Uma família diferente

O inesperado “caso de amor” entre duas aves de espécies diferentes teve um desdobramento surpreendente no Museu Goeldi, um dos mais importantes centros de pesquisa do país, sediado em Belém. A ararinha-maracanã (Ara nobilis) conhecida como Ligeirinho passou pela tela de seu viveiro e foi se juntar à ararajuba (Guaruba guarouba) Lola (de plumagem amarela), que habitava o recinto vizinho. Dessa união inusitada nasceu o recém-batizado Bandeirinha, à direita na foto. (Foto: MESSIAS COSTA/MPEG)

3 comentários em “Uma família diferente

  1. É isso ai temos mais é que comemorar com esta nova espécie, já que foi formados por gametas diferentes na formação do zigoto e do embrião atrvés da meiose nos proporcionando uma nova espécie e provando que o Brasil tem uma grande biodeversidade, em que ao meu ver ainda falta muito investimento em ciiência e tecnologia para o potêncial em que temos, depois o governo fica dando uma de vitima em que nossos recursos naturais estão sendo contrambamdiados, mas não tem recursos para investir em pesquisa que é a base do conhecimento.

Deixe uma resposta