Joel, o homem que falava javanês

O video em questão é a prova incontestável dos bons serviços que o Instituto Vanderlei Luxemburgo prestou ao nosso bom Joel, técnico da África do Sul. Na entrevista é possível captar indícios de ingrêis, francésio, itálico, lazaronês e javanês, claro.

3 comentários em “Joel, o homem que falava javanês

  1. Gerson, acho que aí reside um dos fatores pelos quais os técnicos brasileiros não se saem bem na Europa e em outros recantos onde o futebol é um pouco mais desenvolvido. Os mais afobados dirão, contudo, que os brasileiros se saem bem no mundo árabe e no extremo oriente, onde o idioma e os costumes são extremamente diferentes; porém, esquecem de dizer que invariavelmente nestes lugares os técnicos brasileiros usam tradutores ou auxiliares técnicos brasileiros que moram há tempos nestes locais, sem contar é claro que nestes grotões os nossos treinadores são reverenciados por serem oriundos de um futebol que por aquelas bandas é reverenciado, ao passo que na Europa são apenas “aventureiros” que buscam reconhecimento em meio a muitos treinadores experientes e que vivem em intenso intercâmbio com as diversas escolas européias de futebol.

Deixe uma resposta