Governadores entregam carta e Lula garante apoio à realização da COP na Amazônia

Os governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal entregaram, nesta quarta-feira (16), uma carta aberta ao presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva. O documento sinaliza o pedido dos governadores para cooperação mútua do estados amazônicos e Governo Federal em favor de políticas orientadas à conservação e ao desenvolvimento sustentável da região.

“No contexto dessa colaboração, propomos um esforço conjunto que permita maior celeridade na tramitação dos apoios internacionais, em particular aqueles na área financeira, de modo a transformar a realidade da floresta e das comunidades locais em prazos mais curtos. Precisamos da floresta viva, isto é, capaz de prover serviços ambientais e gerar remuneração por eles e pelos produtos dela derivados. Essa noção de vida é o marco que nos permitirá a monetização da floresta enquanto nova ‘commodity’ no mercado de bens e serviços ambientais”, propõe um trecho da carta.

O documento foi lido pelo governador do Pará, Helder Barbalho, que está liderando temporariamente o grupo de governadores do Consórcio durante a 27ª COP, Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), que é realizada no Egito. “Em nome dos povos da floresta. O senhor tem liderança e autoridade para propor à ONU que o Brasil seja sede da COP. Eu gostaria de fazer um pedido. Além do gesto extraordinário do Brasil protagonizar a Cúpula do Clima, queria ir adiante, que o senhor além do senhor propor que a COP aconteça no Brasil, quero lhe pedir que o senhor possa oferecer a Amazônia para sediar a COP”, solicitou Helder Barbalho.

“É importante para que possamos levar o planeta para debater a Amazônia conhecendo a região. Não conhecendo apenas a Amazônia pelas redes sociais, distância dos livros ou pelo acesso à informação, mas conhecendo a Amazônia e seu povo com o pé no chão, olhando para nós de frente e construindo conosco uma Amazônia com sustentabilidade e justiça social”, conclamou o governador paraense.

Lula quer COP na Amazônia

Em resposta aos governadores, o presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que o pedido para o Brasil receber uma edição da COP é estratégico e que irá articular para o país receber o evento. “Podem ficar certos que vou falar com o secretário geral da ONU e vamos pedir para que essa COP de 2025 seja feita no Brasil e na Amazônia. Temos dois Estados aptos para receber qualquer conferência internacional, que são o Amazonas e o Pará”, disse Lula.

“É mais do que justo que nós recuperamos a aliança entre federativa que já tivemos no Brasil para que o Governo Federal governe em comum acordo com os governadores. E mais ainda, que o Governo Federal volte a governar com os prefeitos porque não é possível haver distanciamento entre o presidente da república e os governadores e prefeitos”, sinalizou o presidente eleito.

Carta dos Governadores da Amazônia Legal.

Copa Verde: Papão lamenta empate em casa, mas podia ter sido pior

Em jogo equilibrado no primeiro tempo e dominado pelo visitante no segundo, PSC e Vila Nova (GO) empataram em 0 a 0, na noite desta terça-feira (15), na Curuzu. A partida abriu a decisão da Copa Verde 2022. No próximo sábado, em Goiânia, acontece o confronto final. A primeira chance do jogo coube ao PSC, mas o goleiro Tony fez boa defesa. A melhor oportunidade do tempo inicial, porém, favoreceu o Vila. O zagueiro Naylhor salvou em cima da linha. No geral, o empate não foi o melhor resultado para os bicolores, mas nas circunstâncias acabou ficando de bom tamanho.

O PSC tomou as primeiras iniciativas, atacando com perigo aos 4 minutos, com Marlon. O equilíbrio prevaleceu durante o período, com o Vila se resguardando mais em seu campo, deixando apenas Neto Pessoa na frente. Aos 34′, Diego Tavares cruzou, Neto cabeceou e Wagner atrapalhou Thiago Coelho, a bola ia entrando e Naylhor apareceu para evitar o gol.

A segunda etapa mostrou um Vila Nova melhor e mais agressivo. Logo aos 2′, Kaio Nunes passou pelos zagueiros e chutou na saída de Thiago Coelho, que fez grande defesa. A resposta do Paysandu veio logo depois com Marlon pegando de fora da área. Aos 15′, o lateral Leandro Silva iniciou uma discussão com Wagner e ambos tomaram o cartão amarelo. Como Leandro já havia recebido o amarelo, foi expulso e sacrificou o sistema defensivo do PSC.

A partir daí, o Vila Nova aumentou a pressão em busca do gol, teve amplo domínio, mas não conseguiu criar situações de grande perigo. No final, o PSC atacou seguidamente, sem sucesso. Vila Nova e PSC voltam a se encarar no sábado (19), às 19h, no estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO). Caso haja novo empate, o título será decidido na cobrança de penalidades.

Morte repentina de Isabel, rainha do vôlei, consterna o esporte brasileiro

Uma das maiores referências do vôlei brasileiro, Maria Isabel Barroso Salgado, a Isabel, morreu nesta quarta-feira no hospital Sírio-Libanês em São Paulo. A causa da morte ainda não foi divulgada. Disputou duas Olimpíadas (Moscou 1980 e Los Angeles 1984) no vôlei de quadra e depois, no início dos anos 1990, migrou para o vôlei de praia, em que foi uma das pioneiras mundiais da modalidade. Deixa cinco filhos e cinco netos. Na última segunda-feira, havia sido anunciada como integrante do grupo técnico de esportes para a transição de governo do presidente Lula, que assumirá o país em janeiro.

Isabel fez parte da seleção feminina de vôlei que abriu as portas para a modalidade, nos anos 1980, ao lado de Vera Mossa e Jaqueline. Embora não tenha ganho medalha nas Olimpíadas que disputou, em Moscou 1980 e Los Angeles 1984, aquela equipe foi a primeira da história do país a disputar grandes competições. Foi medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de 1979, em San Juan, Porto Rico. Foi, também, a primeira jogadora brasileira de vôlei a atuar numa liga estrangeira, na Itália, em 1980, no Modena, quando viajou para a Europa com sua filha Pilar, recém-nascida.

No início dos anos 1990, com a popularização do vôlei de praia, esporte viria a estrear no programa olímpico em Atlanta 1996, Isabel migrou de modalidade. Jogou diversas etapas do Circuito Mundial e brasileiro entre 1993 e 2001, inclusive com ouro na etapa de Miami, nos EUA, em 1994. Suas parceiras foram Roseli , Jerusa, Tatiana Minello e Jaqueline.

Três dos filhos de Isabel fizeram carreira vitoriosa no vôlei de praia. Pedro Solberg, que disputou as Olimpíadas da Rio 2016 e ficou em nono lugar, Maria Clara Solberg e Carol Solberg. Carol, ao lado da medalhista Bárbara Seixas, está entre as melhores do mundo atualmente. No último fim de semana, a dupla ficou com o bronze na etapa de Uberlândia do Circuito Mundial. Além deles, Isabel deixa Pilar e Alison, filho que adotou em 2015.

Rock na madrugada – Peter Frampton, “Breaking All The Rules”

Guitarrista de múltiplos talentos, Peter Frampton estourou no final dos anos 1970 com um disco ao vivo que vendeu mais que banana na feira, “Frampton Comes Alive”. Lançado em 1976, é considerado até hoje o álbum ao vivo mais vendido da história. Foi gravado em parte na arena Winterland na turnê de 1975. Dentre os outros locais que foram gravados estão San Rafael na California, Long Island e State University, em New York, e uma faixa no estúdio Record Plant, também na California. Frampton vinha de experiências como músico de bandas como Humble Pie, formada por Steve Marriott em Moreton, Essex, em 1969. Foi um dos primeiros supergrupos do final dos anos 1960. A formação original da banda tinha o vocalista e guitarrista Steve Marriott (ex-Small Faces), o vocalista e guitarrista Peter Frampton (ex-The Herd), o ex-baixista do Spooky Tooth, Greg Ridley, e o jovem (17 anos) Jerry Shirley, baterista do The Apostolic Intervention.

Gravou vários álbuns, tocou com muitos parceiros e se consolidou como um astro dos palcos. Enfileirou hits. “Baby, I Love Your Way”, “Show Me the Way”, “I’m in You” e “Breaking All the Rules”, que explodiu no Brasil como trilha sonora de um comercial dos cigarros Hollywood. A introdução arrasadora e o riff fortíssimo de guitarra transformaram a canção num verdadeiro clássico.

Em 2019, Frampton anunciou que foi diagnosticado com uma doença chamada miopatia por corpos de inclusão, que causa dor e fraqueza muscular e inflamação. Ao contrário do que se imaginava, aos 70 anos, ele continua na ativa, com shows pela Inglaterra e EUA.

Sinjor repudia agressões a jornalistas praticadas por manifestantes golpistas na frente do Quartel do Exército

O Sindicato de Jornalistas no Estado do Pará emitiu nota de repúdio pelas agressões à equipe de reportagem do jornal O Lieral, ocorrida na manhã de terça-feira (15) em frente ao quartel do II BIS, em Belém. Dois jornalistas foram atacados por manifestantes bolsonaristas quando faziam seu trabalho no local. Abaixo, a nota, na íntegra:

O Sindicato de Jornalistas no Estado do Pará (Sinjor-PA) vem publicamente repudiar as agressões sofridas pela equipe de reportagem do jornal O Liberal e portal oliberal.com na manhã desta terça-feira, dia 15 de novembro, feriado da Proclamação da República. Os jornalistas Thiago Gomes e Fabrício Queiroz foram hostilizados, ameaçados e agredidos pelos manifestantes do ato antidemocrático realizado em Belém, na frente do 2° Batalhão de Infantaria de Selva (2°BIS).

Enquanto faziam a cobertura jornalística, os repórteres foram expulsos e xingados pelos manifestantes. Quando estavam se retirando do local, o repórter fotográfico Thiago Gomes teve o celular tomado por duas vezes pelos manifestantes que tentavam impedir o registro dos acontecimentos. Thiago também levou um soco na costa e um chute.

O presidente do Sinjor-PA, Vito Gemaque, e o presidente da Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa da OAB-PA, Mauro Vaz, acompanharam os jornalistas na Seccional da Polícia Civil na Marambaia para elaboração de Boletim de Ocorrência.

O Sinjor-PA e a Comissão da OAB continuarão acompanhando a apuração do caso pelos órgãos de segurança para identificar os suspeitos e responsabilizá-los. A diretoria do Sindicato solicita providências urgentes por parte do governo do Estado para impedir esses excessos antidemocráticos que tem se repetido constantemente no Pará e, ao mesmo tempo, reivindica dos veículos de comunicação a garantia para que os jornalistas possam exercer livremente a atividade profissional, com a devida segurança e respeito à integridade física.

Essas atitudes coercitivas e autoritárias não irão intimidar e nem calar o jornalismo crítico e profissional!

Belém, 15 de novembro de 2022.

Sindicato de Jornalistas no Estado do Pará (SINJOR-PA)

Comissão em Defesa da Liberdade de Imprensa da OAB-PA