Missão Qatar: pelos pés de Messi, Argentina vence e entra na briga pela classificação

POR GERSON NOGUEIRA

Doha, Qatar – Acabei de sair do estádio de Lusail, onde Argentina e México se enfrentaram numa batalha encarniçada, jogando futebol de altíssima intensidade. Aliás, quando usar essa palavra tão desgastada que respeite o que os dois times fizeram nesta noite de sábado em Doha. Desde o primeiro minuto, um duelo ferrenho pela posse da bola, palmo a palmo, sem concessões de espaço. A destacar, mais uma vez, a disposição de Messi em se colocar a serviço do time, que retribui jogando para ele também.

A Argentina, tecnicamente melhor, ditava o ritmo no início, mas quem mais levou perigo nos primeiros 20 minutos foi o time mexicano, empurrado por sua fanática torcida. Aos poucos, porém, Messi e Di María começaram a fazer triangulações e a se aproximar da área de Ochoa, mas sem acertar o gol.

O primeiro tem terminou com o jogo em total equilíbrio, embora com construções táticas diferentes. O México empenhado em se defender, neutralizar os talentos do adversários e à espera de um contra-ataque para resolver o jogo. A Argentina caprichando no toque de bola para tentar abrir os caminhos.

O placar da etapa inicial, 0 a 0, foi produto do esforço dos times em se sobrepor ao adversário. Mesmo sem técnica refinada, o jogo valeu pelo combate incessante, sem tréguas.

Veio o 2º tempo e a excepcional qualidade técnica do solista Messi fez a diferença logo no começo. No único momento em que foi deixado com um espaço mínimo para manobrar, ele encaixou a bola que abriu caminho para a importante vitória argentina. O chute saiu seco, preciso, milimétrico. Entre o poste esquerdo e os braços do goleiro, que inutilmente tentou interceptar a bola.

Uma catarse no estádio. A torcida vibrando e saudando seu ídolo. Messi festejado e festejando com os companheiros, depois erguendo as mãos para o alto, em agradecimento. Um alívio. A vitória se consumaria com o gol de Enzo Fernandes nos acréscimos, para fazer a hincha argentina explodir de contentamento.

A Argentina volta à competição, após afugentar o fantasma da eliminação na primeira fase. Messi & cia terão agora um outro desafio pela frente: a Polônia de Lewandowski, líder do grupo. Mas isso já é outra história. O importante é que uma das favoritas do torneio volta a ter chances de seguir na briga.

O aspecto lamentável do jogo foi a confusão envolvendo torcedores às proximidades do estádio. Argentinos e mexicanos promoveram brigas, dando imenso trabalho à polícia de Doha. Foi o primeiro registro de tumultos provocados por torcidas nesta Copa.

Deixe uma resposta