The dream is over!

Do Jornal Infernal, do não menos Tonico da Bocaiúva:

Quando o Juca Kfouri cantou a pedra, meses atrás, que Manaus seria a sede amazônica da Copa do Mundo, foi uma gritaria. Teve vereador querendo processar o Juca por danos morais, a governadora disse que o jornalista estava blefando, que Belém estava certa, e que ela criar a “bolsa copa” assim que a cidade fosse anunciada, radialistas e colunistas esportivos ridicularizaram o Kfouri.
 
Ninguém estava suficientemente informado mas não faltaram vozes bairristas contra o Juca, jornalista esportivo dos mais premiados e prestigiados do país.
 
Pronto, não foi barrigada, como disseram alguns, confiando na presunção. Claro que Belém não é pior que a maioria das cidades do Brasil, muito menos pior que Manaus, a única cidade brasileira que já ultrapassou o limite dos 50% de pobres (1 salário mínimo ou menos) na zona metropolitana. Ou seja, mais da metade da população tem o almoço incerto.
 
Por que Belém então ficou de fora? Ora, porque o terreno onde se travou a guerra pelas sedes expurga o amadorismo. Vale mais o loby, o pacto político, as estatísticas de retorno, o prestígio regional, do que, com todo respeito aos religiosos, os pedidos à Virgem de Nazaré. Começa pela personagem que assumiu a tarefa de levar o Mangueirão à Nassau. Lúcia Penedo é uma ilustre desconhecida. Não tem nenhum prestígio nacional nem internacional. É uma anônima, de carreira política modestíssima, e sem preparo intelectual para comandar um projeto que envolve milhões de dólares.

4 comentários em “The dream is over!

  1. Concordo com você quando diz que foi falta de preparo,mas não foi só isso, a governadora tinha que fazer o dep. de Marketing do governo funcionar,
    dias atrás a Band fez uma materia sobre Manaus onde deixava a cidade nas alturas, diferente do que se vê aqui nos noticiarios nacionais.
    O GT da D.Lucia Penedo mostrou pra gente que Belém é melhor para uma Copa do Mundo, ao contrário que Manaus fez,mostrou pro Brasil e para os Politicos que Manaus é melhor.

  2. Concordo inteiramente com a matéria. A governadora tem culpa, sim, em ter entregue uma função muito acima da capacidade da Sra. Lúcia Penedo e sua equipe de amadores. Sobre o Juca Kfoury, na época eu comentei a notícia publicada no seu blog; em nenhum momento eu achei que ele estive blefando ou fazendo lobby por Manaus. As críticas que eu fiz foram voltadas à questão dele, que se acha a última reserva moral do país e considera o Ricardo Teixeira um gatuno, receber os louros do “furo”, justamente por vias daquilo que ele mais critíca na CBF (a desorganização e as obscuridades), além de quê, questionei o fato dele, que é tão defensor da gestão de verbas públicas, aceitar passivamente e não emitir nenhum comentário sobre as monumentais diferenças entre os tipos de investimento que seriam necessários entre as duas cidades, com Belém recebendo (e mais do que precisando) verbas basicamente para infra-estrutura de transporte, saneamento, etc, e Manaus recebendo verbas públicas, para a construção de um monstrengo que irá abrigar dois ou três jogos e depois só vai servir para show de boi bumbá.

  3. A escolha de Lúcia Penedo para comandar o GT2014 apenas seguiu o modelo petista de governo: entregar cargos de relevante importância a militantes despreparados. Depois que ela foi defenestrada da SEEL, aonde não fez nada, foi premiada pela Governadora com esse cala-a-boca de chefiar importantíssima missão. Dai é de se questionar: a D. Lúcia Penedo alguma vez esteve num rexpa no Mangueirão? Como, então, poderia comandar o nosso sonho de trazer uma copa pra Belém? O leite continua sendo derramado, e vida está sendo muito sofrido despois das 15h30m do dia 31/05.

Deixe uma resposta