Papão confirma vaga na semifinal

POR GERSON NOGUEIRA

Não houve necessidade de um jogo mais consistente do PSC para passar pelo Tocantinópolis, ontem à noite, na Curuzu. O placar de 2 a 0 retratou a melhor atuação dos bicolores, embora no primeiro tempo o visitante tenha criado algumas situações de perigo, mas sem objetividade nas finalizações, justamente o que sobrou no lado paraense no gol inicial de João Vieira e no segundo, em flagrante impedimento, feito por Genilson.

Na primeira etapa, apesar de nenhum brilhantismo, os bicolores foram melhores. Começaram no ataque insuflados pelo entusiasmo da torcida e, logo aos 10 minutos, o volante João Vieira teve boa oportunidade, mas chutou longe. O Tocantinópolis respondeu levando perigo em cruzamento de Bilal, mas William e Hiltinho não conseguiram concluir em duas tentativas.

Aos 19’, o lateral Thiago Ennes cruzou e Danrlei chegou cabeceando e quase acertando o gol. Dois minutos depois, 1 a 0 Papão: José Aldo tabelou rápido com Marlon dentro da área, confundindo a marcação e tocou para João Vieira, que finalizou no canto direito de Jean Silva.

O Tocantinópolis tentou aos 29’, com Otávio batendo de longe e Thiago Coelho fez a defesa sem sustos. O jogo seguiu mais ou menos equilibrado, mas o PSC era dominante na retenção da posse de bola, com a utilização constante de José Aldo e Vieira em ações rumo à área do Tocantinópolis.

No segundo tempo, o panorama não mudou muito. O Tocantinópolis inicialmente deixou de buscar o ataque e os ataques com cruzamentos. O PSC manteve José Aldo adiantado principalmente pelo lado esquerdo do ataque, com Marlon fechando mais pelo meio.

O Papão teve a oportunidade de ampliar logo aos 4 minutos, quando o zagueiro Naylhor finalizou com perigo. Aos 8’, José Aldo arriscou e Jean Silva defendeu. Cruzamento de Ennes quase enganou o goleiro do Tocantinópolis. Instantes depois, foi a vez de Dioguinho testar Jean Silva.

O visitante parecia cansado e não levava mais nenhum perigo. Aos 41’, após cobrança de falta executada por Gabriel Davis, a bola foi lançada na área e encontrou Genilson em completo impedimento. O cabeceio certeiro decretou o placar final de 2 a 0.

O resultado foi importante para o plano bicolor de chegar ao objetivo do terceiro título da Copa Verde, meta prioritária neste final de temporada, após fracassos no Campeonato Paraense e na Série C.

Classificado em águas tranquilas sobre Humaitá e Tocantinópolis, o PSC fica na confortável situação de aguardar seu adversário nas semifinais, que vai sair da partida entre Tuna e S. Raimundo/AM, amanhã à tarde, no Souza. As datas previstas para os confrontos são 5 e 8 de novembro.

No dia de Finados, Lusa tem decisão com o S. Raimundo

Depois de passar pelo Rio Branco (AC) na cobrança de penalidades, a Tuna recebe o S. Raimundo (AM), às 15h de hoje, no estádio do Souza. A data de tributo aos mortos pode marcar um sinal de vida para os cruzmaltinos na competição inter-regional.

O São Raimundo é um adversário considerado mais difícil que o Rio Branco, mas jogando em seus domínios e contando com o apoio da torcida a Águia Guerreira tem boas possibilidades de avançar às semifinais.

O time de Josué Teixeira é mesclado, com muitos jovens oriundos da tradicional base cruzmaltina – como o elogiado MM – atuando ao lado de jogadores mais rodados, como Charles, Dedé, Jayme e Alisson. Há um sentimento de otimismo no grupo para a obtenção da vaga para enfrentar o PSC na próxima fase.

Fogão consegue perder para o rebaixado Dourado

O Botafogo segue em marcha batida para frustrar sempre seu torcedor a cada novo jogo em casa. Logrou ontem uma façanha sem precedentes. Perdeu para o rebaixado Cuiabá por 2 a 0, levando um nó tático dentro do estádio Nilton Santos, perante mais de 20 mil torcedores. Gols bobos, desatenção da zaga e desproteção dos volantes.

Com isso, a chance de continuar na briga por uma vaga na Libertadores foi completamente pelo ralo. Existem possibilidades matemáticas para isso, mas a vocação de anfitrião relaxado não permite esperanças maiores.

O querido amigo Edgar Augusto, interlocutor para assuntos botafoguenses e musicais, tem plena razão quando diz que o time é ruim, o elenco fraco e Tiquinho Soares é uma andorinha solitária no ataque alvinegro. Eu ainda vejo qualidades em Marçal, Jefinho e Eduardo, mas este se lesionou no jogo passado, e não joga mais nesta Série A.

No fim das contas, o único consolo é a permanência na Primeira Divisão e a perspectiva de evolução em 2023 talvez até com presença na Sul-Americana. Luís Castro tem boas ideias, mas parece um técnico inadequado para o Botafogo – e para o futebol brasileiro. Só acho.

Racismo e violência no futebol em pauta na CBF

A CBF realizou ontem a primeira reunião do grupo de trabalho criado para combater os crimes de racismo e violência no futebol. O GT tem o objetivo de discutir os aspectos legais e operacionais para aprimorar o marco regulatório das políticas públicas e dos procedimentos desportivos. Vai atuar também na coordenação das ações pelos diferentes agentes envolvidos no enfrentamento do racismo e da violência no futebol.

Participaram da reunião, dentre outros, Maurício Neves Fonseca, vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD); Arlete Mesquita, vice-presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB; e o ex-goleiro Aranha.

(Coluna publicada na edição do Bola desta quarta-feira, 02)

Um comentário em “Papão confirma vaga na semifinal

  1. O nome é pomposo: SAF, Sociedade Anônima de Futebol. A ideia é transformar velhos clubes de futebol, geridos de forma amadora por abnegados, curiosos ou mecenas, em entidades administradas de forma moderna, à semelhança de empresas sólidas, vencedoras. Mas o que vemos, a exemplo do Botafogo, é uma gestão ao estilo de empresa individual, onde o gestor, proprietário, é o dono da verdade, manda prender e manda soltar. John Textor já torrou uma boa grana ao comprar o passe de Patrik de Paula, por exemplo, o jogador mais caro do elenco, que é banco. Contratou uma penca de jogadores por valores significativos, mas de qualidade duvidosa. Mas o que chama a atenção mesmo é a insistência em manter como técnico Luis Castro, já provado sem condições de se manter à frente do comando técnico do time. Tudo isso é muito pouco e ter como objetivo apenas manter-se na Série A.

Deixe uma resposta