Santa contrata técnico de Série A

Após demitir o técnico Sergio China do comando do Santa Cruz, na noite do último sábado, a diretoria do tricolor não perdeu tempo e anunciou um velho conhecido da torcida: Márcio Bittencourt. Ele fica para o restante da temporada, segundo os dirigentes.
O treinador que já passou pelo Santa Cruz neste ano, fazendo um bom campeonato pernambucano, montou o atual elenco da equipe e terá a difícil missão de levar o time à classificação à próxima fase do Campeonato Brasileiro da Série D.
Na sua primeira passagem, o técnico deixou o clube após não aceitar uma redução salarial. Após sair do clube, fez duras críticas à diretoria coral. No momento, o Santa está na terceira colocação de seu grupo, com apenas quatro pontos. Bittencourt terá duas partidas para tentar levar o tricolor à classificação.

Poxa, cheguei a pensar que era o Gaúcho voltando à ativa, e dando uma resposta aos seus críticos da imprensa esportiva paraense. 

23 comentários em “Santa contrata técnico de Série A

  1. Não Gerson, trata-se de uma diretoria profissional acima de tudo, que assume que o Márcio fez um bom trabalho e que não se deixa levar por picuínha. Se fosse aqui, ele não voltava nunca mais.

  2. Gerson, a resposta do Gaúcho teria que ser dada aqui, no Paysandu, não em outro clube, afinal, sabemos que quem não dá certo aqui, pode não dá ali e vice-versa. Infelizmente, parte da imprensa e o presidente tresloucado não deixaram isso acontecer. O Santa mostra que está pensando grande. Aqui demitiram o Gaúcho e trouxeram um Zé Ninguém que só sabe ficar num blá-blá-blá que não motiva ninguém, muito ao contrário. Como diria o outro: acabou, filho!

    1. Sandra,
      Nada impede que isso ocorra futuramente. A vida dá voltas e o futebol é pródigo nessas coisas – vide o próprio caso do Márcio Bittencourt no Santa.

  3. Consertando: A resposta de Gaúcho teria que ser dada aqui, no Paysandu, não em outro clube, afinal, sabemos que quem não dá certo aqui, pode dar ali e vice-versa.

    1. Sandra,
      Caso caia (coisa que não vai acontecer), o Paissandu tem vaga assegurada, como aliás deveria ter ocorrido neste ano com o Remo, que caiu da Série C. Quanto ao Remo, em 2010, a coisa está mais para SDS (só Deus sabe…)… rsss

  4. Gerson, penso que alguns técnicos, só são contratados, graças ao não conhecimento sobre futebol por parte dos dirigentes de clubes. Técnicos como: Marco Aurélio, Márcio Bitencourt(esse mesmo), Zé Teodoro, Arthurzinho, Celso Teixeira, Bagé, Valdir Espinosa(parece que parou. Ufa), Flávio Campos, Todos os Técnicos da Região Norte e muitos outros, que não consigo lembrar neste momento. Uns não são Técnicos pra clubes de grandes torcidas e outros pra nenhum clube.

    1. Também acho. Você esqueceu dos gloriosos Jair Pereira, Dario Lourenço, Eron Ferreira, Roberto Cavalo e Sebastião Lazaroni. Há também a figura cada vez mais insinuante do empresário de técnico, que vive procurando clube para os caras. Agora mesmo há uma tremenda movimentação para botar Sérgio Guedes no Flamengo.

  5. Gerson, desculpe, quiz dizer: uns não são técnicos para clubes de grandes torcidas, outros servem apenas para pequenos clubes e outros, pra nenhum.ok?

  6. Uma pergunta simples: cadê o presidente do Paysandu?
    Nunca tinha visto nada parecido na história do futebol. O presidente simplesmente desapareceu! Faz mais de uma semana que não dá notícias – e num momento decisivo como este. O abandono se reflete no dia-a-dia do clube, na apatia demonstrada pelos jogadores nas entrevistas, na descrença do torcedor.
    É visível que as atividades profissionais do presidente o impedem de administrar o clube. Só foi eleito na total ausência de outros candidatos, pois era o único disposto a assumir o cargo. Aí está a consequência, um clube abandonado.
    Vários fatores tornam claro o desinteresse do Paysandu neste campeonato:
    1)Praticamente não contratou para a 3ª divisão, mesmo sabendo ter um time visivelmente limitado.
    2)A troca do Édson Gaúcho por um treinador de nível visivelmente inferior. No Pará, treinador local é contratado apenas para “tocar o barco”, nunca para as decisões.
    3)O sumiço inexplicável do Córdova, e que agora deixa o Paysandu apenas com o inexperiente Paulo Vanzeller.
    4)O sumiço do próprio presidente. Se alguém conhecer caso semelhante no futebol mundial, poste aqui, que eu gostaria de saber.
    Nos próximos dias, ele deve “reaparecer”, cercado de câmeras e microfones. Vai deitar falação, criar factóides, prometer mundos e fundos para em seguida desaparecer novamente, deixando o clube ao léu.
    Só o tempo dirá o que vai ser do Paysandu na próxima segunda. Se depender dos homens…

  7. E alguém ainda estranha o comportamento do nosso presidente Indira (aquela mesma, da novela, que no primeiro sufoco desmaia)?
    Se o Paysandu não tem um presidente que faça juz às tradições do clube, poderia ter um Diretor de Futebol em Tempo Integral para não deixar nada desandar num momento delicado como esse. Ah, de preferência alguém remunerado, para que assim, possa ser devidamente cobrado por seu desempenho.

  8. Marcio, o homem é ”pratico” nas coisas do futebol..rsrs…uma coisa é certa : domingo ele estará no Estadio Reyna, torcendo e orando pra td dar certo no final…Vs q vs Luiz Omar…Sds Edmundo Neves

  9. Acho que a RÁDIO CLUBE DO PARÁ, vai formar um TIME para participar da SELETIVA do PARAZÃO 2010.
    Acho que a RÁDIO CLUBE DO PARÁ, vai dar o DESDOBRO no BICOLA e CONTRATAR o ÉDSON GAÚCHO para ser o TÉCNICO.
    No PACOTE virá GRATUITAMENTE um CAFEZINHO.
    É…!!! Adeus IMPRENSA SHOW !!! …he he he… KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!!!!!!!!!!!!!!

    1. Seria uma boa. O Maçaranduba como técnico é, pelo menos, garantia de vale-tudo nos intervalos… hehehe.

  10. Gerson, só pode ser piada. Sérgio Guedes no Flamengo? Muito bom esse empresário dele. Pelo menos já se tornou importante e, como no Futebol quem contrata é o Presidente do Clube( que não entende nada de Futebol) ele tem grandes chances de já ser disputado por outros grandes clubes do Futebol brasileiro.

    1. Poucas, pouquíssimas, meu caro Cássio. Dos medianos, que podem atuar nas 3 divisões principais, tem Givanildo, Wortmann, Leão, Levir Culpi e (vá lá) PC Gusmão.

  11. E pensar, caro Gérson que já tivemos Rubens Minelli, Telê Santana, Formiga, Brandão, Paulo Emílio, Paulo Amaral (lembra do confronto dos Paulos em 1979 no Pará?), Nicanor, Mário Travagline, Cláudio Duarte, Carlos Alberto Santos e outros que não ganhavam o salário astronômico de hoje, mas eram muito competentes. Sem firulas, não usavam de falsa modéstia, nem eram chamados de “professores”, mas davam aulas de tática, estratégia de jogo e eram durões, mas evitavam palavrões a torto e a direito e não eram grossos nem mal-educados. Quantas vezes vi o Telê Santana quase engolido por microfones, perdendo às vezes a paciência, mas aguentando tudo, sem precisar dar lição a jornalista como faz o carrancudo Muricy Ramalho. Eu sou da época que técnico de futebol sentia vergonha de ser flagrado pelas câmaras falando palavrões e berrando impropérios aos jogadores. Hoje, virou regra… Não gosto de ex-jogador que vira técnico, mas tenho me surpreendido com o meu ex-ídolo tricolor, Silas. Tenho assistido algumas de suas entrevistas e me parece um profissional tranquilo, sensato e com boa articulação. Tem amadurecido como profissional, independente do que possa mudar na campanha do Avaí.

Deixe uma resposta