Como destruir uma carreira

Por Rica Perrone

Emerson Leão foi goleiro do Corinthians, do Palmeiras, do Grêmio e do Vasco. Foi pra seleção, disputou Copa do Mundo, ganhou 2 Brasileiros, diversos estaduais e se tornou técnico quando parou de jogar. Com imagem de culto e “diferenciado”, Leão foi trilhando a carreira de técnico entre o limite da arrogância e da falta de educação. Qualquer escolha já seria um erro, mas ele conseguiu somar as duas.

Virou “top” no Santos, quando na verdade o time era forte, não ele. Usou sua fama pra ir ao SPFC, e lá deixou o clube para ir ganhar dinheiro no Japão. Desde então, quando ganhou o Paulistão, sua carreira como treinador afundou. Não consegue emplacar nada, por onde passa só deixa inimigos, tem problemas com diversos jogadores e identificação com clube nenhum.

Conseguiu destruir uma carreira brilhante e uma imagem de ídolo através de sua arrogância e mania de grandeza. Leão se acha o melhor. Como goleiro, como técnico, como pessoa, como qualquer coisa. Leão agride as pessoas a troco de nada. Tem medo da imprensa, se acha muito macho quando chama nego pra “brigar lá fora”, e na verdade é um fracassado treinador que vive de nome há alguns anos.

Duro aceitar, pra alguém que se acha Deus, que a verdade lhe mostre sua incompetencia. Natural que a reação seja agressiva até, afinal, controle emocional e Leão nunca andaram juntos. A cada 10 jogadores que trabalharam com Leão, 9 o detestam. A cada  5 clubes que trabalhou, 4 não querem vê-lo nunca mais por lá.

Segundo um renomado jogador de futebol, “Leão consegue juntar numa só pessoa tudo de ruim que um ser humano pode ter”. Não sei, não o conheço como pessoa, só como profissional do futebol. Ali, é péssimo. E pela postura e forma de tratar as pessoas, não tenho muitas dúvidas sobre seu lado pessoal.

O que fez ontem foi apenas mais um capítulo entre tantos de descontrole e arrogância. Passará batido, porque é rotina vê-lo brigar, assim como é mais interessante focar a notícia nos técnicos tops e não nos fracassados decadentes.

Leão acabou. Ou pior: se acabou pro futebol. Vai tarde. Nenhum setor precisa de gente assim.

14 comentários em “Como destruir uma carreira

  1. Com esse nome não poderia ser diferente. Levou uma pimentada nos olhos e na juba no Mangueirão e jamais esquecerá que aqui não bota banca. Consegue ser milvezes pior que o Dunga. Ontem extrapolou o limite da paciência de qualquer desportista. Deve ter a carreira encerrada a não ser que time mais mediocre que ele queira contratá-lo. Cláudio, vê como procede alguns técnicos de fora e esse na porrada arrumaria o Remo. Leão terá o triste destino que todos os domados teem, a clausura.

    1. Eu estava nesse jogo , foi em 2003, a torcida Bicolor até fez uma homenagem aos PM’s , gritando “PM pode esperar, o teu salario vai aumentar”.

    2. EI VELHO MALUCO, A NOTÍCIA É DE OUTRO LEÃO, AGORA ME DEU MEDO, EU ACHO QUE O LEÃO AZUL NÃO SAI DA CABEÇA DESSE SR. SERÁ ???

    3. ADOREI SUA ROSETA KKK CALMA É SÓ BRINCADEIRA

  2. Que o diga o Marinho Chagas, que o Leão ficou com raiva só porque o mesmo na copa de 74 foi escolhido o melhor lateral esquerdo do Mundo.

  3. Se não estou enganado, caros Gerson e blogueiros, o Sócrates que atuou com Leão no Corinthians nos tempos da Democracia Corinthiana deu uma entrevista em uma revista afirmando que o ex-goleiro dedurava jogadores à direção do clube e que não aceitava/suportava as deliberações tomadas pelos jogadores. Nesta mesma entrevista, Sócrates deixou subentendido que Leão tem uma certa inclinação para autoritarismos e violência de toda ordem…

  4. Lembram quando o Chulapa, que também não é flor que se cheire, deu uma bicuda na lata do então goleiro felino?

  5. Égua Acácio, não lembro dessa…
    Lembro desse episódio de 2002, aqui no Mangueirão, quando o Diego se estranhou com o Sandro e teve cacetada no Preto, zagueiro do Santos e spray de pimenta nos rosto do Leão. Um amigo meu, que estava por perto e gaiato como ele só, proferiu essa “Leão tem mais é que apanhar mesmo”… rsrsrsrs

  6. Todo Leião é assim. Se faz de macho mas, no fundo quando o negócio é mais embaixo APANHA.Hoje faz 65 anos que aquele felino desdentado levou outra surra INESQUECIVEL.

  7. Ei Acacio eu me lembro da bicuda do Chulapa na cara do Leao foi na decisao do Brasileirao de 1981 entre Gremio e S.Paulo no Morumbi vitoria do Gremio 1 x 0 gol do Baltazar o artilheiro de Deus o Leao era goleiro do Gremio parece que teve tambem uma pisada na mao do Leao dada pelo Chulapa

  8. Acácio, não chute na cara nesse jogo. Foi uma pisada na mão dada pelo encrenqueiro Serginho, um dos maiores goleadores do meu tricolor. O jogo foi em maio de 2001, na decisão contra o Grêmio do brasileirão, no Morumbi. O São Paulo já perdia para o aguerrido e bom time do Grêmio (cuja base o levou ao título mundial de 83), quando o Leão começou a fazer cera (algo que era contumaz em fazer pois adorava se agarrar nas bolas) empinando a bunda). O negão ficou puto com aquela presepada da gazela e deu-lhe uma “leve” pisada na mão no alto de seu “pé de bailarina”. Aí, o Leão simulou um chute na cara e o Serginho foi expulso. Como eu disse, o Leão, há muito já deveria ter saído do armário.

Deixe uma resposta