Caso Marielle: promotora que desmentiu porteiro é militante bolsonarista

Carmen Eliza Bastos de Carvalho, uma das promotoras do caso Marielle Franco no Ministério Público do Rio de Janeiro, é bolsonarista militante. Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (30), a promotora disse que o depoimento do porteiro que citou Bolsonaro no assassino de Marielle foi “um equívoco”. 

No entanto,  o jornalista Leandro Demori, editor do site The Intercept, usou sua conta no Twitter para fazer a denúncia do viés ideológico de Carmen: 

Apesar de atuar no Ministério Público, a promotora não possui pudor algum em expor nas redes sociais seu viés ideológico. Aparece nas redes sociais ao lado do deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), que ficou famoso por quebrar a placa de Marielle durante uma manifestação fascista no Rio de Janeiro.

Ela também já se posicionou contra a liberdade de Lula. Em  postagem, ela escreveu: “Vai ficar preso, babaca!”. (Transcrito do Brasil247)