Galo repercute as confusões de Luxa

Do Blog do Perrone

Antes de Vanderlei Luxemburgo ser demitido, parte dos jogadores do Atlético-MG queixava-se veladamente do treinador. Algumas das críticas eram semelhantes às que ele sofria no Palmeiras, como deixar treinos nas mãos de auxiliares e dar menos trabalhos táticos do que os jogadores queriam. Parte do grupo concluiu que os próprios jogadores teriam que tomar algumas atitudes para tentar recuperar o time. Como pedir ao técnico um período de 15 dias de concentração.

Uma das reclamações internas aconteceu um dia depois de o treinador participar em São Paulo de evento promovido pelo locutor Galvão Bueno. Houve treino pela manhã, e os jogadores queixaram-se da ausência de Luxemburgo. “Ele pegou o primeiro avião para Belo Horizonte e estava às 7 horas da manhã no CT. Mas não foi para o campo porque era um treino de recuperação e não é ele quem comanda esse tipo de atividade”, disse ao blog Luiz Lombardi, assessor de imprensa do técnico.

Um dos episódios críticos da passagem de Luxemburgo pelo Galo foi uma discussão com Fábio Costa, jogador levado por ele para o clube. Quem estava no vestiário conta que, inconformado com mais uma derrota, o goleiro entrou cobrando os colegas. Vanderlei pediu para o jogador parar com as cobranças, mas o atleta retrucou e os dois bateram boca. “Desconheço que ele e o Fábio Costa tenham discutido. Mas sei que o Fábio foi um dos jogadores que mais falharam no Atlético”, afirmou Lombardi. Sobre as queixas em relação aos métodos de treinamento, o assessor também disse deconhecê-las. “O Vanderlei faz hoje exatamente as mesmas coisas que fez quando foi campeão”, completou o porta-voz de Luxemburgo.

4 comentários em “Galo repercute as confusões de Luxa

  1. Gerson, não acredite no que fala um jogador de futebol, principalmente quando quer tirar o dele da reta e colocar a culpa no treinador. Lembra o que aconteceu com o Giba?
    – Lí, certa vez na revista placar, que o Goiás(se não me engano) estava perdendo um jogo por 3 x 0 e, o Juiz disse a um determinado jogador: ” Se vcs apertarem, ainda podem ao menos empatar esse jogo, pois faltam 15 min. e mais os acréscimos e, o jogador falou a ele: Pô seu juiz a gente tá doido pra que acabe logo esse jogo, estamos querendo derrubar o técnico. Entendeu agora”? Vale ressaltar que o Técnico era o Paulo Bonamigo, ídolo da torcida do Remo. Te contar.
    – Sempre falo a amigos meus, Gerson, que Jogador de Futebol, só sabe chutar a bola, por isso não entende certos tipos de treinamento. Que jogador de Futebol, em comparação com a contrução civil, eles são os peões da bola e, o Técnico o Engenheiro. Desculpe, mas é a minha opinião.

  2. O jogador de futebol passou a ser visto pelo Cláudio como um mentiroso, antes do Giba nunca testemunhei essa afirmação. Já penso que estes são os que mais falam a verdade, pouco é verdade, exemplifico o Landú.

    1. Amigo Berlli, isso que aconteceu com o Bonamigo e, foi com o Goiás mesmo, pude confirmar isso, já acontece há muito tempo, então, bem antes dessa passagem de Giba pelo Remo. Pior foi ver, após esse jogo, as entrevistas dadas pelos jogadores(segundo um amigo meu), lamentando a derrota e, pedindo a permanência do Técnico. Te contar. Qualquer semelhança com as entrevistas dadas por alguns jogadores do Remo, após a eliminação pelo Vila Aurora, não será mera coincidência. Nunca mais pense que jogador é o que mais fala a verdade, que vc pode se decepcionar mais à frente. Anote.
      – Vou lhe dar outro exemplo, mais recente: o Givanildo treinando o Sport, entregou o lugar, após mais uma derrota e, os jogadores, cinicamente, não aceitaram a sua demissão e, a diretoria então, permaneceu com ele e, que no próximo jogo, tudo ía ser diferente. Resultado: Em casa, o Sport foi Goleado pelo Icasa e, Givanildo foi mandado embora. Te dizer.
      – Se alguem está pensando que estou dando desculpas para o que aconteceu com o Giba, está enganado, pois o que aconteceu com o Remo, naquela tarde, foi isso mesmo que falei a alguns dias atrás, acreditem.

Deixe uma resposta