México da Europa, Inglaterra joga como nunca e perde como sempre; França avança

Era o jogo mais esperado das quartas de final da Copa do Mundo. Deu França. Fiel ao seu estilo de contra-ataques fulminantes, o time de Didier Deschamps encontrou pela frente um adversário aplicado e muito bem posicionado no meio-de-campo. A vantagem francesa se estabeleceu no aproveitamento das chances criadas. Mesmo com menos posse de bola (43% x 57%), os franceses foram mais objetivos. O volante Tchouaméni abriu o placar logo aos 17 minutos de jogo, em disparo certeiro, após jogada iniciada por Mbappé.

Com o estádio Al Bayt (na cidade de Al Khor) lotado, a Inglaterra pressionou de todas as formas, usando o arisco Saka para romper a marcação, mas só conseguiu o empate aos 9 minutos do 2º tempo. O próprio Saka sofreu pênalti e Harry Kane converteu. O jogo seguiu equilibrado, com o astro Mbappé discreto, mas Giroud surgiu entre os beques ingleses, aos 33 minutos, para testar firme e desempatar. A bola ainda tocou no ombro de McGuire.

A batalha prosseguiu encarniçada. e o árbitro brasileiro po, perdeu depois um pênalti aos 39 minutos. Explorando mais os contra-ataques, a seleção francesa acabou sendo bastante pressionada pela Inglaterra. Segundo as estatísticas do SofaScore, a seleção inglesa teve mais posse de bola (57% x 43%) e finalizou mais (15 x 8), sendo oito certas da equipe de Garath Southgate contra apenas cinco da seleção de Deschamps.

Griezmann, dinâmico no meio, ajudou a compensar o baixo rendimento francês nas jogadas pelos lados. Outra boa figura foi o zagueiro Upamecano, implacável na marcação a Kane. Aliás, a única chance inglesa no fim do jogo foi desperdiçada justamente por Kane. Mount foi derrubado na área, e o árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio deu o penal com auxílio do VAR. Na cobrança, o camisa 9 mandou a bola por cima do travessão de Lloris, aos 39 minutos.

A vitória da França foi a primeira sobre a Inglaterra em Copas. Nos embates anteriores, em 1966 e em 1982, na fase de grupos, o English Team. O problema é que desde 1966 os ingleses não chegam a uma final de Mundial, confirmando a piada de que são os mexicanos da Europa – jogam como nunca, perdem como sempre.

Na semifinal, a França terá pela frente a surpreendente e vibrante seleção de Marrocos, que eliminou Portugal por 1 a 0 nas quartas de final deste sábado, 10. Sem jogar na retranca, criando oportunidades de gol (chutou sete vezes a gol), a equipe marroquina parou a seleção lusa, com nova grande atuação do goleiro Bono, o melhor da Copa até agora.

FAÇANHA MARROQUINA

Desacreditada, a seleção de Marrocos fez história mais uma vez. No estádio Al Thumama lotado de marroquinos, o time venceu Portugal por 1 a 0, gol de En-Nesyri em falha dupla do goleiro Diogo Costa e do zagueiro Ruben Dias. Com a classificação para a semifinal da Copa do Qatar, Marrocos já tem a melhor campanha de um país africano em todos os tempos.

Antes de Marrocos, a melhor campanha africana em Copas do Mundo tinha sido chegar às quartas de final. Foi assim com Camarões (1990), Senegal (2002) e Gana (2010). Agora, os marroquinos continuam o sonho e tentam, quem sabe, chegar à final. Dá para duvidar?

A semifinal será mais um confronto entre marroquinos e seleções apontadas como favoritas. Marrocos avançou em primeiro num grupo que tinha Croácia e Bélgica. No mata-mata, superou Portugal, depois de ter eliminado a Espanha nas oitavas. Na semifinal, terá pela frente a campeã mundial França.

Deixe uma resposta