Manoel Maria diz que amizade com Rei é obra de Deus: “Foi meu irmão, pai, amigo e confidente”

A morte de Pelé comoveu até quem nunca viu uma única partida do Rei. Vários fãs, autoridades e pessoas ligadas ao esporte prestaram suas homenagens desde que o falecimento do “atleta do século” foi anunciado, na última quinta-feira, dia 29.

Se é um momento difícil para quem só viu pela TV, para pessoas próximas é ainda mais doloroso. Esse é o caso do paraense Manoel Maria, ex-jogador que é um dos melhores amigos do tricampeão mundial. Manoel foi companheiro de Pelé no Santos e fala que Deus colocou o Rei na vida dele.

– Ele sempre foi nosso ídolo, não só meu como também de todas as crianças do Brasil e do mundo. De repente, eu fui jogar ao lado dele e me tornei o melhor amigo dele. Isso é um negócio de Deus. Deus colocou ele na minha vida.

Ele foi meu irmão, pai, amigo e confidente. Ele é inesquecível. Eu vou tentar não fazer feio, vou tentar me controlar, porque é muito grande a perda”.

Manoel Maria

A amizade entre os dois ex-atletas continuou mesmo após o fim de suas carreiras. Manoel Maria estava presente na comemoração do aniversário de 82 anos do Rei Pelé, em outubro. O paraense visitou Edson recentemente no hospital.

– Outro dia fui em um hospital com ele. Fui eu e o meu filho André. Ele pegou na nossa mão e disse que precisava de nós dois. Nós sempre precisamos dele.

Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, estava internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde 29 de novembro. A internação ocorreu em virtude de uma infecção respiratória após ele contrair Covid-19 e para a reavaliação do tratamento de um câncer no cólon.

Apesar do quadro complicado, Pelé passou alguns dias estável e com uma leve melhora. Nos últimos dias, porém, a saúde do Rei voltou a piorar. O tricampeão mundial não resistiu e faleceu na quinta-feira, dia 29 de dezembro, em São Paulo, aos 82 anos de idade. O sepultamento ocorrerá em Santos. (Do GE)

Deixe uma resposta