ONU pede investigação rápida sobre ataques terroristas em Brasília

Por Jamil Chade

O Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos pediu que o Brasil “conduza investigações rápidas, imparciais, eficazes e transparentes sobre a violência de domingo e responsabilizem os envolvidos”. Num comunicado emitido nesta segunda-feira, o alto comissário, Volker Türk, afirmou que as cenas das invasões “de simpatizantes do ex-presidente (Jair Bolsonaro)” foram “chocantes”. “Condeno com veemência este atentado ao coração da democracia brasileira”, afirmou.

O representante ainda apontou para o papel de políticos em incentivar o ódio, assim como usar a desinformação como estratégia. Segundo ele, a violência do domingo foi “o desdobramento final da distorção continuada dos fatos e da incitação à violência e ao ódio por parte de atores políticos, sociais e econômicos que têm fomentado uma atmosfera de desconfiança, divisão e destruição ao rejeitar o resultado de eleições democráticas”.

“Aceitar o resultado de eleições livres, justas e transparentes está no centro dos princípios democráticos fundamentais”, disse o representante austríaco. “Alegações infundadas de fraude eleitoral minam o direito à participação política”, disse. Türk ainda fez um apelo: “a desinformação e a manipulação precisam parar”. “Exorto as lideranças de todo o espectro político do Brasil a colaborarem umas com as outras para restaurar a confiança nas instituições democráticas e promover o diálogo e a participação pública”, solicitou.

Polícia Federal identifica por vídeo terroristas que atacaram sedes dos três poderes

Alguns dos terroristas que invadiram e depredaram as sedes do Palácio do Planalto, do Supremo Tribunal Federal e da Presidência da República no último domingo (8) foram identificados pela Polícia Federal através de vídeos que circulam nas redes sociais. Entre os criminosos estão figuras diversas, desde ex-BBB, ex-prefeito, ex-primeira-dama, vereador até um parente da família Bolsonaro, entre vários outros.

Abaixo, os primeiros identificados:

Adriano Castro, artista plástico e ex-BBB

Andrea Barth, motorista em Naviraí, no Mato Grosso do Sul

Clayton Nunes, barbeiro em Brasília, no Distrito Federal

Gilberto da Silva Ferreira, mecânico e suplente de vereador em Nova Santa Rita, no Rio Grande do Sul

José Donizete Corrêa, conhecido como “Topera”, bolsonarista de Três Corações, em Minas Gerais

José Ruy, vereador de Inhumas (GO)

Kennedy Alves, bolsonarista radical de Alpinópolis, em Minas Gerais

Léo Índio, primo dos três filhos mais velhos do ex-presidente Jair Bolsonaro

Luciano Oliveira dos Santos, conhecido como Popó Bolsonaro, sergipano de Itabaiana

Lucimário Benedito Camargo, conhecido como Mário Furacão, empresário e presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio Verde, em Goiás

Luiz Gonzaga Militão, ex-secretário adjunto Antidrogas e Direitos Humanos de Divinópolis, em Minas Gerais

Marco Túlio Rios Carvalho, advogado e empreendedor de São João del Rei, em Minas Gerais

Maria Do Perpétuo Socorro Aguiar Germano, conhecida como Perpétua Aguiar, é fisioterapeuta e candidata derrotada a deputada estadual no Ceará

Marcos Alexandre Mataveli de Morais, ex-vice-prefeito de Pancas, Espírito Santo

Pâmela Bório (PSC) , ex-primeira-dama da Paraíba

Samuel Faria, bolsonarista de Socorro (SP) que fez um vídeo agradecendo aos “amigos patriotas” e diz que “muitos patrocinaram com o PIX”

Sara Sany, protetora de animais de Sete Lagoas, em Minas Gerais

Thiago Queiroz, candidato derrotado a deputado estadual e advogado de Patos de Minas, em Minas Gerais

Symon Patriota, se apresenta como um dos organizadores do acampamento bolsonarista que bloqueia uma avenida ao lado da Escola de Cadetes em Campinas (SP)

Silvério Santos, policial militar de Goiás

William Ferreira da Silva, conhecido como “Homem do Tempo”, ex-candidato a deputado estadual de Rondônia

Zuleica Portes Machado, servidora pública de Paty do Alferes, no Rio de Janeiro

Muriqui marca 2 na goleada do Leão sobre o Tesla

Foi o primeiro jogo-treino do Remo aberto para o torcedor. Um bom público pagou ingresso para acompanhar e conhecer o novo elenco azulino, na tarde deste sábado (7). O destaque da partida foi o centroavante Muriqui, autor de dois gols. No segundo tempo, o técnico Marcelo Cabo trocou todo o time, a fim de movimentar todas as peças do elenco remista.

Terror em Brasília: ministro do STF afasta o governador do DF por 90 dias

Com informações do G1

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu na madrugada desta segunda-feira (9) afastar o governador do Distrito Federal do cargo por 90 dias. No domingo (8), as forças de segurança do DF não contiveram vândalos bolsonaristas que invadiram e depredaram o Congresso, o Palácio do Planalto e o prédio do STF.

Moraes tomou a decisão ao analisar um pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e da Advocacia-Geral da União. Moraes disse que os atos terroristas do domingo só podem ter tido a anuência do governo do DF, uma vez que os preparativos para os atos eram conhecidos.

“A escalada violenta dos atos criminosos resultou na invasão dos prédios do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, com depredação do patrimônio público, conforme amplamente noticiado pela imprensa nacional, circunstâncias que somente poderia ocorrer com a anuência, e até participação efetiva, das autoridades competentes pela segurança pública e inteligência, uma vez que a organização das supostas manifestações era fato notório e sabido, que foi divulgado pela mídia brasileira”, escreveu Moraes na decisão.

O ministro afirmou ainda que os ataques aos prédios e às instituições da Republica foram “desprezíveis” e não ficarão impunes. “Os desprezíveis ataques terroristas à democracia e às Instituições Republicanas serão responsabilizados, assim como os financiadores, instigadores e os anteriores e atuais agentes públicos coniventes e criminosos, que continuam na ilícita conduta da prática de atos antidemocráticos”, afirmou o ministro.

Entre os indícios apontados contra Ibaneis, segundo Moraes, estão:

  • os terroristas e criminosos foram escoltados por viaturas da Polícia Militar do Distrito Federal até os locais dos crimes;
  • não foi apresentada, pela Polícia Militar do Distrito Federal, a resistência exigida para a gravidade da situação, havendo notícia, inclusive, de abandono dos postos por parte de alguns policiais
  • parte do efetivo deslocado para impedir a ocorrência de atos violentos não adotou as providências regulares próprias dos órgãos de segurança, tendo filmado, de forma jocosa e para entretenimento pessoal, os atos terroristas e criminosos
  • Anderson Gustavo Torres (secretário de segurança) foi exonerado do cargo, no momento em que os atos terroristas ainda estavam ocorrendo