Jeff Beck morre aos 78 anos e o rock perde outra lenda da guitarra

A morte do guitarrista inglês Jeff Beck aos 78 anos nesta quarta-feira (10) consternou o mundo do rock. Alçado à fama ao entrar no supergrupo Yardbirds nos anos 1960, ele foi considerado um dos maiores de todos os tempos, um virtuose em seu instrumento. De acordo com a família, Beck tinha contraído meningite bacteriana e “morreu pacificamente”.

O músico era conhecimento pelos experimetos com efeitos e distorções de guitarra, ajudou a definir o som da guitarra no rock, e foi considerado pela revista “Rolling Stone” o 5º melhor guitarrista da história em 2015. Ao longo da carreira, Beck passou pelo rock psicodélico, jazz, blues, heavy metal e até música eletrônica.

Nascido em Londres, em 1944, Geoffrey Arnold Beck estudou na escola de arte e ficou conhecido ao ser recrutado para os Yardbirds para substituir Eric Clapton. Ao longo dos cerca de 20 meses com o grupo, ele esteve em apenas um disco, mas participou das gravações de grande parte de seus maiores sucessos.

Ele entrou no Hall da Fama do Rock em 1992 com os Yardbirds e em 2009 pela carreira solo. Mesmo assim, foi demitido durante uma turnê nos Estados Unidos por não cumprir horários e por problemas de relacionamento com os colegas. Após sair dos Yardbirds, ele seguiu em carreira solo, que começou com o álbum “Truth”, de 1968, e depois com o Jeff Beck Group.

Ele fez sucesso com o álbum “Blow By Blow”, de 1975, produzido pelo quinto beatle, George Martin, seu maior êxito comercial. Ganhador de oito prêmios no Grammy, a maioria na categoria de melhor performance de rock instrumental. Seu último álbum foi “18”, lançado em julho de 2022, com covers em colaboração com o ator e músico Johnny Depp.

Artistas lamentaram e prestaram suas homenagens ao guitarrista Jeff Beck. O guitarrista morreu de meningite bacteriana, aos 78 anos. A informação foi divulgada nas redes sociais oficiais do músico nesta quarta-feira (11). Entre as homenagens estão de Gene Simmons e Paul Stanley, do Kiss, e Tony Iommi, do Black Sabbath.

“Estou arrasado em ouvir a notícia da morte do meu amigo e herói Jeff Beck, cuja música emocionou e inspirou a mim e a inúmeras outras pessoas por tantos anos. Os pensamentos de Polly e os meus vão para a sua adorável esposa Sandra. Ele estará para sempre em nossos corações”, diz David Gilmour.

“Eu não consigo expressar o quão triste estou ao saber @JeffBeckMusic morreu. Que perda terrível para sua família, amigos e seus muitos fãs. Foi uma honra ter conhecido Jeff e uma honra incrível de tê-lo no meu álbum mais recente, #PatientNumber9. Viva #JeffBeck”, escreveu Ozzy Osbourne.

“Notícia devastadora sobre a perda de uma lenda da guitarra tão amada e influente Jeff Beck. Ele fez a guitarra cantar… uma poderosa influência para mim e para tantos outros”, diz Steve Hackett, do Genesis.

“O guerreiro de seis cordas não está mais aqui para admirarmos o feitiço que ele podia produzir em torno das nossas emoções mortais. Jeff podia canalizar a música do etéreo. Sua técnica única. Sua imaginação aparentemente ilimitada. Jeff, eu sentirei sua falta junto aos seus milhões de fãs. Descanse em paz”, disse Jimmy Page, do Led Zeppelin.

“Musicalmente, nós estávamos quebrando todas as regras, isso foi um rock’n’roll fantástico e inovador! Ouça a inacreditável faixa ‘Plynth’ em sua homenagem. Jeff, eu sempre amarei você. Deus abençoe”, disse Ronnie Wood, dos Rolling Stones, em um primeiro tuíte.

“Agora que Jeff se foi, sinto que um dos meus irmãos deixou este mundo e vou sentir muito a falta dele. Estou enviando muita solidariedade a Sandra, sua família e todos que o amavam. Quero agradecê-lo por todos os nossos primeiros dias juntos no Jeff Beck Group, conquistando a América”, completou em uma segunda postagem.

“Descanse em paz Jeff Beck. Um pioneiro e um dos melhores de todos tempos”, escreveu Johnny Marr.

Deixe uma resposta