Seleção faz primeiro tempo dos sonhos e despacha a Coreia do Sul

Assisti Brasil x Coreia do Sul da tribuna de imprensa abarrotada de jornalistas estrangeiros, curiosos em ver a Seleção Brasileira em seu primeiro desafio eliminatório da Copa do Mundo ou talvez achando que a zebra poderia estar de plantão no Stadium 974. Se era essa a intenção, acabaram vendo uma atuação inspirada do time no primeiro tempo, que lavou a alma da torcida e serviu para confirmar que o Brasil está na briga como um dos sérios candidatos ao título no Qatar.

Os gols foram surgindo com naturalidade, à medida em que a Seleção envolvia o adversário com uma troca de passes no meio-campo que sempre evoluía para ataques fulminantes. Foi assim que nasceu o gol de Vinícius Jr., o primeiro da noite. Raphinha fez bela arrancada pela direita e cruzou com veneno. A bola atravessou a área e foi cair nos pés de Vinícius, que disparou um chute forte e colocado.

Logo depois, Richarlison foi atingido na área. Pênalti que Neymar cobrou com categoria, ampliando o placar. Não demorou muito e veio o terceiro gol na melhor trama coletiva do ataque. O passe final para o centroavante veio do zagueiro Tiago Silva. Ágil, Richarlison desviou do goleiro e mandou para as redes.

Para fechar a goleada, uma excelente jogada de Vinícius Jr. foi finalizada por Lucas Paquetá de primeira, sem chances para o goleiro sul-coreano. A partir daí, o Brasil abusou de perder gols. Richarlison quase marcou após vencer a marcação na velocidade. Casemiro também desperdiçou boa chance, mandando à direita da trave.

No segundo tempo, a Seleção apenas administrou o resultado, embora tenha criado duas chances com Raphinha, que gananciou e deixou de servir a Richarlison dentro da área. Daniel Alves, que entrou nos minutos finais, quase fez um quinto num sem-pulo que levantou a torcida.

Uma atuação impecável, digna do futebol pentacampeão do mundo e sempre candidato ao título. A noite foi coroada com a homenagem de todo o time brasileiro ao Rei Pelé, que está hospitalizado em São Paulo em estado grave.

Um comentário em “Seleção faz primeiro tempo dos sonhos e despacha a Coreia do Sul

  1. A diferença entre os dois tempos do jogo é ruim. Mostra ou uma soberba de quem se acha superior e portanto menospreza o adversário; ou mostra uma falta de foco no jogo, o tempo todo. Ou mesmo a diferença entre as peças originais e os jogadores que entraram no decorrer do jogo.
    Além de ter transparecido uma “fome” de alguns jogadores que podendo facilitar para o time, insistiam em tentar resolver sozinho, como se fossem apenas eles o time. Como o Raphinha e o Neumala.
    Uma equipe precisa se manter ligado, o tempo todo, buscando o resultado e a finalização, até o final tempo. Isso demonstra grandeza e respeito pelos adversários e pela sua torcida.

Deixe uma resposta