Messi pode ser o decano dos Bolas de Ouro; Mbappé, o segundo mais jovem

Únicas campeãs do mundo sobreviventes na Copa do Mundo do Catar, Argentina e França travam, de lados opostos da tabela das semifinais, uma batalha de gerações: companheiros de PSG, os atacantes Messi e Mbappé brigam, jogo a jogo, pelo título do torneio e também por um histórico prêmio de melhor da Copa do Mundo. Os argentinos passaram pela Croácia nesta terça-feira, enquanto a França mede forças com Marrocos, nesta quarta.

Criada na Copa da Espanha, em 1982, a Bola de Ouro da Copa já foi parar nas mãos de Messi uma vez, em 2014. Naquela edição, o camisa 10 marcou quatro vezes pela Argentina, que foi até a final contra a Alemanha, mas acabou com o vice-campeonato. Nesta edição, já marcou quatro vezes e tem a chance de se tornar o mais velho e o único detentor de dois prêmios oficiais.

Aos 35 anos, o jogador pode ultrapassar Zidane, eleito melhor da Copa de 2006 aos 34 anos, quando foi vice-campeão com a França em seu último Mundial. Antes disso, o goleiro da vice-campeã Alemanha em 2002, Oliver Khan, era o detentor mais velho do título individual, por ter vencido com 33 anos, uma premiação até hoje muito contestada.

Artilheiro e autor de cinco gols pela França até aqui, Mbappé briga pelo primeiro prêmio da carreira. Aos 23 anos, ele só não superaria o brasileiro Ronaldo, eleito melhor da Copa de 1998 aos 21 anos. Naquela edição, o Brasil perdeu na final justamente para os franceses.

Deixe uma resposta