não saem porque têm pendências (foi noticiado neste blog que Charles emprestou 150 mil ao Paysandu este ano). Zé Augusto igualmente tem a receber, Sandro, Fávaro e Tácio idem. Como no Remo, as dívidas vão tomando conta do dia-a-dia do clube, tudo passa a girar em torno delas. Será que outros atletas com pendências retornarão em 2011? Manter esses jogadores fará do Paysandu um time velho e desmotivado, visto que os profissionais estão aqui apenas para receber atrasados e, devido a idade, não têm mais ambições na carreira.

      1. Tem sim. Jogou anos no Flamengo. E é empresário bem sucedido. Tem apartamentos etc. Dinheiro ele tem para dar e vender.

  3. Os clubes individando-se cada vez mais. As pedências avolumando-se a cada dia a cada ano. Isso torna os clubes e dirigentes,refens desta situação que os obriga a manter no elenco,jogadores ou ex-jogadores que em condições normais,seriam plenemente dispensáveis. Vale se registrar, que em muitos casos esses mesmos dirigentes são os verdadeiros culpados,cometendo erros cruciais que oneram e atrapalham suas administrações e consequentemente,dos que lhes substituem, afundando cada vez mais o clube. O nosso Paysandu,por exemplo, através de seu presidente, sem condições de idenizar um monte de profissionais da bola, procura ajusta-los em outras funções,deixando a batata quente,para futuras administrações.

  4. Sinto que o futebol paraense não se levantará em 2011. As idéias não são discutidas e sim impostas. Se de fato se concretizar as revelações acima nada mudará para melhor.

Deixe uma resposta