Certidão revela que Baenão não foi vendido

Ao contrário do que anunciou o presidente do Remo, na quarta-feira (25) passada, o estádio Evandro Almeida ainda não está vendido. Acima, a reprodução da ata da reunião de terça-feira, 24 de agosto, com a participação de representantes da empresa interessada na compra, do presidente do Clube do Remo e de representante da Justiça do Trabalho. Como se vê no texto, de forma clara, a venda do Baenão e da área onde fica o Carrossel não foi oficializada ainda, nem ao menos há compromisso verbal firmado. As compradoras declaram, segundo a certidão, que têm “interesse na compra dos imóveis”. A efetivação da venda dependerá da entrega da proposta final de compra e entrega do memorial técnico está marcada para o dia 14 de setembro, sendo que o auto de arrematação está definido para 21 de setembro. Até lá, como se depreende da certidão lavrada no TRT, as duas propriedades continuam pertencendo ao clube e, portanto, não podem sofrer modificações em sua estrutura.

31 comentários em “Certidão revela que Baenão não foi vendido

  1. Realmente é um esboço de uma futura certidão de óbito, que de garantia só torna público as intenções. Chama atenção o valor inicial a ser depositado que é muito inferior a dívida em andamento e alimentada pela inflação. Desconfio que seja a parte dos interessados, o restante só Deus sabe quando será realidade. Engodo a tempo de ser reparado. Se a reunião dos desunidos for eficiente, hoje o gelo derrete. Giba neles.

  2. Acho que já é tempo das torcidas organizadas do Clube do Remo começarem a ocupar o espaço que está sendo, até aqui, usado apenas pelos adversários: brincando, gozando, falando sério, a mídia tomou conta do assunto apenas como um ato deplorável, condenável e obscureceu que daqui ha dois anos o clube estará com um novo estádio, moderno, com espaço para estacionamento que não seja a Almirante Barroso e transversais de alto risco para furtos, enfim, estará com os pés no futuro, em Marituba, cercado de condominios de classe média alta e média, bairros residenciais que estáo prontos e habitados no mesmo tempo, as contas saneadas (coisa rara num clube brasileiro) e pronto para ser administrado profissionalmente porque não terá os fantasmas que só atraem para a sua administração os “abnegados e baluartes” porque amedrontam os profissionais do ramo pelo peso das contas vencidas.
    Desarmen-se das objeções ante ao fanto consumado e fiscalizem para os que vierem a administrar o façam com competencia e honestidade a realização desse projeto que, com certeza, dará ao remo a chace que precisava para sobreviver no terceiro milênio.
    Façam camisas, flâmulas, divulguem a maquete do novo estádio, mostrem-se orgulhosos porque os navios já foram queimados ou já foi ultrapassado o Rubicão.

    1. Aplaudo seu otimismo, amigo Dorivaldo. E acrescento: que as torcidas se mobilizem, amigo Dorivaldo, para cobrar transparência no processo, acabando com o festival de mentiras, dúvidas, meias verdades e atitudes alopradas vistas até aqui. Quase sempre, sabemos, o que começa errado, permanece errado e termina do mesmo jeito. Eis a grande questão. E que o futuro presidente do Remo se prepare para o cenário pós-Rubicão.

      1. Dorival vc acha Marituba mais segura que Belém , que Marituba é cercada de condominios de classe média e alta , eu te pergunto vc conhece Marituba? hehehehe já ouviu falar da maior invasão do Norte do brasil que se chama Che guevara? hehehehe leia as paginais policiais e veja quantos crimes acontecem em marituba.

  3. Será fome? Comendo letras e vírgula. Vou ao banco pagar uma promissória senão a juíza não perdoa, mas volto.

  4. Não vi novidade alguma no post. pois tudo que está escrito na certidão é o que vem sendo falado por toda a semana passada.
    Houve indeferimento do tombamento. Houve a reunião no TRT. As empresas manifestaram interesse. Estabeleceu-se prazo para o fechamento do negócio e só.
    De novo só a publicação da Certidão e o conhecimento, agora público, do valor a ser pago. Mais nada.
    Não há saída é vender ou perder.
    Todo administrador sabe que empresa não tem coração e sim CNPJ. Claro que ninguém queria que o desfecho fosse esse, mas é o que nos resta.
    Preocupo-me não só quanto à conclusão ou não da nova arena, mas prinmcipalmente com o restante dos débitos, fiscais, previdenciários e os contraidos com particulares que estão em andamento na Justiça Comum.

  5. Dorivaldo,
    Também sou um entusiasta quanto ao futuro azulino, muito embora tenhamos que ficar antenado contra às mãos gatunas.
    Por outro lado, mesmo que a presença dos azulinos neste BloG seja menor, é como diz os ribeirinhos: Ela inverga, mas não quebra! Portanto, vamos que vamos, meu caro.

  6. Do estádio vovô eu lembro daquele gol do Amoroso, do Motora sentando na bola, do muro que caiu no gol do remo, do Balão fazendo um gol histórico pelo Remo. Acho que eu tenho muitas e boas recordações de lá. É bom que se preserve com um templo até porque muitas das 33 foram lá.

    1. Como diz a letra da música de Roberto Carlos. Do que vale tudo isso sem um título que preste aqui.

      1. vald

        Oi Dorivaldo, eu também não queria o fim do Baenão,pois me traz mujtas recordações alegres, principalmente, porque foi lá que o leão vestiu pela primeira vez, a camisa do papão,feito histórico projetado e executado pelo Albertinho. Iisso sem contar com a audaciosa atitude da ou das pessoas que não perderam tempo para preencher o elegante Buraco com escudo divinal do nosso PSC.

        .

      2. Te dizer esse Berlli. Rsrsrsrsrsr. Pior é que faz sentido, em relação ao Baenão, essa “nova” letra da música do Rei. É dolorida, mas é verdadeira. Te dizer.

  7. É um pena!
    Mas o vovô não ficará lá por muito tempo.
    Um primeiro ensaio já foi feito e, apesar de alguns gritos da torcida, o objetivo, foi atingido ou seja: a maioria dentro da equipe administrativa bicolor, a maioria sinalisaram pro sim. Mas, sabidamente isso ficou conhecida apenas como uma hipótese, hipótese sorrindo para uma concretização futura.
    É Berlli, realmente nem tudo está perdido, ainda que esteja, no caso do vovô a permuta vai achá-lo (CUSTE O QUE CUSTAR).

  8. Na reunião do Conselho de hoje, tem que haver o pedido de saída Urgente do AK44.
    Repito o Estádio do Remo não foi vendido e não será.

    Em relação as “desorganizadas” no mínimo se organizar para colocar novamente o escudo do Clube do Remo no seu devido lugar.

  9. DORIVALDO PAU-MANDADO: Qual é a tua comissão. Se não tens comissão és burro, sem qualquer discernimento. És tolo que não percebes maracutais.

    1. Caro Luiz, sou testemunha da seriedade e do caráter ilibado do nosso Dorivaldo, amigo de fé e irmão botafoguense dos bons. Gente da melhor qualidade. Jamais se submeteria ao jugo deste ou daquele. Manifestou uma opinião sincera e pessoal, sem meias palavras, e isso é inteiramente legítimo.

  10. Era óbvio que o Baenão não estava vendido, de fato. O que o Amaro Klautau disse é que a venda estava apalavrada. Não vejo novidade nesta notícia.

    1. Na Rádio Clube e nas emissoras de TV (Liberal, Record, RBA), o presidente disse que o estádio estava vendido, em português claro e cristalino. E mais: disse que a retirada do símbolo do pórtico não tinha nada de mais justamente porque a negociação já havia sido sacramentada. E que a compradora podia derrubar de imediato a área do Carrossel para fazer seu estande de vendas. Ora, que tipo de “venda apalavrada” é essa?

  11. http://negociosdoesporte.blog.uol.com.br/arch2010-08-22_2010-08-28.html#2010_08-28_08_53_11-136381883-0

    Caro Gerson e amigos do blog,

    sugiro a leitura da análise feita no link acima, sobre a localização de arenas esportivas. Cai muito bem no momento atual do rival. Aos remistas sugiro que reflitam sobre esta análise e deixem um pouco a paixão clubística de lado. Será que realmente a venda do baenão é a solução dos problemas?!

    obrigado

  12. Quer dizer que o Baenão nunca esteve vendido?! Então, foi uma semana de acirrados debates por quase nada?! Bom, mas, ao menos, agora, teremos oportunidadede ver esclarecido, de uma vez por todas, qual a verdadeira posição dos conselheiros no imbroglio. Se esta postura de contrários à venda, é, ou não é, só mesmo a farsa que parece ser. Montada para ser levada pela imprensa à torcida e aos sócios. Se, de fato, não se tratar de farsa, eles que deliberem pela revogação da autorização dada e tudo fica como está. De outra parte, se eles são favoráveis, melhor dizendo, se continuam favoráveis à venda, que ratifiquem a autorização, assumindo o risco da decisão perante a coletividade azulina. Risco que, aliás, no caso concreto, se faz presente em qualquer que seja a decisão. Afinal, se o conselho revogar a ordem pode ocorrer também do patrimônio ser alienado por ordem judicial.

  13. Realmente no que está escrito na certidão, comprova que o chiqueiro azul nãofoi vendido mesmo, porém foi tomado por alguns corajosos torcedores do Paysandu, que ousaram e suplantaram uma bandeira com o escudo bicolor, bem no lugar onde onde tinha o escudo azulino! Te contar em, isso ainda vai dar o que falar…

  14. Gerson faltou vc divulgar no Blog a audacia do torcedor Bicolor que escalou a parede do baenão e amarrou a bandeira do Paysandu onde ficava o antigo escudo do remo que o AK derrubou a marretadas hehehehe

  15. GERSON: Este assunto está tão divulgado, que eu não aceito mais ingenuidade ou muita fé naquilo que se desenha claramente interesses pessoais.Portanto peço desculpas ao sr. DORIVALDO, pela maneira como me expressei. Aqui existe muitos clones travestidos de blogueiro. Pensei que fosse mais um. Mas de qualquer maneira peço ao seu orivaldo que faça uma análise, ou eu você estamos errados. Não achas?

  16. Pô Gerson, se eu fosse vc,depois do que eu lí ontem,de remistas desaforados ,descontrolados e perdidos sem teto,já teria largado de mão, esse assunto funebre,da venda do chiqueirão. Cuidado,pois, as pessoas que estão se envolvendo muito com essa questão,estarão sujeitas a muitos anos de atraso,em suas vidas. Égua, deixa eles morrerem prá lá

  17. Caro Gerson, entendí. Pelo documento postado ainda não foi efetivada a venda do Baenão. E agora, como fica o AK, perante os conselheiros e a torcida azulina, em referencia à recolocar o escudo do CR de onde foi retirado ? Em 30.08.10, Marabá-PA.

  18. Sinceramente não entendo como certos remistas estão a favor da venda do Baenão, certamente que Marituba no futuro terá bons condomínios e tudo mais, o problema é que ninguem sabe aonde será o estádio, cada vez que o assunto vem a baila muda o lugar, agora é na estrada da Pireli. Uma pergunta a vcs que são a favor, conhecem a estrada da Pirel? Se não então vá conhecer e depois digam se continuam concordando.

  19. Chora coração, perdeste tua Favela, Perdeste o Baenão. Que depois foi enfreitado, Com a bandeira do PAPÃO. Agora tú vais viver, na maior escuridão……………Pobre coitado Leão.

Deixe uma resposta