Thiago Gasparino defende critério das contratações do Remo para 2023

Nem bem foi apresentado como novo executivo de futebol do Remo, Thiago Gasparino, teve logo que explicar a preferência por jogadores acima de 30 anos – oito dos 12 contratados. “Não me preocupo, pois todos atletas que foram contratados performaram nas últimas temporadas. Não tem nenhum atleta que contratamos que tem menos de 20 jogos na temporada. Então, tem atleta de 33 anos com 45 jogos na temporada”.

O apresentação oficial de Gasparino aconteceu na quarta-feira, 7, com a presença do presidente Fábio Bentes e do vice-presidente Antonio Carlos Teixeira (Tonhão).

Abaixo, a lista de reforços e as respectivas idades:

  • Zagueiro Ícaro – 29 anos
  • Zagueiro Diego Ivo – 33 anos
  • Zagueiro Diego Guerra – 32 anos
  • Lateral-direito Lucas Mendes – 31 anos
  • Lateral-esquerdo Raí – 22 anos
  • Volante Richard Franco – 30 anos
  • Meia Rodriguinho – 35 anos
  • Atacante Fabinho – 27 anos
  • Atacante Jean Silva – 33 anos
  • Atacante Pedro Vitor – 24 anos
  • Atacante Diego Tavares – 31 anos
  • Atacante Muriqui (foto) – 36 anos

O elenco azulino tem apresentação programada para a próxima segunda-feira, dia 12. Os jogadores farão exames médicos durante essa primeira semana. O clube fez 12 contratações para a temporada 2023 e, segundo Gasparino, o plantel está completo para o início de temporada. O novo executivo disse que está satisfeito com os atletas que vão compor a equipe no ano que vem:

“Todo planejamento é feito em várias mãos. Desde as minhas primeiras conversas com o presidente, já sabíamos da grandeza do clube, do que passou em um passado recente e que nós temos um grande desafio na temporada de 2023. O planejamento foi bem executado até aqui. O nosso elenco, a princípio, está finalizado. Finalizamos com as contratações dos atacantes”.

Um comentário em “Thiago Gasparino defende critério das contratações do Remo para 2023

  1. Lamentável essa reunião de jogadores sub-quarenta para compor o elenco do Remo. Pausa aqui para comentar a ação do executivo responsável pela montagem desse elenco sênior. O cara foi contratado e ficou trabalhando online da cidade dele para montar a tripulação dessa barca, demonstrando que qualquer um ex-boleiro, com intimidade básica nos teclados de um notebook, poderia fazer jus a esse cargo e respectivo salário. Sabe-se que o técnico deu aval para a contratação desses boleiros em fim de carreira. Marcelo Cabo talvez não saiba que a Série C exige muito condicionamento físico dos jogadores. São longas viagens, muitas em ônibus por estradas esburacadas desse Brasilzão e pouco tempo para treinamentos técnicos e exercícios físicos. Se um time de jovens já sente o peso dessas adversidades, imaginem um composto de anciões do futebol.

Deixe uma resposta